Dificuldades…

Dentre todos os pré-candidatos que se movimentam com vistas às eleições de 2018 – ao governo e ao Senado -, o senador Roberto Rocha (PSB) vive um dos momentos de maior indefinição. Ele não sabe se disputará mesmo o governo ou se decide negociar apoio com o governador Flávio Dino (PCdoB); não sabe se permanecerá no PSB ou se buscará nova legenda. E não sabe até mesmo se concorre ao governo ou outra vez ao Senado.

Embora se movimente mais do que qualquer outro adversário de Flávio Dino – e até mais que o próprio governador -, o senador não conseguiu construir um grupo em torno de si e segue sozinho em seu projeto de candidatura. E agora com a dificuldade adicional da ameaça de queda do presidente Michel Temer (PMDB).

Mas, mesmo com todas as dificuldades políticas e pessoais, Rocha ainda é o adversário de Dino que mais se movimenta no cenário eleitoral. Mesmo porque, além dele, todos os demais nomes anunciados ainda são projetos de candidatura.

A ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) se movimenta apenas nos bastidores, e só entre aliados consolidados. E não declarou em momento algum que será candidata, embora todas as pesquisas a apontem como a principal adversária de Flávio Dino.

Já a ex-prefeita Maura Jorge, apesar de desenvoltura de candidata, ainda carece de uma estrutura partidária consistente para fazer frente ao governador. E o deputado estadual Eduardo Braide (PMN) mostra-se ainda indeciso quanto a encarar uma disputa majoritária.

Assim, Roberto Rocha, segue como único nome a se movimentar no tabuleiro da eleição. Mesmo que apenas consigo mesmo.

Coluna Estado Maior

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *