Te cuida, Dino! Bolsonaro quer mais rigidez sobre contas dos estados

O Ministério da Economia pretende criar um órgão no ano que vem para mudar regras de prestação de contas dos estados e elevar a rigidez no acompanhamento das contas públicas.

A informação é da Folha de S. Paulo.

“A visão no governo é que os tribunais de contas estaduais falharam no acompanhamento de receitas e despesas nos últimos anos e deram aval a metodologias de cálculo que contribuíram para esconder os números reais. Isso, na avaliação da atual gestão, fez limites legais estourarem em pelo menos 14 estados ao fim de 2018”, diz a publicação.

A medida pode atingir em cheio o Maranhão. Nas contas do Ministério da Economia, por exemplo, a gestão Flávio Dino (PCdoB) já consome 57,3% da Receita Corrente Líquida (RCL) com o pagamento de pessoal.

O limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) é de 60%.

Mas, nas contas dos comunistas, o percentual é de apenas 51,8.

O principal problema a ser corrigido, na visão do governo, é justamente esse. Ao longo dos últimos anos, diversos estados teriam maquiado o real nível de despesas, recebendo aval dos tribunais de contas regionais.

A LRF estabelece que a despesa com pessoal nos estados não pode exceder 60% da receita corrente líquida. No entanto, alguns deles deixam de considerar na conta gastos com pensionistas, Imposto de Renda Retido na Fonte e obrigações patronais.

A diferença de metodologias fez nove estados se declararem dentro dos limites de gasto enquanto estouravam os limites nas contas feitas pelo Tesouro Nacional.

Do Blog do Gilberto Leda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *