Efeito contrário: Decreto do Prefeito de Coelho Neto que reduz horário do comércio aumenta fluxo de pessoas e provoca aglomerações

Efeito contrário: Decreto do Prefeito de Coelho Neto que reduz horário do comércio aumenta fluxo de pessoas e provoca aglomerações

Está sendo um verdadeiro tiro no pé o efeito do Decreto Municipal nº 477/2020, assinado pelo prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), e que passou a valer desde a última quarta (27), para minimizar o efeito de propagação do coronavírus na cidade.

Um dos pontos do decreto versa exatamente sobre a redução do horário de atendimento do comércio local até as 14h, medida que ao invés de reduzir a presença das pessoas acabou tendo efeito contrário durante o horário em que este é permitido.

Acontece que o tempo reduzido para fazer compras – com destaque para os essenciais, fez com que mais pessoas procurassem o comércio no mesmo horário e o que se vê nos principais pontos comerciais da cidade é uma verdadeira aglomeração de pessoas transitando de um lado para outro.

Ao invés de fechar os comércios, a Prefeitura deveria manter a fiscalização para que as normas de distanciamento e higienização fossem cumpridas, sem que isso refletisse em aumento de pessoas nas ruas.

Além de antipática, a medida não teve o efeito prático esperado. Confira o vídeo de uma parte da Avenida Coelho Neto:

Prefeitura promove perseguição e boicote as ações da Polícia Militar em Coelho Neto

Retorno do Capitão Jamerson teria provocado a ira do prefeito: perseguição e boicote é a ordem para forçar que ele seja mandado embora

O Comando da Polícia Militar em Coelho Neto vive tempos difícieis nos últimos dias e a questão pode refletir na atividade direta da corporação.

Desde que foram anunciado o retorno do Capitão Paulo Jamerson, a PM passou a viver “dias de cão”, com uma determinação advinda da Prefeitura de Coelho Neto de corte na parceria com a instituição sem qualquer justificativa. Segundo fontes do blog, o prefeito Américo de Sousa teria ficado incomodado com o retorno de Jamerson ao comando da PM e que o boicote seria uma forma de pressionar o Batalhão em Caxias a mandá-lo embora.

Ao invés de garantir que parceria fosse ampliada, o que todo  mundo sabe é que fora cortado alimentação, fornecimento de combustível e as colaboradoras que atuavam no Comando da PM (cerca de 06), foram mandadas para casa.

Causa estranheza o corte nas ajudas, exatamente depois da Prefeitura formalizar dois contratos vultusosos: um de mais de 600 mil para alimentação e outro de mais de 4 milhões para combustível.

O corte da parceria da Prefeitura com a PM pode ter reflexos direto no aumento da criminalidade no município. Segundo fontes ouvidas pelo blog entre policiais, ex-colaboradoras e pessoas próximas, a corporação tem sobrevivido os últimos dias contando com a colaboração e doação de empresários locais.

Coelho Neto vive tempos de violência, com a bandidagem correndo solta e vias públicas as escuras. Com o boicote da Prefeitura ao Comando da PM sem qualquer razão de ser, a população mais uma vez deve pagar a conta.

É só aguardar!

 

 

Altíssimo índice de rejeição acendem luz vermelha do governo em Coelho Neto

Altíssimo índice de rejeição acendem luz vermelha do governo em Coelho Neto

O que o prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), mas temia veio a tona: o seu alto índice de rejeição. O que antes era conversa em grupos de whatsapp e nas esquinas da cidade, hoje está materializado e confirmado em pelo menos duas pesquisas de opinião pública divulgadas com exclusividade por esse blog e devidamente registradas na Justiça Eleitoral. Américo não tem apenas o governo rejeitado, como também goza de número altíssimo de rejeição pessoal, fato que deixa de cabelo em pé qualquer marqueteiro.

A antipatia, a falta de traquejo político, a perseguição a adversários e a condução de um governo medíocre que ao longo de quase 04 (quatros) não conseguiu mostrar a que veio pode explicar esses números, afinal estamos falando de um quase “professor de Deus”. Quando oposição o petista tinha solução para todos os problemas da cidade, mas bastou sentar na cadeira para os milhões darem lugar aos tostões e parte dos vários problemas da cidade apontados por ele próprio nunca saíram do gogó: calçamento, coleta de lixo, melhoria na saúde e tratamento igual para contratados e concursados, para citar alguns deles.

Apavorado com a divulgação dos dados que o coloca contra a parede na presença dos aliados, o petista tenta correr atrás do prejuízo para inibir possível debandada de quem ainda aparece como aliado. Segundo fontes do blog, o ex-candidato a deputado estadual e também petista Luiz Henrique já teria sido chamado as pressas para tentar ajudar na força tarefa de condução das articulações diante da falta de aptidão do prefeito para tal.

Também está sendo prevista para a próxima semana mais um anúncio de troca do secretariado, já que o prefeito teria tomado a decisão de afastar os titulares com pretensões de disputar as eleições proporcionais. Esse aliás é outro assunto bastante delicado se consideramos que a base do governo ao que se sabe também não anda nada satisfeita.

No mesmo compasso a ordem para a imprensa aliada é atacar o ex-prefeito Soliney Silva (MDB), e o pré-candidato Bruno Silva (PP), que em menos de duas semanas já lidera as pesquisas. O pré-candidato Albino e a ex-prefeita Márcia Bacelar também estão na linha de frente da artilharia da blogosfera governista. A posição de terceiro lugar para quem está sentado na cadeira é por demais humilhante e os ataques visam sobretudo barrar todos aqueles que possam interferir de alguma forma no interesse do atual prefeito de se manter no poder.

Por fim temos um governo que respira através da ajuda de aparelhos.

E fica a dúvida se tais movimentações darão condições de alguma sobrevida até o pleito eleitoral em outubro próximo.

69,0% desaprovam governo do petista Américo de Sousa em Coelho Neto, diz pesquisa

69,0% desaprovam governo do petista Américo de Sousa em Coelho Neto, diz pesquisa

A pesquisa divulgada nesta terça (28), pelo Instituto Amostragem confirmou o alto índice de rejeição do governo liderado pelo prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT).

Quando o eleitor é perguntado sobre a aprovação do governo, 69,0% dizem que reprovam  contra 28,67% que dizem que aprovam. Do total 2,33% não souberam/não opinaram.

Governo Estadual e Federal

Ao ser questionado sobre o governador Flávio Dino (PCdoB), 49,33% aprovam contra 41,67% que não aprovam. Do total 9,0% não souberam/não opinaram.

Sobre a avaliação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), 68,67% não aprovam e 29,0% aprovam. Do total, 2,33% não souberam/não opinaram.

A pesquisa do Instituto Amostragem foi registrada na Justiça Eleitoral sob o número MA-05764/2020.