EM CARTA ABERTA, AMÉRICO DE SOUSA É CHAMADO DE “CORONEL”

EM CARTA ABERTA, AMÉRICO DE SOUSA É CHAMADO DE “CORONEL”

Em primeira mão às 11h:39

Ao tomar conhecimento de uma nota divulgada pelo Prof. Gilson Rocha de Morais (foto), o balaio Américo de Sousa-PT desceu das tamancas na última sessão da Câmara (13). Sem citar nomes e utilizando-se de subterfúgios, Américo mostrou sua verdadeira face, de quando se vê contrariado e com seus brios atingidos.

Profundo conhecedor do jeito Américo de ser, o Professor Gilson Rocha, militante histórico do PT na cidade durante muitos anos, em Carta Aberta, criticou a denúncia feita por aquele que se diz defensor dos trabalhadores, na tentativa de fazer com que a Justiça determinasse o corte nas gratificações de servidores da Educação.


Confira a integra da Carta:

INÉDITO

Ao longo dos tempos, os trabalhadores por serem injustiçados com carga excessiva de trabalho e baixos salários, organizaram-se em sindicatos para reivindicar melhores condições de vida. Os patrões por sua vez resolveram também se organizar em sindicatos para contrapor os direitos dos trabalhadores.

Os trabalhadores organizados tiveram muitas vitórias, mas o patrão sempre resistindo.

Foram anos de lutas para os patrões, a organização dos trabalhadores.

Em Coelho Neto o SINPACEL foi o primeiro sindicato a ser criado após a Constituição de 1988.

Foi um Deus nos acuda, foram noites e madrugadas em que os trabalhadores se encontravam para esta fundação. Logo após criamos o SINPROCON e consequentemente outros foram criados. Eram os trabalhadores se organizando.


O SINPROCON, hoje mesmo SINTASP-MCN, trouxe o sindicalismo cutista, um sindicalismo de garra, forte e defensor dos direitos trabalhistas de quaisquer categorias independente de cargo.

Em 1992 fundamos o PT também de entidade defensora dos direitos dos trabalhadores na área político partidária. Duas entidades de respeito com ideologias socialistas.


As lutas foram travadas e as trabalhadoras e os trabalhadores tiveram melhoria nas condições de vida. Foram greves, paralisações, negociações, satisfações∕insatisfações, insultos∕respeitos, agressões∕passividade, com isso a população foi entendendo, a categoria abrindo os olhos, e o SINTASP∕MCN com o PT, que defendiam os direitos trabalhistas, cresceram, foram reconhecidos pela população.

Na greve de 2008, no governo Magno, com muita luta conseguimos montar e fazer com que o PCCR fosse aprovado pelos vereadores. Lá estavam as nossas vantagens trabalhistas inclusive salários e gratificações, vitória nossa.


Não sei se é evolução ou perseguição, mas a ideologia do SINTASP∕MCN e do PT que se dizem defensores dos direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras começam a mudar.

Hoje o Presidente do SINTASP∕MCN responde a um processo por agredir, com ofensas morais, um associado desta entidade, o diretor da Escola Benedito Duarte, que paga suas mensalidades pontualmente.


Toda essa luta feita pela categoria para criação e aprovação do PCCR, desmorona-se hoje, pois a atual direção do sindicato apoia o vereador do PT, que segundo informações tem um gabinete político partidário dentro do Sindicato, a entrar na justiça para retirar as gratificações de diretores e supervisores associados deste mesmo sindicato causando assim um rebaixamento salarial dos mesmos. Como se vê. As entidades que defendiam os direitos trabalhistas agora agridem estes mesmos direitos conquistados legalmente, causando dano aos seus associados.

Os “mouses” a guiar o sindicato não tem vontade própria, apenas cumprem as determinações do coronel que persegue quem por algum motivo não vota nele.


Enquanto as entidades que se dizem defensoras dos direitos trabalhistas se juntam para retirar gratificações dos administradores e das administradoras das escolas… É o patrão quem luta para manter os salários sem descontos. Quadro invertido, INÉDITO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *