Quando as atitudes soam como oportunismo…

10943621_945969752080734_613787481_n
Vereadores com o Comandante da PM: atitude que soa como oportunismo

Foi só explodirem a onda de dois assassinatos em seguida e um atentado em Coelho Neto no último domingo (25) para no “cagar dos pintos” da segunda (26), os vereadores da oposição se aproveitarem do fato para tentar mostrar serviço e dizer que estão preocupados com o tema. Me comprem um bode!

Ocorre que o Presidente da Câmara Márcio Almeida (PSD) acompanhado dos vereadores Lucinete Gonçalves (PSD), Luiz Ramos (PSD) e Cristiane Bacelar (Solidariedade) resolveram segundo matéria veiculada num blog da oposição “solicitar informações sobre a nova onda de violência no município”.

A atitude dos vereadores teria sido nobre se fosse algo constante e se mostrasse com ações que faz parte de uma preocupação diária e não momentânea, até porque tivemos recentemente quatro assassinatos em série e não tinha se visto dos nobres parlamentares até então nenhuma preocupação nesse sentido. Agora depois que mais duas pessoas perderam a vida é que o assunto ganhou prioridade? Tão de brincadeira!

Não há como não atribuir essa visita como uma forma de tentar ganhar dividendos pessoais e até eleitorais, já que pelos últimos acontecimentos é possível constatar que os parlamentares encontram-se em plena pré-campanha eleitoral, pois fazem reuniões pra tudo, menos para debater os problemas do município apresentando soluções concretas para os tais.

O discurso é fraco, tão fraco quanto a matéria de divulgação e mais fraco ainda quanto a atuação destes vereadores em relação ao assunto. A violência em Coelho Neto não é um tema de hoje, aliás é um assunto de anos e partindo desse princípio surgem várias perguntas:

Quais projetos de lei encontram-se em tramitação na Câmara de autoria dos quatro vereadores relacionados ao tema? Qual a ação dos vereadores para que a Segurança Pública seja um assunto permanente na Casa sendo tema por exemplo de uma Comissão Especial? Porque ao invés de vir a São Luís almoçar pra fazer política os edis não agendaram uma reunião de trabalho com o Secretário de Segurança para apresentar o crescimento da violência no município? Porque os vereadores nunca se manifestaram sobre a interdição do prédio da Delegacia feito ainda no ano passado por superlotação? Porque os vereadores nunca convocaram a sociedade e as demais autoridades para debater sobre esse tema? Será que os vereadores dispõem de dados sobre o quadro atual da violência no município?

Enfim, duvido muito que fora o marketing errado os edis consigam de fato apresentar um relatório de ações positivas dirigidas a esse setor desde 2013 simplesmente porque elas não existem. Até uma Audiência Pública que deveria ser convocada no ano passado não foi capaz de sair do papel com a desculpa de que houveram “sucessivas mudanças no Comando Geral da Polícia”.

Acho bom os vereadores tentarem rever as formas de convencer que estão trabalhando e ao invés de pousar para fotos, agirem mostrando ações concretas, porque já está ficando feio… Seria cômico se não fosse trágico!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *