O LEGADO DE WEVERTON ROCHA

O LEGADO DE WEVERTON ROCHA

Dando uma olhada nos arquivos pessoais encontrei um certificado bastante significativo para mim: o que retrata a realização do Encontro Estadual de Juventude, realizado em 18 e 19 de agosto de 2006 em São Luís, ainda na gestão de Felipe Klamt na Superintendência de Juventude do governo Zé Reinaldo. Depois desse evento, a política de juventude ganharia um fôlego sem precedentes em todo o Estado, revelando lideranças de juvenis de rara grandeza.

No início do governo Jackson Lago (in memoriam), a Secretaria de Juventude foi criada e entregue ao jovem Weverton Rocha que enfrentaria grande resistência de alguns segmentos de juventude, principalmente advindos do movimento estudantil de São Luís. Mesmo assumindo uma Secretaria Extraordinária, Weverton buscou palmilhar a custa de muito sacrifício, o respeito do governador e dos colegas secretários, afim de garantir espaço e não deixar sua pasta e o seu segmento sem a devida atenção da máquina pública.

Logo após a posse, Weverton conseguiu dar celeridade a assinatura da Lei que criava o Conselho Estadual de Juventude-CEJOVEM, agendando sua posse para logo em seguida. Simples, bastante acessível e sempre atento as particularidades e aos problemas de cada liderança que o procurava, Weverton procurava sempre dar encaminhamento a todas as demandas que estavam ao seu alcance. Sem mesmo me conhecer, tratou comigo de política de juventude no refeitório da Faculdade Atenas Maranhense-FAMA e lá mesmo demonstrou que seus projetos seriam arrojados, digno dos grandes homens visionários de nossa história.

O movimento juvenil que vez por outra atacava a gestão de Weverton, sempre conseguiu ter nele um parceiro nas realizações de eventos do Fórum Estadual de Juventude. Foi assim em Coelho Neto, Imperatriz, São Luís e tantas outros municípios que solicitavam seu apoio. Não fugia do debate e era presença constante nos eventos da sociedade civil, fato que acabava incomodando alguns dos líderes mais efusivos da ala radical do segmento. Agregou em sua volta todas as secretarias do governo estadual e organizou de forma pioneira a I Semana Estadual de Juventude. Nesse período o Centro Histórico foi ocupado por jovens vindos de todo o interior do Estado numa mega-estrutura nunca antes vista para discutir políticas públicas de, com e para a juventude.

Mas não ficou por ai. Foi na gestão de Weverton que se deu o processo de mobilização para participação de jovens de todo o Estado nas Conferências Municipais, Regionais e Estadual de Juventude. Nesse período os gestores de juventude receberão um curso de extensão de 06 meses, fruto de uma parceria com a Secretaria Nacional de Juventude e o Banco Mundial. Como fruto de tamanho amadurecimento surgiu o Fórum de Gestores de Juventude, que mais tarde participaria de um Encontro Estadual com os gestores do Esporte para que fossem discutidos temas afins entre as duas políticas públicas.

Se fosse falar de todas as ações desse desbravador enquanto gestor de juventude não conseguiria resumi-las. Não falaria do Centro de Juventude de Timon (foto) que se tornou projeto piloto e que seria implantado em todas as regiões do Estado. Não seria demais reforçar que foi na gestão de Weverton que os Programas Projovem Urbano teve sua implantação de forma pioneira, período no qual os professores recebiam religiosamente em dia. O Projovem Urbano nessa época se tornou referência para os demais Estados principalmente pelas técnicas desenvolvidas com os docentes pela Fundação Darcy Ribeiro. Na gestão de Weverton o Conselho Estadual de Juventude viveu seu período de apogeu e jamais esteve relegado a planos inferiores.
Passado tanto tempo chega-se a conclusão de que Weverton Rocha deixou seu legado. Não foi apático, inacessível, omisso e muito menos se esquivou de utilizar todos os meios que tinha para tornar importante o segmento que representava. Era comum os representantes de juventude sentar-se a mesa de honra e discutir com o governador, exercendo o tão falado protagonismo. Hoje a juventude passa por um momento de total esfriamento. A segunda gestão do CEJOVEM que deveria ser grande referência após o trabalho iniciado pela primeira gestão permanece na geladeira. Quem participou desse período sabe muito bem do que estou falando: das reuniões até meia noite discutindo programação, das inúmeras demandas que precisavam ser atendidas, da “vaquinha” para pagar a conta de um lanche quando naquela época a maioria não tinha emprego e como todo jovem nessas condições andava “liso”.

Weverton Rocha foi muito mais do que um Secretário de Estado da Juventude. Foi um Amigo. Exerceu com maestria a arte de driblar os problemas, mas do que isso conseguiu com muito respeito ter Amigos e ser o Amigo. Assumir um mandato de deputado federal nada mais é do que o coroamento desse ciclo que não se encerra, apenas começa, dessa vez com uma dose a mais de maturidade. Viva a Juventude! Muito Obrigado Weverton Rocha!

Samuel Bastos

Conselheiro Estadual de Juventude

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *