ESQUECEU A JUVENTUDE, GOVERNADORA?

Quem acompanha o noticiário do Maranhão tem visto que nos últimos dias, todas as discussões se voltam para a nova composição do Governo Roseana. A especulação em cima dos nomes de quem comporá a linha de frente da administração estadual é grande e à medida que o tempo vai passando, alguns nomes vão se confirmando, outros vão sendo esquecidos e o quadro do novo governo vai se desenhando. Nesse cenário as pastas que gerenciam mais poder e mais recursos vão tendo atenção especial. Quem se importa com o novo comando da Secretaria de Esporte e Juventude, por exemplo?

O jornalista Marco d´Eça disse que a governadora havia se fechado em copas para decidir o novo governo. De lá para cá inúmeras reuniões com os mais variados públicos, entre eles, deputados, aliados e articuladores tem ocorrido a portas fechadas. Em meio a essa agenda pra lá de cheia, se chega a uma conclusão dura: na principal mesa de reunião do Palácio dos Leões não há espaço para a juventude. As lideranças juvenis foram esquecidas após o voto. Os jovens mobilizadores que se desdobravam em manifestações nos mais variados cantos do Estado em apoio à então candidata do PMDB, de uma hora para outra não tiveram mais qualquer serventia.

E não para por ai. O Conselho Estadual de Juventude-CEJOVEM, principal órgão de discussão da política do segmento no governo, permanece engessado e esquecido. Nem na posse a Governadora apareceu para prestigiar a nova composição pós-saída do governador cassado. Temos sido relegado a planos inferiores. É bom que se diga, que esse mesmo CEJOVEM entregou em festa pomposa ocorrida no Espaço Renascença, uma comenda ao Presidente do Senado José Sarney-PMDB. Vários conselheiros do mesmo CEJOVEM reuniram-se com Sarney em março desse ano para garantir a aprovação da PEC da Juventude. Orgulhoso com o fato, José Sarney garantiu a celeridade na aprovação da matéria aos jovens maranhenses. A PEC foi votada e o que é melhor, foi aprovada. Não aceitamos que após isso não tenhamos espaço na agenda de prioridades do novo governo da filha do Presidente do Senado.

No curto espaço de tempo que esteve no mandato, o ex-governador Jackson Lago-PDT parou e ouviu a juventude. As lideranças juvenis que declaravam apoio aberto a então senadora Roseana, em nenhum momento foram hostilizadas, ao contrário, eram ouvidas assim mesmo. Várias vezes sentamos com o pedetista para expor ações, propostas e projetos. Das inúmeras solicitações muitas delas foram aceitas, mesmo sendo propostas de lideranças adversárias. Naquele momento os roseanistas eram chamados para discutir porque os pedetistas acreditavam que tínhamos propostas que contemplavam a juventude e não aos nossos aliados. A briga campal da campanha eleitoral havia sido deixada de lado e mesmo sem precisar declarar apoio ao governador da época, nos sentimos respeitados. Hoje que estamos no governo, sequer somos chamados para uma conversa com a governadora… ouvir nossas idéias então, ainda é um sonho.

Enquanto se fecha em copas para decidir se separa ou não o Esporte da Juventude, a governadora esquece dos maiores interessados no assunto. Ao contrário dos inúmeros abutres a procura de emprego, sombra e água fresca à custa da máquina pública, à juventude quer fazer diferente. Não queremos sentar para pedir empregos, para indicar aliados e muito menos para exigir benesses do governo. Só queremos ser ouvidos. A juventude, está em outro estágio. Não precisamos mais interditar pontes, fazer motins e promover badernas para termos o direito de opinar. O governo é que deve convocar a juventude para a discussão e entender que não somos mais apenas meros eleitores encabrestados: somos protagonistas!

Não quero me decepcionar. Não quero que no melhor governo da vida de Roseana a juventude passe despercebida. A margem pequena de votos que elegeu a governadora e a fez eleita ainda no 1º. turno, teve a nossa participação. No meio dessa discussão nosso principal aliado Deputado Roberto Costa-PMDB que foi eleito com o discurso da juventude, por incrível que pareça também se fechou em copas. Esqueceu as lideranças que lhe deram sustentação, esqueceu daqueles que mesmo sem poder lhe dar uma enxurrada de apoios, lhe deram o que tinham de mais precioso: a confiança do voto. Não atende mais telefones, não se posiciona diante da indecisão da governadora, não promove o debate, não discute e não permite aos seus principais cabos eleitorais e as lideranças de juventude como um todo o direito de falar, de ouvir e acima de tudo ser ouvido. A juventude está só. Não temos nesse momento quem nos apóie.

Enfim, diante desse quadro cobro das lideranças de juventude do Maranhão um posicionamento. Não podemos retroagir. Somos os principais interessados, pois a política de juventude perpassa por todas as demais políticas. Aos Conselheiros Estaduais de Juventude fica lançado o desafio. Não podemos nos omitir e nem nos esquivar do nosso papel. Espero que nesse momento a Governadora Roseana Sarney não permita que as políticas públicas em nosso Estado sejam feitas de cima para baixo. Espero que o desejo de participar não seja apenas um sonho, mas o passaporte para contribuir com um grande governo. Grandes decisões passam também pelos jovens… não esqueça a juventude, Governadora!

Samuel Bastos

Conselheiro Estadual de Juventude do Maranhão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *