O GESTO DE GRANDEZA DE SARNEY

O GESTO DE GRANDEZA DE SARNEY

Do Blog do Décio

Num gesto de grandeza política, o presidente do Senado, José Sarney, apresentou ontem na Casa um voto de pesar pela morte de Jackson Lago. Infelizmente, teve quem não entendesse desta forma.

– A máfia que mata é a mesma que manda flores, faz elogios e vai ao enterro – disse o ex-chefe da Casa Civil Aderson Lago, numa das maiores grosserias já vistas na história política do Maranhão.

Sarney fez questão de apresentar a nota de pesar do Plenário demonstrando humildade

Ao rejeitar a nota de pesar apresentada por Sarney, Aderson, primo do ex-governador com quem passou quase toda a vida brigado, não estava atingindo o senador maranhense, mas o Senado da República.

Com seu gesto de intolerância, Aderson agrediu, entre outros, Marta Suplicy (PT-SP), Itamar Franco (PPS-MG), Aécio Neves (PSDB-MG) e os próprios senadores do PDT Acir Gurgacz (RO), Cristovam Buarque (DF), João Durval (BA) e Pedro Taques (MT).

No seu discurso, o presidente do Senado fez questão de ressaltar que Jackson foi seu adversário durante toda vida, com o qual teve “lutas árduas nessas vicissitudes da política”.

Em sua fala, que ele fez questão de fazer do Plenário e não da mesa-diretora ou da Tribuna, citou a expressão latina de mortuis nil nisi bonum, ou seja, só se deve falar dos mortos as coisas boas.

Sarney fez gesto semelhante quando da morte de Victorino Freire, talvez seu maior adversário político no Estado.

É esse seu estilo. Para ele, a morte é o limite. Deveria ser assim para todos nós.

A política não deve e não pode ser um instrumento de deseducação, de ódio e sim de grandeza.

Sarney apenas cumpriu seu dever de Homem de Estado.

A ele devemos mais esse ensinamento, apesar da intolerância de alguns poucos.

COMENTÁRIO DO BLOGOlha só quem reaparece: o morto-vivo do Aderson Lago conhecido como um dos piores secretários do governo Jackson e o terror de dezenas de prefeitos… Estrela, queria mandar mais do que o próprio Governador. Sempre querendo se mostrar como a vitrina da moral e dos bons costumes… Tú jura? Se fosse tão bom e tão defensor dos pobres como vende a própria imagem tinha sido eleito. Arrota ser um mártir por durante anos falar mal do Sarney e se corrói de inveja do Presidente do Senador por nunca ter conseguido ocupar metade dos cargos que ele ocupou e sequer ter conseguido atravessar os muros do Maranhão. Um dos principais envolvidos num conhecido escândalo (O ex-chefe da Casa Civil foi pilhado na “máfia”, comandada por ele mesmo, e que ficou conhecida como “Ópera Prima”, onde usou empresas dos próprios filhos parar desviar dinheiro do governo comandado pelo primo). É na verdade um falso moralista! Se tivesse a capacidade de chegar ao Senado iria se igualar a Arthur Virgílio e outros “santos” da nossa política. Procura teu bloco Aderson… quem não te conhece que te compre!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *