Bacelar entrega Plano voltado ao Nordesde ao Ministro de Minas e Energia durante seminário internacional no RJ

 

Durante a solenidade de encerramento do Seminário Internacional de Hidrogeologia e Cartografia Hidrogeológica realizado na última semana, no Escritório do Rio de Janeiro do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), o Ministro de Minas e Energia (MME), Bento Albuquerque afirmou que a CPRM passará a atuar também no setor de Petróleo e Gás.

“O Serviço Geológico do Brasil tem um papel fundamental na dinamização do setor mineral, dispondo de robusto banco com informações geofísicas, geoquímicas e geológicas. E até por isso, a CPRM passará a inserir suas atividades também na pesquisa de Petróleo e Gás. Destaco também e isso é um dos motivos que eu mais tive interação com a CPRM, o trabalho extraordinário que realizam em benefício da sociedade na prevenção de desastres naturais”, disse.

O Ministro enfatizou a importância do trabalho dos técnicos, analistas e pesquisadores em Geociências. “Eu tenho orgulho como brasileiro e também como Ministro de Estado de poder acompanhar, conviver e de certa forma participar dos importantes serviços que as senhoras e os senhores prestam ao Brasil”, acrescentou.

A abertura da cerimônia contou com discurso do diretor-presidente da CPRM, Esteves Colnago, que ressaltou o comprometimento da empresa com o desenvolvimento do Brasil. Colnago frisou também o papel dos Serviços Geológicos como provedores do conhecimento geocientífico. Segundo ele, essas instituições disponibilizam o conhecimento necessário para fundamentar o desenvolvimento sustentável das nações e a qualidade de vida da população.

Por sua vez, o Secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral do MME, Alexandre Vidigal, salientou o comprometimento da CPRM com a ciência. “Se não bastasse o reconhecido trabalho que fazem no aspecto operacional, preocupam-se também em adquirir conhecimento e fazer ciência, cumprindo assim a integralidade do papel da empresa”, destacou.

Também compôs a mesa o secretário geral da Associação dos Serviços de Geologia e Mineração Ibero-americanos (ASGMI), Vicente Gabaldón, que falou sobre o protagonismo da CPRM nas Geociências e agradeceu pela cessão do espaço para a realização do Seminário. O embaixador e diretor executivo da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), Carlos Lazary, abordou a importância de fortalecer a gestão integrada dos Recursos Hídricos nos países transfronteiriços da região amazônica. Durante a solenidade, ele entregou ao Ministro o Programa de Ações Estratégicas da OTCA.

Oscar Paredes Zapata, presidente da ASGMI e diretor-geral do Serviço Geológico Colombiano, frisou, em sua fala, os sistemas robustos que a CPRM possui para o estudo dos recursos hídricos subterrâneos e enfatizou a relevância das atividades executadas pela empresa. “É uma instituição que nasceu para servir à sociedade com o poder transformador das Ciências da Terra. E há 50 anos cria e divulga com excelência o conhecimento geocientífico do Brasil”, relatou.

Marcaram o encerramento do evento, a assinatura do Acordo Interinstitucional entre a CPRM e a ASGMI para elaboração do Mapa Hidrogeológico da América do Sul e a entrega de uma placa em celebração aos 50 anos da CPRM por parte do Serviço Geológico Argentino (SEGEMAR).

Entrega de Documento

O diretor de Hidrologia e Gestão Territorial da CPRM, Antônio Bacelar, e o diretor-presidente Esteves Colnago entregaram ao Ministro e ao Secretário de Geologia do MME um Plano Estratégico dos Recursos Hídricos no Nordeste Brasileiro, que propõe medidas para aumento da oferta de água nesta região do país.

Ministro Bento Albuquerque recebeu o Plano Estratégico dos Recursos Hídricos no Nordeste Brasileiro

O documento fomenta a execução de obras e pesquisas destinadas à ampliação das águas subterrâneas no nordeste brasileiro, com foco nas áreas mais atingidas pelas estiagens. Entre as intervenções, destacam-se: implantação de uma rede estratégica de poços fundos; execução de poços inclinados nas rochas duras e a revitalização de poços visando o aumento de suas produtividades. O projeto foi elaborado pelo chefe do Departamento de Hidrologia (DEHID) da CPRM, Frederico Peixinho, e pelo chefe da Divisão de Hidrogeologia e Exploração (DIHEXP), João Diniz.

O diretor de Geologia e Recursos Minerais (DGM) da CPRM, José Andriotti, também entregou ao Ministro e ao Secretário de Geologia do MME os produtos desenvolvidos pela DGM, lançados durante a atual gestão.

E recebeu explicações do diretor de Hidrologia e Gestão Territorial da CPRM, Antônio Bacelar

Em comemoração aos 50 anos da empresa, uma homenagem foi prestada às filhas do ex-ministro de Minas e Energia Antonio Dias Leite (in memoriam), um dos fundadores da CPRM. Na ocasião, o Ministro Bento fez ainda a entrega de uma placa à Ana Dias Leite e Maria Cristina Dias Leite. O Museu de Ciências da Terra, sob gestão da CPRM, possui uma exposição dedicada a Dias Leite que busca resgatar a memória e preservar o legado do professor, destacando sua contribuição para o crescimento dos setores de energia e mineração no país.

O Ministro Bento Albuquerque e o secretário geral da ASGMI Vicente Gabaldón entregaram os certificados aos pesquisadores ibero-americanos, que participaram do Seminário Internacional de Hidrogeologia e Cartografia Hidrogeológica.

Da Assessoria de Comunicação da CPRM

Bolsonaro passa por exames e fará nova cirurgia: “dez dias de férias”

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) indicou que deverá ficar “uns dez dias” afastado do cargo. Em publicação feita em suas redes sociais hoje, ele mostrou uma foto em que aparece ao lado dos médicos Leandro Echenique e Antonio Macedo.

O presidente deverá passar por nova cirurgia, segundo a GloboNews, por conta de uma hérnia no local da operação anterior. Procurado, o Planalto ainda não tem detalhes a respeito da condição médica do político.

Macedo lidera a equipe que acompanha Bolsonaro desde as cirurgias em razão do atentado que o político sofreu durante a campanha presidencial em Juiz de Fora (MG). O ataque completa um ano no próximo dia 6 de setembro.

“Agora em São Paulo com os Drs. Macedo e Leandro. Pelo que tudo indica ‘curtirei’ uns 10 dias de férias com eles brevemente”, escreveu.

Bolsonaro viajou hoje em São Paulo para participar de um culto no Templo de Salomão, da Igreja Universal do Reino de Deus. Ele não fez declarações durante a cerimônia religiosa.

Filho do presidente, o vereador carioca Carlos Bolsonaro (PSC) já disse nas redes sociais que estará junto ao pai. “Tudo vai dar certo”. Outro filho do político, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), disse que seu pai “estará em excelentes mãos”.

UOL entrou em contato com Macedo, ele não atendeu as ligações. A cirurgia deverá ser realizada no hospital Vila Nova Star, em São Paulo. A reportagem ainda não conseguiu contato com o hospital.

Do Uol

STF arquiva pedido do PT contra Moro no caso dos hackers

Agência Estado

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia decidiu acolher o pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e determinou o arquivamento do pedido de abertura de uma investigação criminal contra o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, por conta de sua atuação na Operação Spoofing, que apura a invasão de celulares e obtenção de dados de autoridades por meio do aplicativo Telegram.

O pedido de abertura de investigação foi apresentado ao STF pela presidente nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), pelo deputado Paulo Pimenta (PT-RS) e pelo senador Humberto Costa (PT-PE), que acusam Moro da prática dos crimes de abuso de autoridade, violação de sigilo funcional e supressão de documento.Os petistas alegam que Moro usou dados obtidos de uma investigação sigilosa para “benefício próprio e até mesmo sugerir a destruição de provas”, o que demonstraria ingerência do ministro nas investigações da Polícia Federal. Também contestam a conduta de Moro de telefonar para diversas autoridades para informá-las de que elas foram alvos de interceptações ilegais e sinalizar que o material obtido seria destruído.

“Consolidada é a jurisprudência deste Supremo Tribunal no sentido de ser irrecusável o pedido de arquivamento do Procurador-Geral da República, como decorrência da prerrogativa constitucional da exclusiva titularidade da ação penal”, escreveu Cármen Lúcia em sua decisão.

“Anote-se que, nos termos do art. 18 do Código de Processo Penal, o arquivamento deferido com fundamento na ausência de provas suficientes não impede novo pedido de investigação, se futuramente surgirem novos indícios”, observou Cármen.

Com gol e assistência, Elkeson brilha e se torna o maior artilheiro da história do Campeonato Chinês

Uma partida histórica para Elkeson. Assim é possível definir a vitória do Guangzhou Evergrande por 3 a 1 sobre o Beijing Guoan. O brasileiro marcou seu gol, deu assistência e, de quebra, se tornou o maior artilheiro da história do Campeonato Chinês, com 103 gols, ultrapassando Wu Lei, ex-Shanghai SIPG e que hoje defende o Espanyol, da Espanha.

Esse é o segundo recorde de Elkeson na China. Em 2014, ele marcou 26 gols no torneio nacional, se tornando o jogador que balançou as redes em uma única edição. Com a vitória, o Guangzhou Evergrande disparou na liderança, chegando aos 58 pontos e deixando o próprio Beijing Guoan na segunda posição, com 51. Elkeson falou sobre a sensação de marcar o gol que, mais uma vez, deixa seu nome na história do futebol chinês.

– Fico muito feliz por mais esse momento que estou vivendo aqui na China, pelo gol marcado e pela vitória da nossa equipe. Já tinha o recorde de gols em uma única edição pelo Guangzhou e, de novo aqui, bato mais essa marca, de maior artilheiro do Campeonato Chinês. É fruto de muito trabalho, de dedicação e só tenho a agradecer todo o carinho que o povo chinês me deu. Espero que possa sempre estar em evolução para conquistar mais coisas aqui – afirmou.

O Guangzhou Evergrande volta a campo na próxima quinta-feira (15/08), às 08h35, para enfrentar o Chongqing Dangdai. O atacante também falou sobre a vitória sobre o vice-líder e a sequência da temporada.

– Sabíamos que seria um jogo muito difícil, fora de casa, contra uma equipe muito forte que liderou a competição por muito tempo. Soubemos impor o nosso estilo de jogo e, graças a Deus, voltar com os três pontos pra casa. Agora é descansar e já pensar no próximo adversário para mantermos a pegada e seguirmos fortes na liderança do torneio – concluiu.

Do Lance

Comissão de Direitos Humanos aprova que agressor de mulher não pode ocupar cargo público

A Comissão de Direitos Humanos (CDH) aprovou nesta quinta-feira (8) quatro projetos que aumentam as punições para agressores enquadrados na Lei Maria da Penha (Lei 11.340, de 2006). Os senadores foram favoráveis ao impedimento de nomear agressores domésticos para cargos públicos; à indenização por danos morais a agredidas; à obrigatoriedade de o agressor frequentar reabilitação; e ao sigilo obrigatório para todos os processos criminais e cíveis abertos com base na Lei Maria da Penha.

Os projetos foram aprovados em bloco. Autor da proposta que impede a nomeação dos agressores (PL 1.950/2019), o senador Romário (Podemos-RJ) explicou no seu relatório que é preciso adotar medidas para desestimular potenciais agressores. A relatora, senadora Leila Barros (PSB-DF), acrescentou que não cabe ao poder público acolher em seus quadros agressores condenados pela prática de violência doméstica e familiar contra a mulher.

“Excluir agressores em cumprimento de pena do serviço público atende ao princípio da moralidade, considerando que a prática de violência contra a mulher e doméstica e familiar pode ser considerada uma mácula que compromete a integridade ética, tornando a pessoa incompatível com a idoneidade moral e a reputação ilibada que se esperam de servidor”, defendeu Leila.

Indenização

Também foi aprovado pela CDH o projeto que prevê o pagamento de indenização por danos morais decorrentes de prática de violência contra a mulher (PL 1.380/2019). Esse pagamento pode ser determinado pelo juiz entre as medidas protetivas de urgência, independentemente de instrução probatória.

Pelo texto original, a vítima poderá fazer um pedido expresso de indenização ao juiz, independentemente da apresentação de provas sobre a violência praticada. Além dessa indenização, o depósito judicial de uma caução provisória por perdas e danos materiais deverá ser inserido no rol de medidas protetivas de urgência a serem determinadas pela Justiça.

A relatora na CDH, senadora Mailza Gomes (PP-AC), recomendou a aprovação da proposta com uma emenda que buscou deixar expressa a competência do juiz do caso para fixar o valor dessa indenização.

Segredo de Justiça

Outra proposta aprovada pela CDH torna obrigatório o segredo de Justiça para processos sobre violência doméstica e familiar contra a mulher (PL 1.822/2019). Hoje em dia, esse segredo depende da avaliação do juiz, salvo as exceções estabelecidas em lei.

Ao apresentar o projeto, o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) disse que a publicidade nos processos que envolvem a violência doméstica e familiar contribuem para a revitimização da mulher, uma vez que a expõe a constrangimento social, situação agravada pelos recursos tecnológicos que praticamente impossibilitam o resguardo de sua intimidade e a proteção de sua vida íntima.

Reabilitação

Na semana em que se comemoram os 13 anos da Lei Maria da Penha, a CDH também aprovou o Substitutivo da Câmara (SCD 11/2018) ao projeto de lei (PLS 9/2016) que obriga agressores de mulheres a frequentar centros de educação e de reabilitação por decisão judicial.

A matéria já tinha sido aprovada pelo Plenário do Senado, mas como os deputados incorporaram mudanças ao texto, o conteúdo retornou para análise na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado.

A Lei Maria da Penha já estabelece que entre as medidas de proteção à mulher agredida estão a separação do agressor e o afastamento da vítima do lar, sem prejuízos aos direitos de bens, guarda de filhos e alimentos.

Como relator, o senador Arolde Oliveira (PSD-RJ) observou que cabe ao Senado acatar as emendas aprovadas pelos deputados ou manter o texto original, sem a possibilidade de fazer subemendas.

Ele considerou em seu voto que as mudanças promovidas pela Câmara não modificaram o propósito do projeto original. “O substitutivo também acrescentou entre as medidas protetivas de urgência, o acompanhamento psicossocial do agressor, por meio de atendimento individual e/ou em grupo de apoio”, exemplificou.

Por considerar que houve melhorias no texto, ele emitiu parecer favorável, recomendando a aprovação do substitutivo: “A frequência a esses grupos de apoio e reeducação não apenas contribui para reduzir as reincidências, mas concorre também para a proteção emocional do próprio agressor, que terá oportunidade de se reeducar para conviver melhor com a sociedade em geral e com sua família em particular”.

As três primeiras propostas seguem para ser votadas pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Já o SCD 11/2018, seguirá direto para o Plenário do Senado.

Morre a atriz Ruth de Souza, aos 98 anos

Ruth de Souza, considerada uma das grandes damas do teatro brasileiro, morreu hoje no Rio de Janeiro. A atriz de 98 anos estava internada no hospital Copa D’Or desde a semana passada.

Ao UOL, Claudia Mastrang, jornalista e amiga da atriz, informou que ela morreu em decorrência de uma piora em seu quadro de pneumonia. De acordo com o boletim do hospital, a atriz morreu às 11h20 de hoje. Ainda não há informações sobre velório.

Com mais de 60 anos de carreira na televisão, ela foi a primeira atriz negra a protagonizar uma telenovela: A Cabana do Pai Tomás (1969), na Globo. Entre seus outros trabalhos na TV estão O Rebu (1974), Sinhá Moça (1986), Mandala (1987), O Clone (2001) e Senhora do Destino (2004). Fez mais de 25 peças teatrais e mais de 30 novelas.

A mais recente participação dela na TV foi no ano passado em Mister Brau e na série Se Eu Fechar os Olhos Agora. Neste ano, Ruth foi homenageada pela escola de samba Acadêmicos de Santa Cruz durante desfile da série A do Carnaval do Rio.

Da Uol

Dodge questiona vazamentos e se manifesta contra soltura de Lula

Folha de S. Paulo

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, encaminhou nesta sexta-feira (21) ao STF (Supremo Tribunal Federal) parecer contrário ao pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para anular sua condenação no caso do tríplex de Guarujá.

Diálogos divulgados pelo site The Intercept Brasil envolvendo a atuação do ex-juiz e hoje ministro Sergio Moro (Justiça) fizeram a Segunda Turma do Supremo desengavetar um pedido de Lula pela anulação do processo que levou o petista à prisão em abril do ano passado.

A solicitação foi feita sob o argumento de que Moro não foi imparcial na análise do caso. O pedido foi reforçado por petição apresentada no dia 13 pela defesa de Lula. Eles dizem que as conversas de Moro e Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato, revelam “completo rompimento da imparcialidade” do ex-juiz.

A ação está na pauta do STF de terça-feira (25), mas, conforme informou a coluna de Mônica Bergamo, na Folha, há possibilidade de adiamento. A decisão deve ser tomada durante a sessão.

Do Blog do Gilberto Leda

Bolsonaro diz que chance de demitir Moro “é zero”

Agência Estado

O presidente Jair Bolsonaro afirmou ontem que é “zero” a possibilidade de demitir o ministro da Justiça, Sérgio Moro, diante do vazamento de conversas atribuídas ao então juiz sobre detalhes da Operação Lava Jato. Em café da manhã com jornalistas, do qual o Estado participou, Bolsonaro disse ainda que mantém a promessa de indicar o auxiliar ao Supremo Tribunal Federal. “É uma possibilidade muito grande.”

Segundo o presidente, a revelação dos diálogos não compromete o ministro. Ele disse acreditar que Moro seria o primeiro a lhe dizer que fez algo errado. “Ele não inventou nada. Não inventou provas. Ele não precisa inventar provas. Ele trocou diálogos com algumas pessoas”, disse Bolsonaro. “Acredito nele. E o Brasil deve muito a Moro”, declarou o presidente.

A divulgação das supostas mensagens trocadas entre Moro e Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato em Curitiba, causou desgaste político ao ex-juiz e atual ministro da Justiça e levou o corregedor do Conselho Nacional do Ministério Público a instaurar um procedimento preliminar para apurar “eventual desvio na conduta” do procurador e de outros membros da força-tarefa em Curitiba.

Segundo reportagem publicada domingo pelo site The Intercept Brasil, diálogos mostrariam que Moro teria orientado investigações da Lava Jato por meio de mensagens entre 2015 e 2018. O site – que tem entre seus fundadores Glenn Greenwald, americano radicado no Brasil que é um dos autores da reportagem – afirmou que recebeu o material de fonte anônima. O Estado não teve acesso à íntegra das mensagens.

Após o vazamento, Moro se tornou alvo da oposição, que tenta reunir apoio para instaurar uma CPI no Congresso para investigar o caso (mais informações nesta página). Em entrevista ao Estado publicada ontem, o ministro afirmou não ver ilicitude nos diálogos e disse que conversava “normalmente” também com advogados e delegados, inclusive por aplicativos.

Apoio

Bolsonaro repetiu o argumento ontem aos jornalistas. “Não vejo maldade do lado de cá em advogado conversar com policial, promotor, e apresentar denúncia robusta. Tem que conversar para resolver o problema”, disse.

O presidente demorou quatro dias para se pronunciar sobre o caso e chegou a interromper uma entrevista na terça-feira ao ser questionado sobre o tema. A mudança de postura levou em consideração o apoio popular a Moro.

Conforme mostrou ontem o Estado, monitoramento das redes sociais recebido pelo Palácio do Planalto apontou que apoiadores do presidente passaram a defender o ministro quando falavam do episódio e o que importava para eles era que “bandidos estão presos”.

“Após o vazamento, fui no evento da Batalha Naval do Riachuelo. Estivemos juntos. Depois ele vestiu a camisa do Flamengo e foi ovacionado. São gestos que valem mais do que palavras”, disse Bolsonaro. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Trump detona prefeito de Nova Yorque e vinga Bolsonaro

Trump detona prefeito de Nova Yorque e vinga Bolsonaro

Ao dar uma lapada em Sadiq Khan no Twitter, Donald Trump aproveitou para vingar indiretamente Jair Bolsonaro:

“Khan me lembra muito o nosso próprio cretino e incompetente prefeito de Nova York, (Bill) de Blasio, que também fez um trabalho péssimo – mas com a metade do tamanho dele.”

Bill de Blasio comemorou, recentemente, o cancelamento de uma viagem do presidente do Brasil a sua cidade (reveja). Antes, ele já havia dito que Bolsonaro era um “ser humano perigoso”.

Sadiq Khan, que tem 1,65m de altura, é o prefeito de Londres.

Trump, o presidente americano, chegou hoje ao Reino Unido em uma visita oficial de três dias na qual se reunirá com a rainha Elizabeth II e com a primeira-ministra, a conservadora Theresa May, entre outras personalidades.

Em uma primeira mensagem postada na sua conta do Twitter, disse que “se olhar para onde se olhar, Sadiq Khan fez um trabalho terrível como prefeito de Londres, foi ‘desagradável’ com o presidente dos Estados Unidos, de longe o aliado mais importante do Reino Unido”. Trump acrescentou nessa mesmo mensagem que o político trabalhista “é um perdedor que deveria se concentrar na criminalidade de Londres, não em mim…”.

Com informações de O Antagonista e do Uol.

Gabriel Diniz participaria de surpresa para a noiva

Gabriel Diniz participaria de surpresa para a noiva

O cantor Gabriel Diniz participaria de uma surpresa para a noiva, Karoline Calheiros, que faz aniversário nesta segunda-feira (27).

Ela o aguardava em Maceió, com alguns familiares dele.

artista acabou morrendo a caminho da festa, num acidente aéreo.

Ele partira de Feira de Santana (BA), onde havia se apresentado na noite de ontem (26).

Num vídeo que circula na internet, Gabriel Diniz aparece momentos antes da decolagem agradecendo a um certo Jonas Lira, supostamente pelo empréstimo da aeronave.

Do Blog do Gilberto Leda