Silêncio total! Prefeito de Coelho Neto declara guerra aos sons automotivos e manda fiscalizar horário do término das festas

Nem o cantor da praça escapou da abordagem desastrosa comandadas pela Secretaria de Meio Ambiente

Não chamem para a mesma mesa o prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT) e os donos de sons automotivos da cidade. Além das restrições ao uso de som automotivo, a Prefeitura também comprou briga com o volume do som e horário de término das festas, bem como a expedição dos alvarás.

Mesmo com todo agressão ao meio ambiente que ocorre na cidade em quase todos os lugares, mesmo com o Aterro Sanitário no limite, mesmo com o lixo nas entradas da cidade colocado de forma irregular, mesmo com esgoto de estabelecimento comercial a céu aberto provocando mau cheiro no centro da cidade, ainda assim o secretário do Meio Ambiente Gabriel Delano por orientação do prefeito, deixou toda essa extensa pauta de lado e resolveu priorizar apenas as questões relacionadas a som e festas.

Primeiro é bom deixar claro que não somos contra a aplicabilidade da Lei, mas contrários a forma como o governo adotou essa ação desde o início, o que acabou se tornando algo desastroso.

Ao invés de optar primeiramente pela sensibilização e posteriormente o tempo para que todos se adequassem, o governo fez justamente o contrário e já colocou o secretário de colete e tudo na rua fazendo umas abordagens totalmente sem sentido.

“Nós só não permitiremos tocar paredão é somente em local de grande concentração habitacional. As festas com bandas voltarão a partir desse final de semana mas monitorados com relação ao volume do som e ao término da festa”, disse Delano em grupo de whatsapp.

Essa era uma ação que poderia ser construída de forma consensuada com a população, mas a inabilidade do governo mais uma vez foram decisivos para que a medida gerasse toda essa balburdia.

Pense num governo desastroso…

O outro lado da história…

neto tavares
Empresário Neto Tavares

Após repercussão da matéria do Blog do Carlos Machado, republicada inclusive por esse Blog, o empresário Neto Tavares se pronunciou na defesa dos que como ele trabalham com som automotivo.

Segundo ele o texto generaliza e que a festa e o som não tiveram qualquer relação com a morte do jovem, ocorrida em Coelho Neto no último domingo (29). A seguir a íntegra do documento:

Coelhonetenses,

Em comentário em blog local, e exercendo o direito de resposta e livre manifestação conferido a minha pessoa, pela nossa Constituição de 1988, venho esclarecer:

As festas com som automotivo (paredão) tratam-se também de uma forma de expressão cultural. Nessas festas, o som eletrônico executa diversos tipos de gênero musical, inclusive de bandas que frequentemente se apresentam em nossa cidade.

Apontar os “paredões de som” como DETERMINANTES para a fatalidade ocorrida no último fim de semana, em Coelho Neto/MA, nada mais é que um “jeitinho” de enfrentar o problema.

Eu, como proprietário de uma estrutura de som automotivo, repudio qualquer ato de violência a uma pessoa.

Ressalto, o Paredão Neto Tavares, como qualquer outra estrutura do tipo, anima diversos eventos/carnavais em nossa cidade e região, sem incitar qualquer apologia ao crime, sempre pregando a alegria e o respeito.

O blogueiro foi muito infeliz em seu comentário, pois, ligar um assassinato a um tipo de festa é algo muito sério, que atenta, inclusive, contra as mais diversas formas de manifestação cultural, pois, sabemos que a violência em eventos, infelizmente, é algo recorrente, mas que o ânimo de cometer crimes só diz respeito a alguns, é uma minoria que deve ser contida por meio de segurança, seja pública ou privada. Antes de tudo, deve-se analisar o que de fato ocorreu.

Preventivamente, privilegiar a segurança e educação dos nossos jovens. Eles têm o direito de se divertir, e cabe ao estado e toda sociedade prover os meios. Por fim, trabalho com esse tipo de estrutura, de onde tiro o sustento da minha família, não desejo mal a ninguém, porém, condenar uma festa por uma fatalidade é algo temeroso, vez que o blogueiro como imprensa, é um formador de opinião. Meus sentimentos de condolência e pesar à família enlutada.

Atenciosamente

Neto Tavares