Governo conclui visitações às áreas rurais da Grande Ilha

A Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (SAF) encerrou no último sábado (7) a programação de visitas às áreas rurais dos municípios da Região Metropolitana de São Luís. A última visita foi feita na área rural de Paço do Lumiar. As visitas aos projetos agrícolas fazem parte da construção do plano de desenvolvimento da agricultura familiar da Grande Ilha.

Foto1_Divulgação_Visitação-a-áreas-rurais-da-Grande-Ilha

Com a conclusão da etapa de avaliação das áreas agrícolas, o plano de ações começa a ser formatado, nesta semana, pela comissão composta por representantes da SAF, de São Luís, Raposa, São José de Ribamar e Paço do Lumiar.

“Fizemos visitas aos três municípios, conhecemos os problemas enfrentados pelos agricultores e os pontos positivos dos projetos em andamento. Agora é hora de definir o que será colocado em prática para incentivar o setor, criando condições para melhorar a produção dos alimentos”, explicou o secretário de Estado de Agricultura Familiar, Adelmo Soares.

Em Paço do Lumiar, o secretário e sua equipe conheceu o minhocário construído pela prefeitura da cidade, na comunidade Cumbique, para a produção de húmus, resíduo resultante da decomposição orgânica, cujo processo é auxiliado pela minhoca, que além de ajudar a decompor, faz a limpeza do resíduo, deixando-o pronto para o uso.

Foto2_Divulgação_Visitação-a-áreas-rurais-da-Grande-Ilha

“Altamente rico de nutrientes, o húmus é utilizado para a produção das mudas. Já estamos transferindo essa técnica para comunidades de Pau Deitado e de Iguaíba, substituindo o uso de adubos químicos, que causam desequilíbrio no solo. Damos as minhocas para cada agricultor fazer sua produção de húmus”, explicou o agrônomo Alonso Chagas, responsável pelo projeto.

Outra experiência interessante que funciona em Paço do Lumiar é o projeto Hort Canaã, no Polo Agrícola da Vila Residencial Nova Canaã, um assentamento particular de agricultores que foram remanejados de suas áreas em função de projetos de mineração no Maranhão. Eles trabalham com culturas agroecológicas, que é o cultivo compartilhado de espécies diferentes em um mesmo espaço, como o maracujá e as hortaliças.

No polo, está em andamento a construção de uma casa de farinha para beneficiar a mandioca produzida na área; uma central de higienização de produtos e o escritório para a produção de Selos de Inspeção Municipal (SIM), ações da prefeitura para melhorar os produtos finais dos agricultores, tornando-os comercializáveis.

“São experiências boas que podemos replicar, levar para os outros municípios. O objetivo é esse, conhecer e aplicar as ações que dão certo em outras áreas e assim desenvolver a agricultura familiar do Maranhão, ajudando na melhoria das condições de vida do homem do campo, o que é uma das prioridades do governador Flávio Dino”, concluiu Adelmo.

Da Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *