Saúde continua sendo o calcanhar-de-aquiles do governo em Coelho Neto…

 

Por mais que a propaganda oficial tente induzir o contrário, a saúde continua sendo uma das secretarias que maior contribuem com o desgaste pessoal e político do prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT).

Foco principal das críticas do petista quando era apresentador de rádio, o setor tinha obrigação de ser um dos mais eficientes do governo – senão o mais eficiente – já que havia receita para tudo e segundo ele eram milhões que tudo dava para se fazer.

Antes de assumir, Américo gerou a maior expecativa ao anunciar a ex-vereadora Cristiane Bacelar para o cargo. Foram 07 meses de uma gestão apática e sem qualquer resultado, até que sua saída fosse anunciada oficialmente dada em primeira mão por esse blog. Por mais que na época a desculpa dada fosse a de que Cristiane teria mais tempo para está com a família na capital, hoje a cidade sabe que isso tudo não passou de invencionice, pois ela nunca se ausentou da cidade e faz questão de colar no prefeito em todo lugar que ele esteja.

Assumiu em seu lugar a enfermeira Olímpia Vieira. De lá para cá o cenário de reclamações em nada mudou, ao contrário, cresceu o número de insastisfeitos nos mais diversos setores. A Unidade de Pronto Atendimento – UPA teve seu quadro de profissionais reduzido e as cobranças pela demora no atendimento é cada vez maior.

Demora no atendimento e muita reclamação na Upa de Coelho Neto: quadro piorou após a redução de servidores

No início desse ano, o governo armou a patacoada de dispensar os dentistas para economizar dinheiro. A notícia se alastrou como rastilho de pólvora e a medida foi revogada. Nas Unidades Básicas de Saúde – UBS da cidade, os recepcionistas foram exonerados e os demais profissionais se revezam em administrar seus setores e cobrir o buraco deixado pela falta destes profissionais. A reclamação de falta de medicamentos nos setores do Centro de Atenção Psicossocial – CAPS também não é diferente.

A proposta de abertura do Hospital Ivan Ruy e a propaganda de ter um hospital público foi engavetada. A ausência de agentes comunitários de saúde foi constatada em grupos de whatsapp após matéria publiada por esse blog, com áreas descobertas por ausência de profissional, simplesmente porque o governo insiste em não chamar os aprovados no seletivo feito por eles mesmos. As poucas intervenções nas unidades são de gosto duvidoso. A UBS do Bairro Sarney vendida como reformada, não demorou dois meses para que ficasse exposto a má qualidade das obras executadas pelo governo.

Em menos de 02 meses reformada, UBS do Sarney é o reflexo da incompetência do governo na execução de suas obras

A denúncia agora é que 90% das unidades de saúde da zona rural estão fechados desde o dia 02 de janeiro e que se alguém precisar tomar uma injeção tem sido necessário recorrer a cidade. O blog recebeu denúncia dos moradores do povoado Santa Maria relatando o ocorrido.

Moradores denunciaram situção da UBS do povoado Santa Maria

O Conselho Municipal de Saúde – CMS que deveria fiscalizar as ações do órgão gestor se faz de cego para tanto descaso, mas age com espantosa agilidade em questões de interesse do governo (como no caso da reprovação das contas da APAE, por exemplo), porque em relação as contas do governo, o conselho não dá um pio sequer, por motivos que faremos a exposição posteriormente.

Fora todos esses problemas já citados, a secretaria de Saúde assim como outros setores do governo é um feudo de nepotismo cruzado que ocorre de maneira vergonhosa e escancarada, contrariando tudo aquilo que o prefeito condenou um dia.

A saúde precisa sofrer um “up” urgentemente.

Sob pena de enfraquecer ainda mais um governo que já nasceu fraco…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *