O “Guardião” por trás da peleja Aluisio Mendes X Jefferson Portela…

Como pano de fundo das denúncias de delegados que acusam o atual titular da pasta, está o risco de se ter um chefe da Segurança Pública com más intenções contra adversários

JEFFERSON PORTELA SABE QUE ALUÍSIO MENDES SABE O QUE SE PODE FAZER NO COMANDO DA SECRETÁRIA DE SEGURANÇA; afinal, os dois são da mesma área

Editorial

Há um pano de fundo na celeuma causada pelas denúncias dos delegados Thiago Bardal e Ney Anderson Gaspar, segundo as quais o atual secretário de Segurança Jefferson Portela mandara espionar adversários políticos e autoridades do Executivo e do Judiciário.

Este pano de fundo são os interesses a que é submetido o sistema de monitoramento telefônico conhecido por “Guardião”. (Entenda aqui)

Adquirido no Maranhão ainda no segundo mandato do governo Roseana Sarney (1998/2002), o Guardião é capaz de monitorar dezenas de aparelhos telefônicos ao mesmo tempo, e captar conversas simultâneas.

O próprio Aluísio Mendes, hoje deputado federal e responsável por expor as denúncias contra Jefferson Portela, já foi acusado de manipular o Guardião em benefício político.

MALETA DE ESPIONAGEM CONHECIDA POR GUARDIÃO; instrumento capaz de destruir vidas e reputações se cair em mãos erradas

Na audiência de ontem com os delegados Ney Anderson e Thiago Bardal – que acusam Portela de usar o Guardião para espionar desembargadores, deputados federais e senadores – Aluisio usou o termo “barriga de aluguel”, pouco conhecido fora do círculos de espionagem.

Trata-se de uma metáfora para falar da manipulação da Justiça pelos meios policiais.

A “Barriga de aluguel” ocorre quando um agente de investigação apresenta a um juiz números de celulares de suspeitos de determinado crime que precisam ser “grampeados” – mas, no meio deles, inclui outro número, de alguém que nada tenha a ver com a tal investigação, mas que desperta o interesse do investigador.

Como Aluisio Mendes – que já foi secretário de Segurança e, portanto controlava o Guardião – Jefferson Portela também conhece o termo “barriga de aluguel, segundo os delegados Gaspar e Bardal.

É o risco que se corre num Maranhão em que a espionagem serve, principalmente, para subsidiar adversários políticos.

E para as autoridades, que usam as informações em proveito próprio…

Flávio Dino, Sergio Moro e Jefferson Portela: dois pesos e duas medidas

 

O vazamento de conversas de Sergio Moro com o procurador Deltan Dallagnoll – e também de membros da Força Tarefa da Lava Jato – pelo site The Intercept, fez o governador Flávio Dino (PCdoB) correr ao Twitter.

“Sergio Moro deve se afastar ou ser afastado do Ministério da Justiça. Quem instrumentalizou a Justiça Federal para fins eleitorais e partidários pode tentar fazer o mesmo com a Polícia Federal, agora sob seu comando direto”, declarou, no Twitter.

O mesmo Flávio Dino, contudo, nunca promoveu o afastamento do seu secretário de Estado da Segurança, Jefferson Portela – acusado de determinar grampos ilegais para investigar magistrados e políticos do Maranhão.

Se é grave um juiz federal tenha articulado com um procurador da República estratégias de acusação para condenar um político, tão (ou mais) grave é um secretário de Estado ser acusado de espionagem.

Por coerência, se defende o afastamento de Moro, Dino deveria afastar Portela. Pelo menos até o fim da apuração do caso.

Do Blog do Gilberto Leda

Na busca por parcerias…

Consciente da impossibilidade de governar sem estabelecer parcerias, o prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), retomou o périplo por São Luís na busca por parcerias em órgãos do Governo do Estado.

cris
Prefeito eleito Américo de Sousa na Secretaria de Agricultura Familiar

O primeiro compromisso foi na Secretaria de Agricultura Familiar, onde a comitiva foi recebida pelo titular Adelmo Soares. Na oportunidade foi apresentada as ações e projetos que são desenvolvidos pelo órgão e que poderão ser implantados na cidade.

Outro tema que preocupa o novo governo é a Segurança Pública. Para dar sequência a uma agenda já realizada com a cúpula do setor a nível de região, o prefeito eleito esteve em audiência com o Secretário de Segurança Pública Jefferson Portela. Foram tratados assuntos relacionados ao número insatisfatório do efetivo e o aumento crescente nos dados da violência na cidade.

seguranca
Secretário de Segurança Jefferson Portela recebeu demandas do setor retratando a realidade da cidade

“O Governo do Estado é um importante parceiro que teremos a partir de 1º de janeiro de 2017 e para isso se efetivar buscaremos todas as ações e projetos nas mais diversas áreas que possam ser implantadas ou implementadas em nossa cidade. Ações na área da agricultura familiar e da segurança pública são necessárias e são urgentes”, disse o prefeito eleito Américo de Sousa.

Ele participou das audiências acompanhado do deputado estadual Rafael Leitoa (PDT), do vice-prefeito eleito Antônio Pires, da vereadora e futura secretária de saúde Cristiane Bacelar e do futuro secretário de Agricultura Albertino Veríssimo.

Governo traça estratégias de segurança e anuncia criação de mais três superintendências

Foto-1-Divulgação-SSP-traça-estratégias-de-segurança-integrada-e-anuncia-criação-de-mais-três-superintendências-no-estado-1024x673

A Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) reuniu, na última sexta (12), todos os representantes do sistema de segurança do Maranhão. O objetivo foi traçar estratégias integradas para um efetivo combate à criminalidade, em todo o estado e anunciar a criação de mais três superintendências de investigação especializadas. O encontro aconteceu na Academia de Polícia Civil, no bairro São Raimundo, onde o titular da pasta, Jefferson Portela, convocou os 18 delegados regionais de Polícia Civil, os 35 comandantes de unidades da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.

“Pela primeira vez, em nosso estado, todos os chefes de áreas demarcadas pela Segurança Pública se encontram para alinhar suas funções, visando encurralar as ações criminosas, porém, agora, de forma integrada. A troca de informações entre policiais civis e militares é imprescindível para que tenhamos resultados satisfatórios, ou seja, para que o policiamento preventivo aconteça e, para quando não for possível evitar o crime, que a investigação seja conclusiva”, destacou o secretário de Segurança Pública explicando que todo o efetivo da Segurança Pública está empenhado em executar a política de promoção de paz do governo Flávio Dino.

Durante a reunião, Portela aproveitou para anunciar ações já aprovadas pelo Governo do Estado para a ampliação e reaparelhamento da Polícia Civil. A principal delas é o aumento do número de superintendências de investigações criminais especializadas, que passarão de quatro para sete; e ainda serão subdivididas por áreas para melhorar a vigilância policial. A boa notícia foi detalhada pelo delegado-geral de Polícia Civil, Augusto Barros Neto.

“Hoje temos a Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic); a Superintendência de Polícia Técnico-Científica (SPTC); e as superintendências de Polícia Civil da Capital (SPCC) e do Interior (SPCI). No início do próximo semestre, porém, deveremos já ter em funcionamento mais três superintendências de combate a Narcóticos, Homicídios, e Corrupção; e cada uma delas terá quatro diretorias de áreas. Isto é, haverá um delegado responsável por cada parte da região metropolitana de São Luís”, explicou o delegado-geral.

O comandante-geral da PM, coronel Marco Antônio Alves, destacou que o aumento das unidades da polícia favorecerá o trabalho de policiamento ostensivo, principalmente nas regiões mais distantes do Centro. “Algumas localidades, tais como a área Itaqui-Bacanga e o próprio Distrito Industrial de São Luís, ainda são carentes de um policiamento mais robusto, e é justamente onde os traficantes estão buscando guarida. Essa integração associada ao aumento da presença policial certamente irá dificultar essa prática criminosa”, lembrou Alves.

Por fim, depois de delegar as ações de combate à criminalidade na capital e no interior do estado, principalmente aquelas voltadas para o policiamento durante o período de festas juninas, o secretário de Segurança falou sobre a importância do reconhecimento visual entre comandantes e comandados. Jefferson Portela acrescentou ainda o dever de comunicação entre as polícias, e também de proteção mútua, uma vez que o objetivo de ambas as institucionais de polícia é vencer juntas a criminalidade.

“Não podemos admitir, por exemplo, que um delegado ou comandante de batalhão receba a informação que bandidos estão seguindo para uma cidade vizinha e não alerte o colega que trabalha naquela região ao lado. Essa reunião serve ainda para diminuir a distância visual entre nós e nossos policiais”, concluiu.

Magistrado sai na defesa de Jefferson Portela

AhHRM3Y8u2Dl1gsf_n69WixrdGyw8lv6gUTWFnMvaTBL (2)

Em postagem nas redes sociais, o juiz Cristiano Simas de Sousa saiu na defesa do atual secretário de Segurança do Maranhão, Jefferson Portela, que vem sendo trucidado diariamente por veículos de comunicação da oligarquia Sarney por conta do êxito em suas ações de combate à agiotagem e à criminalidade no estado.

Para o magistrado, pela primeira vem em muitos anos, um secretário de Segurança Pública dialoga com a população, buscando resolver questões de segurança que assolam o Maranhão há meio século.

Ele afirma que “é irônico, para não dizer cínico, que pessoas que tiveram a oportunidade de fazer algo arvorem em nome de um moralismo tacanho, apenas para criticar”.

“Tenham vergonha na cara e nos poupem de sua desfaçatez”, recomenda Cristiano.