Sobre a pesquisa em Coelho Neto e o jus sperniandi…

Sobre a pesquisa em Coelho Neto e o jus sperniandi…

Como tem sido ao longo desse ano, esse blog divulgou ontem (20), em primeira mão, a pesquisa Prever encomendada pela TV Difusora sobre a intenção de votos em Coelho Neto. Se por um lado os números foram recebidos de forma apoteótica por aliados do pré-candidato a prefeito Bruno Silva (PP), por outro lado causou frustração e reação virulenta de partidários de outros pré-candidatos – inclusive com criação de material difamatório contra o pepista numa tática antiga que não mais funciona.

Pois bem, a não aceitação dos números por aliados de A ou B é um direito que assiste a qualquer cidadão, mas ele precisa ser embasado, sem que haja fulanização disso. Nessa hora surgiram avaliação das mais diversas com análises estapafurdias e justificativas das mais risíveis: questionaram desde a quantidade de seguidores da página do Instituto em uma rede social, passando pelo universo pesquisado e por último e não menos cômico a insinuação de que a TV Difusora é ligada ao ex-senador Lobão – não custa lembrar aos desavisados, que a emissora hoje é ligada ao senador Weverton Rocha (PDT), inclusive com retransmissora na cidade divulgando as ações da Prefeitura.

É aceitável por exemplo, que a divulgação de números como esse seja um banho de água fria na intenção de alguns, em seus mais variados sentidos, na cidade e na articulações de bastidores que são feitas na capital São Luís. Apelar que a pesquisa é Fake-News porque não contempla o desejo do coração de quem quer está liderando os números, mesmo tendo se lançado como pré-candidato aos 45 minutos do segundo tempo é algo surreal e inimaginável. Não há tempo para tamanha façanha e esse cenário nenhuma pesquisa é capaz de retratar.

Por outro lado, os números frustram também aqueles que se utilizaram de todas as tentativas para usar a estrutura de governo com ações e medidas visivelmente eleitoreiras promovida nos últimos meses. Tudo isso não surtiu o efeito esperado porque o povo não se deixa mais enganar, fato visivelmente confirmado se fizermos um comparativo entre os números atuais e aqueles divulgados antes do início pandemia. Não deixa de ser um banho de água gelada em aliados já desanimados, muito deles esforçados em tentar a todo custo vislumbrar um crescimento que os faça voltar ao campo da disputa de forma menos constragedora, mas totalmente explicável como o atual.

A cidade nas últimas semanas foi praticamente invadida por institutos de pesquisa avaliando o cenário eleitoral e é logico que esses dados uma hora teriam que ser tornados públicos. Ora, se há numeros diferentes dos que foram divulgados por que não registram e divulgam?

Em Coelho Neto o processo eleitoral começou pra valer.

Quanto a divulgação e o inconformismo com os números da pesquisa, o que vimos foi o tal jus sperniandi.

Aquilo que na linguagem jurídica eles usam para justificar o “direito de espernear”…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *