Avaliação positiva de Bolsonaro cresce, mostra pesquisa

(Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles)

Pouco mais de um ano após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tomar posse, 34,5% dos brasileiros avaliam positivamente a atual administração e 31% negativamente. É o que mostra pesquisa realizada em janeiro pelo Instituto MDA a pedido da Confederação Nacional do Transporte.

O resultado mostra uma melhora nos indicadores do governo em relação à última pesquisa divulgada pelo instituto. Em agosto do ano passado, o governo Bolsonaro era visto como positivo por 29,4% dos eleitores e como negativo por outros 39,5%. O levantamento foi realizado entre os dias 15 e 18 de janeiro, com 2.002 pessoas, em 137 municípios.

Já em relação ao desempenho pessoal do presidente, a aprovação saltou de 41% em agosto para atuais 47,8%, enquanto a desaprovação caiu de 53,7% para 47% no mesmo período.

Combate à corrupção, economia e segurança foram citados pelos entrevistados como as áreas de melhor desempenho do governo em seu primeiro ano. Por outro lado, saúde, educação e meio ambiente aparecem como áreas de pior desempenho da atual administração.

A pesquisa também perguntou aos entrevistados em quem votariam para as eleições presidenciais de 2020. No cenário espontâneo, em que não são apresentados nomes de candidatos aos eleitores, Bolsonaro lidera, com 29,1% das menções. Na segunda posição, aparece o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com 17%.

A pesquisa da CNT (Confederação Nacional dos Transporte) foi encomendada ao instituto MDA. O estudo ouviu 2.002 pessoas, de 15 a 18 de janeiro, em 137 municípios de 25 Unidades da Federação. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, segundo o instituto.

Com informações do InfoMoney

Bolsonaro manda mais R$ 8,4 milhões para a Saúde do Maranhão

(Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles)

O Ministério da Saúde reservou neste mês R$ 8,425 milhões para a ampliação do acesso de pacientes às cirurgias eletivas realizadas no SUS no Maranhão.

No total, em todo o país, foram R$ 250 milhões.

O objetivo é diminuir as filas para 53 tipos de procedimentos que incluem catarata, varizes, hérnia, vasectomia e laqueadura, além de cirurgia de astroplastia de quadril e joelho, entre outras com grande demanda.

Em 2018, segundo o Ministério da Saúde, foram realizadas pelo SUS cerca de 2,4 milhões de cirurgias eletivas em todo o país. Esses procedimentos cirúrgicos são os que não precisam ser realizados em caráter de urgência, podendo assim serem agendados. Em 2019, até outubro, foram registrados no sistema de informação do SUS 2 milhões de cirurgias em todos os estados brasileiros.

Os procedimentos de cirurgias eletivas fazem parte da rotina dos atendimentos oferecidos à população nos hospitais de todo o país, de forma integral e gratuita, por meio do SUS. As três cirurgias mais demandadas são oftalmológicas (para tratamento de catarata e de suas consequências e para tratamento de doenças da retina). Além dessas, também estão na lista cirurgias tais como aquelas para correção de hérnias e retirada da vesícula biliar.

Com o valor extra de R$ 250 milhões mais cirurgias eletivas poderão ser realizadas em 2020. Os gestores estaduais, municipais e do Distrito Federal, responsáveis pela organização e a definição dos critérios regulatórios que garantam o acesso do paciente aos procedimentos cirúrgicos eletivos, podem contar e se programar para utilização dos recursos de acordo com a população per capita de cada estado.

O valor total será disponibilizado no orçamento por meio do componente Fundo de Ações Estratégicas e Compensação (FAEC). O incentivo somente será liberado para os gestores após a apresentação de produção executada no sistema de informação do SUS e para aqueles que ultrapassarem o teto MAC (Média e Alta Complexidade) do município.

Do período de janeiro de 2017 a outubro de 2019, foram disponibilizados por meio de recursos do FAEC, o valor aproximado de R$ 1,1 bilhão para cirurgias eletivas. Além disso, as unidades federativas contam também com o valor do teto MAC (Média e Alta Complexidade) para realização das cirurgias nos municípios.

Do Blog do Gilberto Leda

Bolsonaro manda R$ 12,8 mi para Dino investir em escolas de tempo integral

O governo Jair Bolsonaro (PSL) autorizou nesta semana o envio de um reforço de R$ 12,8 milhões para a Educação do Maranhão.

O recurso é oriundo do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para reforma e funcionamento de escolas de ensino médio em tempo integral.

Serão R$ 10,2 milhões para obras e compra de equipamentos e R$ 2,6 milhões para custeio.

Veja tabela acima.

