Flávio Dino sente o golpe do aumento da aprovação de Bolsonaro

Flávio Dino sente o golpe do aumento da aprovação de Bolsonaro

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), nitidamente sentiu o golpe do recente aumento da popularidade de Jair Bolsonaro (sem partido).

O presidente da República está com a melhor avaliação desde que começou o seu mandato, segundo levantamento do Datafolha divulgado hoje (14). De acordo com o instituto, 37% dos brasileiros consideram seu governo ótimo ou bom, ante 32% que o achavam na pesquisa anterior, feita em 23 e 24 de junho.

Mais acentuada ainda foi a queda na curva da rejeição: caíram de 44% para 34% os que o consideravam ruim e péssimo no período. Consideram o governo regular, por sua vez, 27%, ante 23% em junho.

E o comunista reagiu mal: foi às redes para dizer que esse “ligeiro crescimento” de Bolsonaro “não é sustentável”.

Haja cotovelo para tanta dor…

Do Blog do Gilberto Leda

Apesar do PCdoB com candidato, Flávio Dino anuncia neutralidade no 1º turno em São Luís

Apesar do PCdoB com candidato, Flávio Dino anuncia neutralidade no 1º turno em São Luís

O governador Flávio Dino oficializou sua neutralidade no primeiro turno das eleições de São Luís.

“O governador respeitará todos os aliados que o apoiaram em 2018 e, por isso, não adotará nenhuma posição quanto ao 1º turno das eleições em São Luís”, disse a Secom em resposta ao jornal O Imparcial.

O partido de Flávio, PCdoB, tem pré-candidato a prefeito de São Luís.

Já se sabe que pelo menos no primeiro round das eleições Rubens Jr. não poderá contar com o apoio do governador.

Do Blog do John Cutrim

Flávio Dino: na última semana de agosto será feita nova consulta para retorno das aulas

Flávio Dino: na última semana de agosto será feita nova consulta para retorno das aulas

Os estudos da PUC-RJ e FGV mais uma vez apontam o Maranhão como o estado brasileiro que possui uma das menores taxas de contágio do coronavírus. É o estado que está há mais tempo com a taxa de transmissão abaixo de 1.

“Esse é um resultado que demonstra o nosso esforço sério, comprometido e dedicado em salvar vidas no nosso estado. Além disso, hoje consolidamos a conquista de casos ativos abaixo de 10 mil. Esse também é um indicador importante para o Maranhão”, disse Flávio Dino.

Além desses dados, na coletiva virtual desta sexta-feira (7), o governador destacou que 10 estados brasileiros apresentam queda na morte por Covid-19 no Brasil, e o Maranhão é um dos estados que apresenta maior redução no número de óbitos do país.

Ocupação de leitos e hemodiálise

No último boletim divulgado pela Secretaria de Saúde (quinta-feira, 6), a ocupação dos leitos de UTI estava em 39,90%, enquanto os leitos clínicos registraram taxa de ocupação de 22,86%.

“Os leitos permanecerão na nossa rede para continuar atendendo os pacientes que necessitarem. Em 2014, havia apenas 84 leitos UTI em toda a rede estadual. Entregaremos 300 leitos de UTI, quase quatro vezes mais leitos do que encontramos”, assegurou o governador.

Outra ação de expansão na saúde foi assegurada com a conclusão e entrega do Centro de Hemodiálise de Pinheiro. “Quando assumimos o Governo, havia apenas 25 poltronas em todo o estado. Agora os pacientes que precisam de hemodiálise possuem 254 poltronas, ou seja, multiplicamos por 10 o atendimento à hemodiálise no Maranhão”, confirmou Dino.

Educação

Na coletiva, o governador apresentou números sobre a educação durante o período da pandemia. Ao todo, já foram 444 aulas gravadas em vídeo ou rádio; mais de 230 mil estudantes assistem às aulas não presenciais; foram distribuídos 90 mil chips com pacote de internet aos alunos da rede estadual como suporte às aulas online e foram impressos mais de 90 mil materiais do “Terceirão não tira férias”.

“A educação é um tema muito desafiador. Estamos falando de problemas sanitários, mas lidamos também com a insegurança das comunidades escolares no retorno às aulas presenciais e um enorme risco de que sejam aprofundadas as desigualdades educacionais no Brasil. Não há debate sobre isso no país e infelizmente assistimos esse aprofundamento dessas desigualdades”, disse o governador ao divulgar que na última semana de agosto será feita nova consulta com toda a comunidade escolar sobre o retorno gradual das aulas presenciais para os estudantes da rede pública estadual.

Fiscalizações

Ao final da coletiva, foram apresentados números sobre as ações de fiscalização da Vigilância Sanitária e do Procon em todo o Maranhão.

De março a julho foram feitas mais de 3 mil ações de fiscalização da Vigilância Sanitária, 633 termos de intimação, 145 autos de infração e 6 interdições sanitárias.

Pelo Procon, foram feitas, de março a agosto, mais de 800 ações de fiscalização, 90 sanções e mais de R$ 5,5 milhões em sanções.

Veja/Paraná Pesquisas: Bolsonaro 30,7% x Flávio Dino 1,6%

Veja/Paraná Pesquisas: Bolsonaro 30,7% x Flávio Dino 1,6%

Levantamento exclusivo realizado pelo instituto Paraná Pesquisas para a revista Veja, entre os dias 18 e 21 de julho, mostra que, mesmo sendo um mandatário controverso à frente de um país dividido em relação ao seu governo, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), lidera todos os cenários de primeiro turno para as eleições de 2022 — com percentuais que vão de 27,5% a 30,7%.

Ele derrotaria os seis potenciais adversários em um segundo round da corrida ao Planalto em 2022: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o ex-­prefeito Fernando Haddad (PT), o ex-­governador Ciro Gomes (PDT), o ex-­ministro Sergio Moro, o governador paulista João Doria (PSDB) e o apresentador Luciano Huck.

O cenário em que foi incluído o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), é o que Bolsonaro vai melhor, com 30,7% das intenções de voto. O comunista, por outro lado, aparece com apenas 1,6%.

Veja aqui a íntegra da pesquisa.

Do Blog do Gilberto Leda

Para Flávio Dino, a esquerda pode perder em todas as capitais em 2020

Para Flávio Dino, a esquerda pode perder em todas as capitais em 2020

Parece que nem mesmo o governador Flávio Dino (PCdoB) leva muita fé na pré-candidatura do seu pupilo, Rubens Júnior (PCdoB), em São Luís.

Segundo O Globo, o comunista que comanda o Maranhão avalia “que a esquerda poderá perder em todas as capitais brasileiras em novembro, diante dos pré-candidatos escolhidos até o momento”.

“Esse grande fracasso, como lamenta a interlocutores, poderá catalisar a criação de um novo partido e, talvez, ensaie uma união maior do campo”, diz a publicação.

Do Blog do Gilberto Leda

Bolsonaro libera mais R$ 245 milhões ao Governo do Maranhão

Bolsonaro libera mais R$ 245 milhões ao Governo do Maranhão

O Governo do Maranhão recebeu ontem (13) a segunda parcela do socorro emergencial destinado a estados e municípios pelo governo Jair Bolsonaro (sem partido).

O valor destinado ao governo Flávio Dino (PCdoB) é de algo em torno de R$ 245 milhões.

Esta é a segunda de quatro parcelas que serão pagas. No total, o governo comunista será contemplado com R$ 982 milhões.

As prefeituras também receberam a primeira parcela: de acordo com levantamento do Senados, os municípios maranhenses receberão, ao todo, perto de R$ 597 milhões (veja aqui a lista).

Do Blog do Gilberto Leda

Secretário de Flávio Dino diz que chapa com o PT é derrota anunciada

Secretário de Flávio Dino diz que chapa com o PT é derrota anunciada

Em debate acirrado entre a Frente Ampla e a Frente Popular, no último dia 06, o Secretário Chefe da Representação Institucional do governo Flávio Dino no Distrito Federal, Ricardo Capelli (PCdoB), “desceu a ripa” no Partido dos Trabalhadores. Na ocasião, participavam do debate lideranças do campo democrático-popular (PT, PCdoB, movimentos sociais etc.).

Em determinado momento, Ricardo Capelli, liderança destacada do PCdoB, chegou a afirmar que o apoio do PT ao deputado Marcelo Freixo (PSOL) fez o parlamentar desistir de ser candidato a Prefeito do Rio, porque, segundo Capelli, tal apoio representaria a derrota de Freixo nas eleições.

“O Freixo desistiu de ser candidato no Rio de Janeiro porque ele viu que uma chapa com o PT era derrota”, disse Capelli.

A fala de Ricardo Capelli revela uma contradição existente entre as lideranças do PCdoB: no Rio de Janeiro, eles acreditam que o apoio do PT faria Freixo ser derrotado nas eleições para prefeito, mas em São Luís, esse mesmo PCdoB busca a todo custo conquistar o apoio do PT ao pré-candidato comunista Rubens Jr.

Em outras palavras: o PT não “serve” no Rio de Janeiro, mas no Maranhão o PT tem “utilidade”.

Do Marrapá

Dino endossa SES e diz que atividades podem ser fechadas se casos de Covid-19 aumentarem

Dino endossa SES e diz que atividades podem ser fechadas se casos de Covid-19 aumentarem

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), endossou hoje, 26, durante entrevista coletiva, discurso do secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, sobre a possibilidade de novo fechamento de setores do comércio e indústria caso haja uma segunda onda da Covid-19 no estado.

Neste fim de semana, o comércio maranhense prepara-se para a reabertura do setor de bares e restaurantes e, por isso, o governo tem reforçado a necessidade de atendimento às medidas sanitária para evitar um aumento do número de casos – que vêm caindo semana a semana.

“Não podemos relaxar nas medidas sanitárias editadas pelo governo do Estado e pelas prefeituras por que elas são vitais para que possamos continuar no enfrentamento da doença”, disse.

O comunista destacou exemplos malsucedidos de reabertura na Europa para destacar que pode haver novo endurecimento de medidas também no Maranhão.

“Nós estamos vivendo neste momento a abertura das atividades. É vital que todos cuidem das suas famílias mediante às medidas sanitárias. É possível sim que setores econômicos sejam abertos hoje e que depois de algumas semanas, por conta das questões sanitárias possam ser interditados novamente. Já vimos isto em Portugal, na França e até na China, então não descuidem das normas sanitárias”, afirmou.

Na quinta-feira, 25, durante entrevista ao programa Ponto Final, da Rádio Mirante AM, o titular da SES já havia feito o mesmo alerta. Segundo Carlos Lula, as regras sanitárias definidas para os estabelecimentos devem ser seguidas à risca. Caso contrário, se o número de novos casos voltar a aumentar, é possível que haja novo fechamento (reveja).

Do Blog do Gilberto Leda

Maranhão terá volta às aulas em 1º de agosto, diz Flávio Dino

Maranhão terá volta às aulas em 1º de agosto, diz Flávio Dino

O governador Flávio Dino (PCdoB) anunciou hoje (19), durante entrevista coletiva por videoconferência, que o retorno às aulas no Maranhão está programado para o dia 1º de agosto.

Inicialmente, chegou-se a cogitar retomada do calendário escolar em julho.

Segundo Dino, pais e responsáveis, e os empresários do setor, seguirão sendo ouvidos até a data proposta, que pode ser novamente adiada se houver “um retrocesso” no registro de novos casos e de óbitos por conta da pandemia da Covid-19 no estado.

“Nós vamos intensificar as escutas de pais e mães, educadores também, e a preocupação ainda é muito grande. Está fixada a data de 1º de agosto para a retomada das aulas, mas havendo um retrocesso teremos que avaliar. Mas mantida a situação atual, as aulas retornam no dia 1º de agosto”, declarou.

Bolsonaro sanciona lei que garante ajuda de R$ 982 milhões ao governo Dino

Bolsonaro sanciona lei que garante ajuda de R$ 982 milhões ao governo Dino

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou hoje (28), com vetos, o projeto que prevê ajuda financeira de R$ 60 bilhões a estados e municípios. O texto foi publicado na edição desta quinta-feira do Diário Oficial da União.

Pelo texto sancionado, o governo Flávio Dino (PCdoB) terá direito a R$ 982 milhões.

Segundo dados da Agência Senado, o chamado “socorro emergencial” garantirá R$ 250 milhões para aplicação exclusiva na saúde pública, e outros R$ 732 milhões para investimentos a serem decididos pelo chefe do Executivo (saiba mais).

O mesmo levantamento aponta, ainda, que caberá aos prefeitos algo em torno de R$ 597 milhões (veja aqui a lista).

Vetos

Bolsonaro acolheu os quatro vetos sugeridos pela equipe econômica do governo. Veja quais os trechos vetados e as justificativas apresentadas pelo governo:

  • Aumento a servidores: abertura de exceção para que servidores da saúde e segurança pública pudessem ter os salários reajustados. Com o veto, não haverá reajustes para nenhuma categoria do serviço público até o final do ano que vem. Segundo o governo, a manutenção do dispositivo retiraria quase 2/3 do impacto esperado para a restrição de crescimento de despesa com o pessoal;
  • Concursos públicos: vetada suspensão dos prazos de validade de concursos públicos homologados até 20 de março.Segundo o governo, o dispositivo fere o pacto federativo e a autonomia dos entes da federação;
  • Garantias e contragarantias: trecho proibia a União de executar garantias e contragarantias em caso de inadimplência em 2020. De acordo com o governo, se a proibição permanecesse, haveria o risco de o Brasil se tornar inadimplente perante o mercado doméstico e internacional;
  • Previdência: trecho previa a suspensão das parcelas relativas aos pagamentos dos financiamentos de dívidas dos Municípios com a Previdência. Governo afirma que o parágrafo é inconstitucional, porque o prazo suspenderia o limite de 60 meses.

Com informações do Globo.com