Fiasco Total! SINTASP paga mico durante durante Ato Público no Banco do Brasil

O presidente do Sindicato dos Servidores Público – SINTASP, Izaque Vale, pagou o maior mico na manhã desta segunda (30), durante realização do Ato Público em protesto ao atendimento do Banco do Brasil.

A convocação feita pela entidade para tentar dar satisfação a população diante da inércia no que se refere ao direito dos trabalhadores não vingou e mostra quão fraco anda o prestígio da entidade em solo tupiniquim.

Durante sua fala, o presidente do SINTASP Izaque Vale falou praticamente para ele mesmo, com a cara visivelmente desapontado com fiasco do movimento.

Se estivesse lutando pelos direitos dos inúmeros servidores que estão tendo seus direitos tolhidos pelo atual governo, talvez o número de pessoas fosse maior.

Em dúvida alguma, um vexame!

Pressão! Após critica, SINTASP cria blog de última hora e justifica ausência da festa do professor…

O presidente “tampão” da entidade Izaque Vale e o “patrão” e prefeito Américo de Sousa: subserviência escancarada

Após repercussão extremamente negativa da postagem feita por esse blog em que “presidente tampão” do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais da Microrregião de Coelho Neto – SINTASP, Izaque Vale, aparece ladeado com o “patrão-prefeito” Américo de Sousa (PT), a entidade resolveu reagir para tentar minimizar o estrago.

Fora da mídia e extremamente queimados pela inoperância na defesa dos servidores desde que o “patrão-petista” se tornou prefeito, a entidade sindical vem se esforçando a todo custo para mostrar serviço e tentar minimizar o desgaste.

O primeiro teste fracassou. Durante a última semana convocaram uma Assembleia para tratar do atendimento do Banco do Brasil cujo convite foi simplesmente ignorado pela classe. Com o questionamento do blog, o sindicato não só criou um blog de última hora, como justificou a ausência da tradicional festa promovida pela entidade em tempos de outrora.

A desculpa dada é a construção das piscinas que só não tem demorado mais do que a reforma das escolas feita pelo prefeito, que se arrastam na mesma proporção da morosidade do governo. A festa que até então ninguém tinha sequer mencionado foi lembrada e segundo comunicado deve ficar para o dia do servidor público, no próximo dia 28.

Tão perdido ou não estão?

O retrato da subserviência do SINTASP…

O presidente “tampão” da entidade Izaque Vale com o “patrão” e prefeito Américo de Sousa na mesma mesa: o retrato da subserviência e as voltas que o mundo dá. Foto: Portal da Prefeitura

Ao longo dos anos, o Sindicato do Servidores Públicos Municipais – SINTASP sempre procurou manter uma distância das administrações que passaram. Foi assim na gestão da ex-prefeita Márcia Bacelar, continuou na gestão do ex-prefeito Magno Bacelar e se perpetuou nos dois mandatos do ex-prefeito Soliney Silva.

Os discursos do SINTASP sempre foram de manter distância das administrações para que segundo eles, os papéis não fossem confundidos, além de estarem em lados opostos da mesa. Para se ter uma idéia da dificuldade de convivência, até a festa de professores era feito de forma individualizada, mais requintada em tempos de eleição se não falha a memória.

O SINTASP se excluía de participar de qualquer ação e quando se fazia presente, quase nunca de forma oficial. Poucas vezes a figura do presidente do sindicato foi vista numa mesa oficial e quando essa figura era representada na gestão do então presidente Américo de Sousa (PT), esse momento sequer existiu até onde se tem notícia. Tirar foto com o prefeito então era até um crime.

Nesse interim o SINTASP cobrava, exigia, reivindicava de forma veemente contra todos os governos. Desde que o ex-presidente da entidade se tornou prefeito, a coisa mudou de figura e a entidade passou a adotar uma atuação de total subserviência ao Poder Executivo.

Hoje, o sindicato fecha os olhos a direitos da classe que estão sendo surrupiados (como o caso da retirada do auxílio transporte de professores contratados que trabalham na zona rural), as aulas de sábado que no governo passado eram bombardeadas, foram recebidas de maneira pacífica mesmo com um calendário imposto pela Secretaria de Educação e chegando ao cúmulo de recuar passar cópia de documentos que os associados tem direito.

Ontem (13), durante o café da manhã feito para os professores na Maçonaria, o presidente “tampão” Izaque Vale fez questão se sentar-se à mesa acompanhado do “patrão” Américo de Sousa e pousar para fotos, contrariando os fatos e a própria história da entidade que antes não podia, mas que hoje tudo pode.

E a festa dos professores individualizada? Essa é coisa do passado, hoje é tudo junto e misturado se quiserem. E sem qualquer constrangimento.

Quem não era o SINTASP e no que a entidade não se tranformou hoje?

Cômico se não fosse trágico…

Reunião convocada pelo SINTASP para tratar do Banco do Brasil é um fiasco!

Desmoralizado com a classe que representa, o Sindicato dos Servidores do Serviço Público Municipal – SINTASP deu uma demonstração clara que nem longe parece o mesmo.

Ajoelhado diante do governo “do chefe” e com a pauta dos servidores morfando dentro de uma gaveta, a entidade decidiu repentinamente se preocupar com o atendimento bancário (que sequer administra a folha de servidores) e convocou para esta terça (10), uma reunião para tratar do assunto.

A surpresa do movimento convocado pelo presidente “tampão” da entidade Isaque Vale foi uma reunião com 14 pessoas. Um verdadeiro fiasco! Isso mesmo, a tentativa de se mostrar útil para a comunidade não vingou.

Na verdade a ausência das pessoas pode ser considerado como uma resposta dos servidores a inércia que vem transformando a entidade sindical num “puxadinho do executivo”.

É SINTASP, quem te viu, quem te vê! Pelo visto vai descer ladeira abaixo igual o “governo do chefe”…

Perdido, SINTASP deixa pauta dos servidores e marca reunião para tratar do Banco do Brasil

O presidente “tampão” do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público de Coelho Neto – SINTASP, Izaque Vale, deu mostras claras de que está mais perdido no comando da entidade do que cego em tiroteio.

Com a pauta de reivindicações dos servidores trancada na gaveta, o presidente decidiu convocar uma reunião para esta terça (10), para “discutir providências a serem tomadas referente à má-prestação de serviços ofertados pelo Banco do Brasil na cidade”. Seria cômico se não fosse trágico! Calado para os problemas da classe que representa, esse presidente é o mesmo que negou a servidores o direito de ter acesso a documentos da entidade que deveria ser liberado para seus associados.

Esse é o mesmo SINTASP que não deu um pio sobre o calendário imposto pelo governo que reduziu o ano letivo e tem obrigado professores a registrar aula nos sábados mesmo sem o repasse de conteúdos?

Quem te viu, quem te vê! A entidade antes armada até os dentes para “defender o direito dos servidores”, hoje encontra-se muda como se tivesse se tornado “um puxadinho do Executivo” e na falta do que fazer decidiu se preocupar de forma repentina com atendimento bancário… e olha que a folha dos servidores é no Banco Bradesco que nunca foi essas referências em bom atendimento.

Pode isso Arnaldo?

Sindicato se recusa a prestar informações a servidor e caso vai parar na delegacia de Coelho Neto….

Nem bem esquentou a cadeira, o presidente interino do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público da Microrregião de Coelho Neto – SINTASP, Izaque Vale, resolveu mostrar as asas e demonstrar que a truculência do grupo que controla a entidade sindical é contagiosa.

Acontece que o servidor Oberdan Lima esteve nesta segunda (04) tentando protocolar mais um ofício na sede da entidade para ter acesso a cópia de documentos (relação de sócios ativos e inativos, cópia do estatuto atualizado, cópia das atas e editais das três últimas eleições), mas para sua surpresa, sequer foi recebido.

Desde julho o servidor requer essas informações e nada. O recado que deram foi que não receberiam nenhum ofício daquela natureza e de quebra ainda colocaram um segurança (pago com dinheiro do sindicato) para tentar intimidar Oberdan que estava acompanhado de outro servidor.

Desde que o ex-presidente da entidade Américo de Sousa (PT) assumiu o mandato de prefeito de Coelho Neto, o sindicato passou a agir como um “puxadinho da prefeitura” e por diversas vezes precisou ser pressionado para se posicionar a favor dos servidores.

Como a insatisfação em meio a servidores é visível, um grupo vem se organizando com disposição de disputar as eleições do órgão e desde então, a claque hegemônica que comanda a entidade nos últimos anos vem dando demonstrações de total desequilíbrio.

A reação contrária é tamanha, que o próprio prefeito já mostrou seu desespero atacando na rádio inclusive o advogado do movimento. Qual o receio do presidente em repassar os documentos? Medo? Será que tem algo a esconder?

O servidor Oberdan Lopes registrou um Boletim de Ocorrência na delegacia e deve entrar com um mandado de segurança na justiça para conseguir os documentos a que tem direito.

Sintasp rejeitando solicitação de servidor hein… Quem te viu, quem te vê!

Mudou ou não mudou?

“O governo não responde os ofícios”, alega presidente do Sindicato aos servidores….

Lima Júnior: pressionado e acuado teve que fazer a assembleia

Um vexame! É assim que se pode descrever a patacoada que foi a recepção dos servidores por parte do presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal – SINTASP, Lima Júnior. Visivelmente acuado e literalmente alterado, o presidente deu demonstrações claras que perdeu as rédeas e o comando da entidade.

“Vocês acham que eu vou obrigar o prefeito fazer alguma coisa?”, questionou Júnior na frente da entidade. Primeiro tentou fazer de conta que não sabia da reunião que havia sido convocada, logo após admitiu que havia ouvido o áudio da convocação. Pressionado teve que entrar para dar explicações e durante a reunião foi obrigado a ouvir poucas e boas dos servidores.

As cobranças eram em torno dos valores referentes ao aumento de carga horária e o pagamento do terço de férias do ano passado. “Não estamos pedindo e nem nos humilhando não, estamos cobrando é nossos direitos”, disse uma professora.

Lima Júnior foi desmentido em público por uma professora que assegurou que ele havia marcado por telefone a assembleia para esta segunda (22) e quando tentou desmarcar foi comunicado da impossibilidade de o fazê-lo. O presidente foi extremamente criticado pela benevolência dada ao atual governo após dizer que o governo teria um mês para responder os ofícios.

“Engraçado, quando o atual prefeito era presidente do sindicato não era desse jeito. Por que ele está sendo muito merecedor de paciência?”, questionou uma professora.

Diante da ineficiência do SINTASP, um dos professores fez uma sugestão que aparentemente teve a aprovação da classe. “Quando foi pra gente receber nosso dinheiro de dezembro que ele não queria pagar nós, fomos pra porta da prefeitura, já que ele não quer responder, nós vamos pra porta da prefeitura de novo”, disse um dos professores sob aplausos.

O pior disso tudo é constatar que o fracasso do governo vai levar o sindicato junto, já que a entidade optou por se ajoelhar e manter-se subordinada as ordens do prefeito, que insiste em governar a cidade como se fosse uma extensão de sua casa.

O episódio de hoje mostra que em pouco mais de cinco meses, o atual prefeito e seu des-governo conseguiu azedar de vez a relação com a classe que o ajudou a se eleger.

Américo está experimentando o preço das voltas que o mundo dá…

Simples assim!

A relação “mamão com açúcar” entre o Sintasp e a Prefeitura de Coelho Neto…

Quem conheceu a atuação impositiva e combativa do Sindicato dos Servidores do Serviço Público da Microrregião de Coelho Neto – SINTASP em governos anteriores, hoje chega a duvidar que este ainda exista.

Desde que ex-presidente da entidade Américo de Sousa (PT) chegou ao poder, o sindicato teve uma mudança de comportamento visivelmente radical de complacência com o governo.

Em 04 meses da nova gestão foram inúmeros as situações embaraçosas envolvendo os trabalhadores: calote em servidores da saúde, aumento de carga horária, perseguição a funcionários por motivos politiqueiros, corte em salários e gratificações, tudo isso diante “das fuças” e do silêncio do sindicato.

Nas poucas vezes que se manifestou, a entidade sindical manteve atuação tímida e bem insossa, diferente dos tempos dos ex-prefeitos Márcia, Magno e Soliney Silva.  A posição “mamão com açúcar” entre a prefeitura e o sindicato é tamanha, que nas últimas vezes que se posicionou foi motivada pela pressão dos servidores.

Agora, no episódio envolvendo as gratificações da carga horária de professores o sindicato mais uma vez age de forma amena. Não se ouve qualquer posicionamento por parte da entidade sindical quanto ao comportamento da prefeitura de não cumprir os valores que haviam sido acordados e o que é pior, assistem calados ao “dar de ombros” da prefeitura a reivindicação oportuna da classe.

E o sindicato mudou ou não mudou?

Quem te viu, quem te vê…

Vigias de Coelho Neto rejeitam aumento de carga horária proposto por Américo…

Vigias durante a Assembleia realizada no SINTASP nesta sexta (17)

Durante Assembleia realizada na sede do Sindicato dos Servidores do Serviço Público Municipal da Microrregião de Coelho Neto – SINTASP, na tarde desta sexta (17), os vigias da rede municipal rejeitaram a proposta do prefeito Américo de Sousa (PT) em aumentar a carga horária da categoria para 150 horas mensais.

Segundo o blog apurou, a categoria apresentou uma contraproposta mantendo as 120 horas mensais praticadas atualmente. Segundo comentários de quem participou da reunião, a meta do governo seria de não fazer hora extra nem mesmo nos feriados.

Entre os argumentos alegados pelo governo foi usado o que está escrito no capítulo IV, artigo 87 do Estatuto do Servidor de dezembro de 1989  que diz que o a jornada semanal é de 30 horas e que o mês comercial é de 5 semanas e que portanto o cálculo é de 5 x 30 = 150. A classe contestou e disse que pode ser legal, mas é imoral haja visto que todos já possuem direitos adquiridos.

O SINTASP ficou encarregado de levar ao prefeito a solicitação para que normatize as 120 horas mensais e o que for feito a mais deverá ser computado como hora extra. Os servidores deixaram claro que poderão optar por greve caso o prefeito insista em aumentar a carga horária.

Pelo visto é mais uma classe de servidores que sente o peso da “chibata” do governo que ai está, que na oposição defendia direitos, mas que agora no comando do governo age contra estes.

Mudou ou não mudou?

Sindicato adia Assembleia com servidores…

O Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal da Microrregião de Coelho Neto – SINTASP cancelaram a Assembléia Extraordinária que estava marcada para a tarde desta terça (07).

De acordo com o que fora repassado por integrantes do sindicato, a entidade havia solicitado uma audiência com o prefeito Américo de Sousa (PT), que decidiu receber a diretoria da entidade na tarde de hoje (07).

Espera-se portanto, que da reunião com o chefe do Executivo possa sair algo de concreto para ser apresentado aos servidores na nova Assembleia marcada para esta quarta (08).