_______________Leia mais

Do Blog do Gilberto Leda

Bolsonaro destaca desempenho do porto maranhense após visita do governo

De O Estado

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), destacou em seu perfil, em rede social, o desempenho do Porto do Itaqui após uma visita técnica realizada pelo secretário-executivo do Ministério da Infraestrutura, Marcelo Sampaio, ao Complexo Portuário de São Luís.

Na publicação Bolsonaro deu ênfase ao potencial de movimentação financeira do porto federal, que é administrado pela Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap) por força do Convênio de Delegação nº 16/2000.

“Porto do Itaqui/MA ocupa o 1º lugar na movimentação de soja no Arco Norte e um dos principais do país. Entre janeiro e agosto de 2019, movimentou, no total, 16,2 milhões de toneladas, 18,20% a mais do que a carga movimentada no mesmo período de 2018. Confiança, reação dos investidores e produtores, maior giro de insumos e geração de empregos”, disse o presidente.

A visita técnica do Governo Federal no Complexo Portuário ocorreu na semana passada e foi coordenada por Marcelo Sampaio. No vídeo publicado pelo presidente da República, é Marcelo quem aparece com uma espécie de balanço do porto.

Além de visitar o Porto do Itaqui, Sampaio participou da cerimônia de desativação e entrega do edifício sede da Codomar (Companhia Docas do Maranhão), e conheceu o Terminal Marítimo de Ponta da Madeira. Em seguida ele embarcou para Alcântara, onde realizou visita ao Centro de Lançamento (CLA).

Portos

O primeiro porto visitado pelo representante do Governo Federal foi o Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, porto privado pertencente à Companhia Vale. O porto destina-se principalmente à exportação de minério de ferro. Em 2018, o terminal movimentou 198 milhões de toneladas, equivalente a 48% de todo minério exportado e 17% de toda a carga portuária do país. Para 2019, a expectativa é movimentar cerca de 208 milhões de toneladas.

“Nós tivemos a oportunidade de conhecer todo o centro de operação do terminal, como é feito o controle e a conexão do modal ferroviário com o modal portuário”, explicou Sampaio. “A gente tem uma das ferrovias mais eficientes do planeta e consegue entregar minério competitivo do outro lado do mundo, na China. Esse é o Brasil que dá certo e o que nós desejamos pra todo o território nacional”, disse Marcelo Sampaio, ao se referir à Estrada de Ferro Carajás, que faz conexão com o terminal.

Depois disso, ele visitou o Itaqui. “O presidente Jair Bolsonaro colocou como missão para o governo federal desburocratizar, desregulamentar e modernizar o estado brasileiro. E nós vimos aqui na Emap (Empresa Maranhense de Administração Portuária), que é a autoridade portuária local, nos terminais privados e em todo o complexo do porto, o potencial de crescimento nos próximos anos. Hoje é um dia importante porque mostra que a nossa disciplina e o método que o Ministério da Infraestrutura tem empregado desde janeiro têm gerado resultado”, resumiu o secretário.

Sampaio destacou o potencial do Itaqui no transporte de minério de ferro – 80,9% da movimentação em 2016 -. Bauxita, soja, alumina, derivados de petróleo e fertilizantes também integram a lista de produtos transportados pelo complexo.

“O porto é o terceiro maior do país em movimentação de grãos e é o principal do Arco Norte. A exportação desse ano já foi 20% maior que o ano passado e isso mostra a reação da nossa economia. Nosso papel é prover a infraestrutura adequada para que o Brasil continue crescendo”, finalizou, ao fazer referência do fluxo de exportação dos produtos brasileiros para a China.

Saiba Mais

Durante uma audiência presencial realizada no mês de julho em São Luís, o diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Mário Povia, afirmou que a expectativa da agência é de que o leilão de quatro áreas de movimentação de granéis líquidos do Porto do Itaqui sejam leiloadas até o primeiro trimestre de 2020. As áreas são utilizadas para a movimentação de combustíveis.

Bolsonaro exalta caminhoneiro feliz com asfaltamento da BR-135 no MA

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) compartilhou neste domingo (27) um vídeo de um caminhoneiro comemorando o asfaltamento de trecho da BR-135 no Maranhão.

A pavimentação está sendo concluída no trecho entre Alto Alegre (Caxuxa) e Miranda do Norte.

“O @MInfraestrutura com o Ministro @tarcisiogdf , trabalha na BR-135/MA, entre os municípios de Miranda do Norte e Alto Alegre. Serão investidos R$ 64 milhões em 5 anos. Muitas outras obras são realizadas dia e noite com o @exercitooficial“, destacou o presidente.

Veja a reação do caminhoneiro:

Do Blog do Gilberto Leda

Ministro de Bolsonaro apresenta obras prioritárias de infraestrutura para o MA

A adequação da BR-135, no trecho Estiva – entroncamento BR-222 (Miranda do Norte), construção de trecho BR-226/316 (Timon – Montevideo) e reforma e reaparelhamento de aeroportos regionais são algumas das obras prioritárias de interesse do Maranhão, anunciadas ontem pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, durante reunião com representantes das bancadas do Nordeste no Congresso Nacional.

O ministro elencou diversas obras da pasta para o Nordeste, abrangendo empreendimentos rodoviários, aquaviários e a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL), além de aeroportos regionais. Serão necessários mais de R$ 2,5 bilhões em investimentos públicos para os nove estados da região. Parte significativa dos recursos precisa vir de emendas parlamentares.

Freitas participou de café da manhã, no Senado Federal, a convite do senador Marcelo Castro (MDB/PI), presidente da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO). Castro manifestou preocupação com o que considerou o “orçamento mais restritivo da história”, referindo-se ao Projeto da Lei Orçamentária Anual (PLOA) 2020.

Um dos objetivos do encontro era alinhar as emendas impositivas (individuais e coletivas) que serão apresentadas por deputados e senadores às políticas públicas prioritárias, buscando reduzir o montante de obras inacabadas e reforçando a participação do Legislativo no processo de alocação orçamentária.

Para o ministro da Infraestrutura, as emendas impositivas devem ser vistas como “oportunidade muito bem-vinda” para resgatar o papel do orçamento como instrumento de planejamento, além de fomentar o diálogo entre os poderes Executivo e Legislativo. “De fato, seremos sócios”, disse Freitas. “Vamos prestigiar as emendas e honrá-las, fazendo a entrega das obras”, afirmou.

O ministro destacou que a alocação prioritária de recursos da pasta obedece a três premissas: obras estratégicas, em função do seu impacto econômico; obras em andamento e que, portanto, precisam ser concluídas; e obras com necessidade de manutenção.

Também estiveram presentes no encontro o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio; o presidente da Funasa, Ronaldo Nogueira; o secretário especial do Desenvolvimento Social do Ministério da Cidadania, Lelo Coimbra; parlamentares e coordenadores das bancadas dos estados nordestinos.

Obras prioritárias no Maranhão:
– BR-135: adequação de trecho Estiva – entroncamento BR-222 (Miranda do Norte)
– BR-226/316: construção de trecho (Timon – Montevideo)
– Reforma e reaparelhamento de aeroportos regionais

De O Estado

Bolsonaro passa por exames e fará nova cirurgia: “dez dias de férias”

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) indicou que deverá ficar “uns dez dias” afastado do cargo. Em publicação feita em suas redes sociais hoje, ele mostrou uma foto em que aparece ao lado dos médicos Leandro Echenique e Antonio Macedo.

O presidente deverá passar por nova cirurgia, segundo a GloboNews, por conta de uma hérnia no local da operação anterior. Procurado, o Planalto ainda não tem detalhes a respeito da condição médica do político.

Macedo lidera a equipe que acompanha Bolsonaro desde as cirurgias em razão do atentado que o político sofreu durante a campanha presidencial em Juiz de Fora (MG). O ataque completa um ano no próximo dia 6 de setembro.

“Agora em São Paulo com os Drs. Macedo e Leandro. Pelo que tudo indica ‘curtirei’ uns 10 dias de férias com eles brevemente”, escreveu.

Bolsonaro viajou hoje em São Paulo para participar de um culto no Templo de Salomão, da Igreja Universal do Reino de Deus. Ele não fez declarações durante a cerimônia religiosa.

Filho do presidente, o vereador carioca Carlos Bolsonaro (PSC) já disse nas redes sociais que estará junto ao pai. “Tudo vai dar certo”. Outro filho do político, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), disse que seu pai “estará em excelentes mãos”.

UOL entrou em contato com Macedo, ele não atendeu as ligações. A cirurgia deverá ser realizada no hospital Vila Nova Star, em São Paulo. A reportagem ainda não conseguiu contato com o hospital.

Do Uol

“Esteve tudo bem. Até almocei”, disse Dino, após reunião com Bolsonaro

Do site Metrópoles – Ao sair da reunião com o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e demais chefes de Estado da Amazônia Legal, nesta terça-feira (27/08/2019), o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), disse que não teve clima ruim com o presidente ou algum resquício do episódio em que foi chamado de “governador paraíba” por Bolsonaro. “Esteve tudo bem. Até almocei”, brincou Dino.

Vale lembrar que o governador foi o último a chegar, com a reunião em curso, e o primeiro a sair do almoço oferecido por Bolsonaro ao fim da reunião, no Palácio do Planalto. Sendo assim, teve pouco ou quase nenhum tempo com Bolsonaro fora dos holofotes.

Dino silencia após Bolsonaro dizer que vai investigar sua gestão na Embratur

Sempre ativo nas redes sociais, inclusive se metendo em polêmicas desnecessárias, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), optou pelo silêncio sobre o fato do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), ter dito que iria determinar uma investigação na gestão de Dino quando comandou a Embratur.

Na semana passada, na sua última live, Bolsonaro assegurou que determinou a abertura de investigação em um contrato sobre a campanha “Brasil Quest”, um jogo eletrônico desenvolvido para promover no exterior as cidades-sedes da Copa do Mundo de Futebol de 2014, realizada no Brasil.

A campanha foi realizada em 2012, período em que Flávio Dino comandava a Embratur, que teria sido a responsável pela campanha que custou algo em torno de R$ 6 milhões.

“Estamos investigando, tinha um presidente da Embratur na época, não vou falar o nome dele aqui. Pelo que parece, ele está na política ainda. Vamos investigar isso aqui e qualquer irregularidade nós vamos acionar quem de direito para cobrar os prejuízos causados aos nosso cofres públicos”, afirmou. Veja o vídeo abaixo:

Flávio Dino optou pelo silêncio sepulcral e não comentou o assunto.

Por: Jorge Aragão

Governo Flávio Dino comemora concessão da Norte-Sul assinada por Bolsonaro

Diferentemente do que tenta emplacar o governador Flávio Dino (PCdoB) com base numa declaração de bastidor do presidente Jair Bolsonaro (PSL), orientando o ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil) a restringir repasses do Governo Federal, especificamente, para a sua gestão no Maranhão, o estado não tem sofrido perseguição política e econômica, mas, sim, sido beneficiado pelo governo do capitão reformado do Exército.

A constatação pode ser observada numa publicação feita no site institucional do próprio governo maranhense, na quinta-feira 1º, em que o secretário de Indústria, Comércio e Energia de Dino, Simplício Araújo, comemora a assinatura do contrato de concessão de trecho da Ferrovia Norte-Sul, conhecida como espinha dorsal do sistema ferroviário brasileiro, feita por Bolsonaro no final do mês de julho, em Anápolis (GO), após décadas de muita discussão e promessas de governos anteriores.

Segundo Simplício Araújo, com o ato, o Maranhão passa a ter consolidado seu escoamento da produção e logística.

“Este novo trecho contribuirá para o vetor Norte de exportação de grãos e a ligação entre o Porto de Santos e o Itaqui. Vários negócios e expansões que contribuem para o desenvolvimento do Maranhão precisam dessa integração ferroviária, sem falar no custo logístico, o que vai consolidar certamente o escoamento de produção e transporte de diversas cargas pelo Maranhão”, celebrou.

No Maranhão, o trecho entre São Luís-Açailândia, interligado pela ferrovia Carajás e Açailândia-Porto Nacional (TO), está em total operação. Com a expansão da ferrovia nos tramos central e sul, entre os trechos do Porto Nacional (TO) e Estrela d’Oeste (SP), a tendência é de aumento da busca pela saída pelo Porto de Itaqui e demais portos já instalados ou se instalando, como é o caso do Porto São Luis.

Além de desmontar a versão de perseguição ao Maranhão fabricada por Flávio Dino, a comemoração do secretário de Indústria, Comércio e Energia da gestão comunista sugere ainda que, para o titular da Seinc, merece mais crédito os compromissos assumidos pelo presidente da República do que o diz governador do Estado.

Pelo Twitter, logo após a orientação de Jair Bolsonaro a Onyx Lorenzoni ser tornada pública, Flávio Dino escreveu que, “independentemente de suas opiniões pessoais, o presidente da República não pode determinar perseguição contra um ente da Federação”. “Seja o Maranhão ou a Paraíba ou qualquer outro Estado. ‘Não tem que ter nada para esse cara’ é uma orientação administrativa gravemente ilegal”, argumentou.

Já Bolsonaro, também no Twitter, postou dias antes de assinar o contrato de concessão de trechos da Norte-Sul: “Em 2 anos o porto de Itaqui, no Maranhão, estará ligado, por ferrovia, ao porto de Santos. Em 4 anos faremos muito pelo Brasil e o até então esquecido Nordeste, apesar da mídia e alguns governadores”.

Do Atual 7