Quando se perde a noção de ser oposição…

unnamed (2)

A vereadora de Coelho Neto Cristiane Bacelar (Solidariedade) deve está desaprendendo a fazer oposição, ou melhor, está esquecendo que pra ser oposição precisa se ter bom senso e coerência nas reivindicações.

Em recente postagem no Facebook me enviada por um leitor (já que estou bloqueado por ela por não aceitar sob hipótese alguma ser criticada), a parlamentar aproveitou-se de um episódio ocorrido na cidade de Coari-AM para de forma indireta incitar a violência.

“Esses moradores da cidade de Coari no Amazonas não tiveram a paciência que os funcionários públicos de Coelho Neto estão tendo. Sem receber seus salários, atearam fogo nas casas do prefeito”, disse ela.

Ora pois, quem deveria ser “solidária” e se portar como sindicalista que sabe reivindicar a edil faz o caminho inverso e tenta se aproveitar de uma situação lamentável dessas para ilustrar um “discurso bonito”. A vereadora esquece que quando primeira dama foi obrigada a aceitar na porta de sua casa uma manifestação de professores grevistas: o que naquela época para ela soou como falta de respeito hoje virou coisa aceitável? Me poupe!

Esqueceu de mencionar por exemplo que parte desses funcionários não recebem por serem provenientes de programas do Governo Federal que de fato não tem cumprido com a regularidade dos repasses. Porque ao invés de sugerir uma pressão na Promotoria a vereadora não a fez? Ganhar curtidas no Facebook é fácil, difícil mesmo é mostrar ação com resultados práticos.

O povo não quer saber de discursos vereadora, o povo quer saber de ações. A oposição é necessária mas para exercê-la não se pode ir pro “vale tudo”, já que nesse jogo se sabe muito bem quem são as pedras e o devido papel que as mesmas exercem durante a partida. É simples assim!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *