PAULO MARINHO JÚNIOR CADA VEZ MAIS PERTO DE BRASÍLIA

PAULO MARINHO JÚNIOR CADA VEZ MAIS PERTO DE BRASÍLIA

Blog do Gilberto Léda

São duas as formas de o suplente de deputado federal Paulo Marinho Júnior (PMDB) assumir uma vaga na Câmara Federal. Ele é o quarto suplente da coligação que o elegeu, mas, em breve, será o primeiro da fila.

Explica-se: o primeiro suplente é Chiquinho Escórcio (PMDB), que assumiu com a saída de Gastão Vieira (PMDB) para o Ministério do Turismo.

O segundo suplente, Costa Ferreira (PSC), está no mandato por conta da saída de Pedro Fernandes (PTB) para a Secretaria de Cidades – SEDUC nos próximos dias.


Cléber Verde (PRB) deve assumir a Secretaria de Pesca, e assume o terceiro suplente Ricardo Archer (PMDB), filho do ex-prefeito de Codó.


Assim, Paulo Marinho Junior fica dependendo de apenas um movimento para assumir o cargo em Brasília. E tem duas chances.


A primeira é a saída de Sétimo Waquim (PMDB), provavelmente para assumir a Secretaria de Projetos Especiais, hoje comandada por João Alberto (PMDB), que assumiria a SECID – o senador nega que deixa o posto onde se encontra. Se a articulação não der certo, Waquim pode acabar ele próprio na pasta de Pedro Fernandes.


A segunda chance do peemedebista de Caxias seria uma licença médica de Zé Vieira (PR), que voltou a ser hospitalizado por problemas de saúde, na última sexta-feira (18).


Com problemas no coração – ele realizou uma cirurgia de ponte de safena e está internado na UTI do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo -, o deputado federal pode ser aconselhado a ausentar-se do parlamento por alguns meses.


Deve ser por ter tanta certeza da situação confortável do filho que Paulo Marinho, o pai, disse o que segue abaixo em sua página no Facebook, sábado passado (19).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *