SUELY: UMA MULHER QUE FAZ HISTÓRIA

SUELY: UMA MULHER QUE FAZ HISTÓRIA

Nascida na cidade de Duque Bacelar, indo para Coelho Neto aos 5 anos de idade, Suely, a primeira dama, é um poço de dinamismo, de inteligência, de competência, e de amizade, entre muitas outras qualidades. Cercada de amigos, e são muitos, ela é incansável e está sempre na frente de tudo, trabalhando como voluntária e desenvolvendo um papel de super-mãe, pois abraça a todos e o povo coelhonetense vê em suas atitudes uma marca para o desenvolvimento da cidade. “Antigamente a primeira-dama era aquela coisinha, bonitinha, arrumadinha, se salto alto, pro marido. Hoje ela tem que está voltada aos projetos sociais, para as classes mais pobres, para os idosos, para as crianças, para os adolescentes. A gente tem que esquecer que é primeira-dama e ser, acima de tudo, mais humana, tentar ajudar mais o próximo.”

PRA COMEÇO DE CONVERSA

Ela, que se considera uma mulher de sorte, conheceu Soliney em Teresina, quando estudava a 5ª. série do ginásio. Começaram o namoro em 14 de setembro de 1985 e em 2 de dezembro de 1986 contraíram matrimônio, ambos com 16 anos. “ Ele era amigo de uma amiga minha, e ai a gente se conheceu”, diz ela, que lembra ainda do início com muitas dificuldades, e de quando tiveram que abandonar a cidade de Coelho Neto, pois Soliney perdeu as eleições para Prefeito e teve que fechar a sua loja e transferir-se para Teresina.

O RECOMEÇO

Dois anos depois, o casal Soliney-Suely estava de volta a Coelho Neto. Muito mais experientes, carregados de boas intenções, modernos, eles iniciaram um trabalho voltado ao social e Soliney candidatou-se a Deputado Estadual, obtendo a vitória, consagrando-se assim como um dos políticos mais influentes e atuantes de todo o Estado do Maranhão.

TUDO EM FAMÍLIA

Ela é filha da dona de casa Maria de Fátima e do comerciante e ex-vereador José Almeida, é irmã de Jozélia e Rejane, mãe de três maravilhosos filhos: Bruno, Marcelo e Soliney Filho, o que lhe enche de orgulho e satisfação por ser a divina protetora.

UMA POÇÃO MÁGICA

Como uma fada com sua mágica varinha de condão, Suely fez com que, além de gostar, Soliney fosse morar em Coelho Neto. “Quando a gente ama, quando a gente gosta, tem que viver para a família, para os filhos, para o marido. Se o meu marido gosta da política, eu também tenho que gostar da política. Eu faço tudo que ele gosta para vê-lo feliz, pra vê-lo bem. Eu não sou política, mas isso me tornou um bocado política”, comenta ela.

LAZER

Extrovertida e brincalhona, Suely não nega que gosta de viajar, encontrar os amigos para uma boa conversa, e boas gargalhadas. “Independe de política, independente de classe social, eu estando com o povo, com as pessoas que gosto, sou muito feliz”, comenta ela lembrando com alegria de quando ganhou sua primeira boneca e principalmente a sua primeira bicicleta. Lembra ainda, como marca indelével, o nascimento de seu primeiro filho.

SUELY É ASSIM

Franca, confiante, resolvida, eclética, mãe, esposa, dona de casa, Suely não tem um gênero musical predileto. Sertanejo, forró, axé, pagode, tudo o que dá pra dançar e agitar ela curte. Diferente do esposo Soliney, que tem um gosto musical mais romântico, unindo o útil ao agradável e misturando no caldeirão das vontades de ambos, o resultado é o amor de um casal bem mais que perfeito e que nasceu para brilhar no palco dos anos.

Fonte: Revista CARAS E NOMES

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *