O FEJMA E O SENADO

O FEJMA E O SENADO

O país tem assistido estupefato e quase que impotente, aos escândalos que tem assolado Brasília. A escolha da cabeça do presidente do Senado José Sarney como prato preferido da mídia e da oposição, tem servido para despertar uma verdadeira batalha campal entre gregos e troianos. Os últimos episódios envolvendo bate-boca protagonizado pelos senadores Renan Calheiros, Pedro Simon, Fernando Collor e Tasso Jereissati foi considerado por analistas políticos como a chegada no fundo do poço.

O Fórum Estadual de Juventude do Maranhão – FEJMA criado em 2006 para ser o espaço de participação da juventude do Estado em nada deixa a desejar aos escândalos e as armações que rolam na capital federal. O blogueiro Cleo Freitas, um desses militantes opiniosos da juventude, escreveu no seu blog sobre o FEJMA o seguinte: “uma reunião de amigos e inimigos sem legitimidade para eleger nem a rainha da Cocada Preta… O Fejma não representa a juventude…” A partir desse pensamento fica a pergunta no ar: até que ponto o blogueiro tem razão?

A próxima Reunião Ordinária, o Fórum Estadual da Juventude apresenta uma programação com momentos no mínimo inusitantes como o confronto Weverton Rocha versus Roberto Costa. Além disso, a reunião servirá para eleger os membros da sociedade civil que comporão a segunda gestão do Conselho Estadual de Juventude – CEJOVEM. Se quem freqüenta o FEJMA utilizasse um pouco do raciocínio lógico e sensatez para fazer uma avaliação dos conselheiros que estão saindo/ e ou que disputarão à reeleição, talvez não precisássemos temer o que vem por ai. Conselheiros omissos, desconhecidos, e sem nenhum serviço prestado na comunidade em que vivem ou não região que representam, entidades “expulsas” por ausência nas reuniões, enfim um verdadeiro retrato da falta de compromisso dos pseudo- líderes.

Comparando com o que acontece em Brasília, o FEJMA não deixa nada a desejar e possui jovens com comportamentos muito parecidos com os de alguns senadores. Não faltam aqueles que protagonizam o estilo Pedro Simon, que sempre acusam os outros, se mostram como vitrina dos bons modos, mas que no fundo possuem a ficha, mas suja do que pau de galinheiro. Vez por outra aparecem aqueles com características muito próximas as de Fernando Collor e Renan Calheiros, que além de uma folha corrida, se apresentam como tropa de choque, principalmente quando se trata de atingir quem ousa mexer com os defeitos dos aliados. E por falar em apontar, são inúmeros os jovens semelhantes a Tasso Jereissati que se destacam pelo estilo “esquentadinho” e que procuram resolver as coisas sempre na base da ameaça, da porrada e das armações.

Enfim a Reunião Ordinária servirá para revermos figuras pitorescas, abandonadas nas prateleiras pelo mofo e que durante dois anos exerceram de maneira pífia o mandato de Conselheiro Estadual de Juventude. Sem dúvida, os dissimulados estarão para “prestar contas” de suas atuações como conselheiros e a tropa de choque estará armada para que nada fuja do controle. Sem sombra de dúvidas, o FEJMA se apresenta como um concorrente a altura do Senado Federal… em gênero, número e grau.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *