Conselheiros do Conjuve tomam posse em cerimônia plural…

Os 60 integrantes do Conselho Nacional de Juventude (Conjuve) tomaram posse nesta terça-feira (15/08), em Brasília (DF), numa cerimônia bastante plural e representativa, que contou com apresentações de dança do Povo Xerente, de Tocantins, e da companhia de dança Pegada Black, da periferia do Distrito Federal. A cerimônia contou com a presença dos ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy; do secretário nacional de Juventude, Assis Filho; da vice-governadora do Tocantins, Claudia Lelis; da secretária-executiva da Secretaria de Governo da Presidência da República, Ivani dos Santos; dos deputados federais Carlos Gaguim (PMDB-TO) e André Amaral (PMDB-PB); e do prefeito de Tocantínia, Manoel Silvino; da vice-presidente do Fórum Nacional dos Gestores de Juventude, Jéssica Ohana, entre outras autoridades. Ao final da posse, os conselheiros foram recebidos pelo presidente Michel Temer.

“Temos representantes de todas as regiões do Brasil e da pluralidade da juventude brasileira”, comemorou Imbassahy. O Conjuve é composto por 60 conselheiros, 40 representantes da sociedade civil e 20 do governo. As entidades representativas da sociedade civil foram escolhidas após um processo amplo e democrático, no qual foram eleitas instituições de atuação nacional, regional e estadual e organizações que atuam nos 11 Eixos Temáticos do Estatuto da Juventude.  O ministro da Secretaria de Governo da Presidência da República garantiu que “não faltarão recursos para os programas para a juventude”.

Desire Queiroz dos Santos, representante da região Centro-Oeste pelo Conselho Regional de Administração do Mato Grosso do Sul, defendeu a qualificação profissional e a equidade de gênero no trabalho. “No Conselho Regional de Administração implantamos políticas para a inclusão da mulher no mercado de trabalho, de capacitação profissional e de equidade racial. E são esses os eixos que vamos defender no Conjuve”, anunciou a conselheira, que também defende a igualdade no trabalho para a mulher negra.

Assis Filho disse que “é por meio da participação social que vamos implantar as políticas públicas de juventude”. O papel do Conjuve é o de propor estratégias de acompanhamento e avaliação da política nacional de juventude; promover a realização de estudos, debates e pesquisas sobre a situação juvenil, com vistas a contribuir na elaboração de propostas de políticas públicas; apresentar propostas de políticas públicas e outras iniciativas que visem a assegurar e a ampliar os direitos da juventude; e fomentar o intercâmbio entre organizações juvenis nacionais e internacionais.

“As políticas públicas de juventude precisam chegar nas periferias, nas aldeias e nos becos”, ressaltou o secretário nacional de Juventude. Bruno Ramos, conselheiro do Conjuve representando a Liga do Funk, elogiou o processo que elegeu movimentos e associações de juventude representativos e de atuação nos 11 eixos temáticos do Estatuto da Juventude. “Quero agradecer ao funk que me tirou do submundo e me colocou aqui no Conjuve, onde vamos criar políticas públicas de base e de fato”.

O ministro da Casa Civil destacou que mais de 200 mil jovens têm acesso ao ID Jovem, programa lançado em dezembro do ano passado pelo presidente Michel Temer e que dá direito ao jovem de baixa renda pagar meia entrada em eventos culturais e esportivos, além de duas passagens gratuitas e duas com 50% de desconto em viagens interestaduais. “Estamos aqui para levar a política do presidente Michel Temer para a juventude”, ressaltou Padilha.

Dentre os 60 conselheiros, alguns foram escolhidos para serem diplomados durante a cerimônia:

– Ayune Bezerra Soares, do Fórum Nacional de Travestis e Transexuais Negras e Negros (Fonatrans), do Eixo Temático Diversidade/LGBT;

– Pedro Prata, da Escola de Gente, Eixo Temático Diversidade/ Jovem com Deficiência;

– Iago Rodrigues Ervanovite, da Pastoral Juvenil da CNBB, do Eixo Temático Comunicação;

– Caio Angarten, da União dos Escoteiros do Brasil, Eixo Temático Educação;

– Marcus Vinicius Barão, da Confederação Nacional dos Jovens Empresários (Conaje), Eixo Trabalho e Renda;

– Marcos Silva, do Movimento Nacional ODS Nós Podemos, Eixo Temáticos Meio Ambiente;

– Bruno Ramos, da Liga do Funk, Eixo Temático Cultura; Pedro Caldas, do Eixo Temático Diversidade/LGBT;

– Misael Mendes Rocha, da OAB, Eixo Temático Segurança e Paz;

– Ediglei Alexandre Cesário, União Nacional das Instituições de Auto Gestão em Saúde (Unidas) Eixo Temático Saúde;

– Jéssica Ohana, do Conjuve, Eixo Temático Poder Público;

– Raphael Mendes, da União Estadual dos Estudantes de Roraima/Região Norte;

– Valber Neto, da União Municipal dos Estudantes de Rosario-MA/ Região Nordeste;

– Larissa dos Santos Ferreira, da Associação de Moradores dos Bairros Jardim, Jardim Petrópolis e Residencial/Região Centro-Oeste;

– Bruno Gabriel, Região Sudeste;

– Edson Lau, Região Sul;

– Erick Martins, Eixo Temático Participação;

Da SNJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *