Gouveia sendo Gouveia: A relação da história da rã e do escorpião com o episódio da FUG-MA

Wllington Gouveia: manobra baixa e sorrateira para usrupar o poder de quem lhe estendeu a mão

Diz uma parábola, que um escorpião pediu para uma rã ajuda-lo a atravessar o rio, pois não sabia nadar. A rã negou-se pois tinha medo do famoso veneno do ferrão do escorpião. Ele argumentou que a rã não tivesse medo pois se atacasse os dois morreriam afogados e ele não queria morrer. E assim a convenceu. O escorpião subiu nas costa da rã e mais ou menos na metade da travessia o escorpião feriu-a com seu ferrão. Já sentindo as dores do veneno e quase sucumbindo, a rã diz ao escorpião: Por quê fez isso seu louco? Agora nós dois vamos morrer. O escorpião lhe respondeu: Desculpe-me não pude evitar… é a minha natureza.

Essa história foi contada para ilustrar o recente golpe vivido pelo secretário Nacional da Juventude e presidente Nacional da Juventude do PMDB, Assis Filho, dentro do seu próprio grupo, quando uma manobra liderada solitariamente e sorrateiramente por Wellington Gouveia, o boicotou no intuito de usurpar a presidência da Fundação Ulisses Guimarães no Estado.

Isso no entanto pode ser surpresa para quem não conhece a história, mas quem conhece sabe que Wellington Gouveia está apenas sendo Wellington Gouveia, ou seja, assim como na parábola do escorpião e da rã, Gouveia trai porque é da sua natureza trair.

Quando chegou a União Municipal dos Estudantes de São Luís – UMES pelas mãos de Raimundo Penha, bastou sentir o gosto do poder para não hesitar trair quem lhe deu a oportunidade de chegar ao apogeu e o fez sem o menor pudor.

E agora no PMDB, quando exercia apenas uma função secundária e foi alçado ao posto máximo de presidente da Fundação Ulisses Guimarães graças a uma articulação direta e temporária comandada pelo próprio Assis Filho, em menos de dez meses, Gouveia mordido pela mosca azul do poder novamente, não hesita em manobrar para trair quem lhe estendeu a mão.

Se de fato lê-se a bíblia, Gouveia saberia que de Gênesis a Apocalipse não há bons frutos da história dos traidores, simplesmente porque desse tipo de gente não há bons frutos a se colher. E Gouveia está nessa lista, porque como sabiamente cita o senador João Alberto, jabuti trepado ou é enchente, ou mão de gente.

Em outras palavras, a mão que bota é a mão que tira.

Simples assim!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *