LEANE PARTICIPA DE REUNIÃO COM COMITÊ DE EMERGÊNCIA E 105 MUNICÍPIOS ATINGIDOS PELAS ENCHENTES

LEANE PARTICIPA DE REUNIÃO COM COMITÊ DE EMERGÊNCIA E 105 MUNICÍPIOS ATINGIDOS PELAS ENCHENTES


O Prefeito de Afonso Cunha JOSÉ LEANE (foto – 1º de blusa listrada da esquerda) e representantes de 105 municípios maranhenses atingidos pelas enchentes receberam, nesta quarta-feira (27), o anúncio da liberação de recursos da ordem de R$ de 120 milhões, provenientes do Governo Federal, para auxílio na recuperação das áreas destruídas. A quantia provém de Medida Provisória que destinou R$ 800 milhões para todos os estados atingidos pelas cheias no Nordeste. A informação foi transmitida pelo secretário de Estado de Planejamento e Orçamento, Gastão Vieira, durante reunião, no Palácio Henrique de La Rocque.

No encontro, os prefeitos estiveram reunidos com a equipe do Comitê de Emergência, liderada pelo secretário de Estado de Planejamento e Orçamento, Gastão Vieira, e contou com a presença do vice-governador, João Alberto, representando a governadora Roseana Sarney; do secretário de Articulação Política, Hildo Rocha; do secretário chefe da Casa Civil, João Alberto; da chefe da Assessoria de Projetos Especiais da Casa Civil, Olga Simão; da secretária adjunta de Saúde, Cristina Loyola, representando o secretário de Saúde, Ricardo Murad; e de representantes da Defesa Civil e Exército, além de deputados estaduais.

Gastão Vieira disse que do total destinado ao Maranhão, R$ 25 milhões serão aplicados em obras de habitação, R$ 35 milhões de infraestrutura e R$ 25 milhões irão para a recuperação de açudes e barragens. Além disso, 20 mil famílias atingidas, e que se encontram em situação mais crítica, receberão, diretamente em suas contas bancárias, durante três meses, a quantia mensal de R$ 100, totalizando R$ 8 milhões e 900 mil.

O vice-governador, João Alberto, convidou o superintendente do Banco do Nordeste, Francisco José de Morais Alves, para ler o ofício-resposta à solicitação da governadora Roseana Sarney, encaminhado recentemente à instituição, no qual ela solicita auxílio aos cerca de 1.500 produtores rurais em atividade nas regiões afetadas e que ficaram prejudicados.

Francisco José de Morais comunicou aos prefeitos que o Banco do Nordeste (BNB) concederá benefício de renegociação de 189.121 operações do BNB no Maranhão, contratadas nos municípios atingidos com parcelas vencendo em 01.04.09 e 31.12.09, o que representam recursos da ordem de R$ 342.076.051. Para os produtores beneficiados, serão abertas linhas de crédito emergencial de até R$ 1.500 por pessoa, totalizando R$ 90 milhões.

Prioridade

O secretário Gastão Vieira lembrou que o Maranhão ainda conta com R$ 16 milhões, verba que deveria ter sido empregada durante as enchentes ocorridas no Maranhão em 2008. “Precisamos somente saber se essa quantia será encaminhada aos municípios que iriam recebê-la ano passado ou se será somada à verba que está sendo disponibilizada para a tragédia deste ano”, disse Gastão Vieira.

Durante a reunião, o vice-governador, João Alberto, destacou o empenho do Governo do Estado para com a minimização dos transtornos decorrentes das enchentes, bem como o esforço da Defesa Civil, que está na linha de frente das ações concretas. Ele aproveitou para fazer um anúncio. “A Defesa Civil pode ficar certa de que ano que vem iremos equipá-la para que possa ter melhores condições de trabalho”, garantiu o vice-governador.

O secretário chefe da Casa Civil, João Abreu, enfatizou o empenho do órgão para com a resolução dos problemas. “A Casa Civil é a porta de entrada das demandas e todas elas têm prioridade absoluta. A governadora tem a preocupação de que todos os decretos referendados pelo estado sejam verificados de pronto”, destacou João Abreu.

Os prefeitos acompanharam atentamente as palavras dos membros da mesa e alguns intervieram explanando suas dificuldades. O prefeito de Icatu, Juarez Lima, por exemplo, referiu-se à mandioca, que está dentro d’água, o que significa prejuízo nas roças comunitárias. “Ano que vem, não teremos produção de mandioca, por causa da situação em que nos encontramos agora”, comentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *