“ME SENTI TRAIDO”, DIZ MARCELO MENEZES EM NOTA APÓS ELEIÇÃO DA CÂMARA

“ME SENTI TRAIDO”, DIZ MARCELO MENEZES EM NOTA APÓS ELEIÇÃO DA CÂMARA


Querido povo de Chapadinha, em especial aos meus 1190 amigos e eleitores. Primeiramente, quero, veementemente, negar que esteja apoiando o grupo MagNúbia, grupo contra o qual venho lutando, com todas as minhas forças, nos últimos 08 anos da minha vida. Seria uma traição imperdoável ao povo de Chapadinha se estivesse tomando tal decisão.

A minha luta contra esse desgoverno que estava instalado nesta cidade nos últimos 12 anos está apenas começando, pois só vou me contentar quando ver os dois perversos que governaram esta cidade totalmente inelegíveis e pagando pelos crimes cometidos contra o meu povo.

Contribui, assim como toda a minha família e em especial meu pai Isaias Fortes, para a eleição de Ducilene Belezinha para o cargo de Prefeita deste Município, cargo este que graças a Deus e ao povo de nossa querida Chapadinha, Belezinha ocupa desde a madrugada de hoje.

Apoiarei a prefeita Belezinha, incondicionalmente, enquanto esta estiver governando para o povo de Chapadinha. Tenho uma certeza clara que Belezinha conduzirá seu governo na mais perfeita ordem e decência. Tenho certeza que a corrupção e os desvios de verbas públicas que antes assolavam nossa cidade, agora não mais existirão. Como disse acima, apoiarei, contribuirei com minha experiência de parlamentar de três mandatos. Serei Belezinha enquanto esta governar para o povo de Chapadinha, mas não hesitarei um segundo sequer se perceber que o meu povo está novamente sofrendo.

Acerca da eleição da presidência da câmara que aconteceu nesta madrugada, em nada fui contra meus ideais, em nada fui contra meus pensamentos políticos. Fui convidado por um grupo de vereadores para encabeçar uma chapa. Aceitei ser o candidato à presidência da câmara, conforme documento que anexo. Por questões alheias à minha vontade tive que abdicar de ser candidato à presidência e compus a chapa como primeiro secretário.

Não traí ninguém, pelo contrário me senti traído. Não coloquei ninguém em vexame, pelo contrário fui colocado em uma situação extremamente vexatória. Em todos os momentos a prefeita Belezinha dizia que “não ia se meter na eleição da presidência da câmara” que os pretensos candidatos poderiam ir atrás dos votos. Um grupo de vereadores não me queria como membro da chapa. O outro grupo de vereadores me convidou para ser o candidato a presidente. Aceitei por entender que caso chegasse ao posto mais alto do legislativo municipal serviria ao meu povo. Como primeiro secretário da câmara municipal continuarei como servidor do povo.

Ontem durante a cerimônia de posse ouvi um parlamentar dizer que eu não tinha moral para falar em trairagem. Digo ao colega que tenho moral sim, pois fui o único de 10 vereadores que jamais traiu o povo de Chapadinha, que não se vendeu ao grupo MagNúbia. Aconselho ao prezado vereador que tenha esta mesma conduta, caso contrário o povo que lhe outorgou seu mandato, pode lhe dar uma rasteira na próxima eleição.

Portanto, queridos eleitores, não me calarei, continuarei fiscalizando, caso haja desvios, irei denunciar, lutarei até o final para ver os antigos gestores condenados pelos crimes que cometeram. Por fim, me coloco à disposição da prefeita Belezinha para ajudá-la no que for preciso para melhoramos o bem-estar do nosso querido povo.

Um feliz ano novo ao povo de Chapadinha e que Deus nos abençoe.


VEREADOR MARCELO MENEZES.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *