Coelho Neto e o risco de um colapso: Grupo João Santos “ameaça” demitir funcionários e fechar usina.

Confirmação do fechamento da usina levaria a cidade a um colapso

 

 

A cidade de Coelho Neto pode entrar em colapso caso se confirme a “ameaça” do grupo João Santos de demitir seus últimos funcionários e fechar a Usina Itajubara. A possibilidade é real e chegou a ser ventilada por representantes do próprio grupo.

No último dia 30, durante uma audiência com o Ministério Público do Trabalho em Caxias com a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores (as) Assalariados Rurais – STTA, o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentos e seus derivados de Coelho Neto – SINTRIAD e os representantes da empresa estava na pauta a proposta que o grupo apresentaria para pagamento de 04 (quatro) meses de salários atrasados, férias e 13º.

Durante a reunião os representantes do grupo negaram a possibilidade de proposta devido ao fato de não conseguirem confirmar a venda antecipada do álcool da safra do próximo ano. As empresas que estavam negociando recuaram diante da visível crise que passa o conglomerado em todo o país, fato que impediu a compra antecipada com recursos na ordem de quase R$ 13 milhões de reais, correspondente a 7 milhões de litros de álcool.

Por conta disso o empresário José Santos – presidente da parte do grupo sediada em Coelho Neto teria mandado noticiar através de seus advogados que não havia mais condição de manter o empreendimento, a menos que os trabalhadores esperassem até 15 maio de 2019, tempo em que ele teria condições de manter o funcionamento. Uma proposta no mínimo indecorosa e desrespeitosa com os trabalhadores não? Se os trabalhadores não aceitassem ele faria uma demissão em massa, tanto dos rurais quanto dos que ainda trabalham na indústria e consequentemente decretaria de vez o fechamento da usina.

Os advogados dos trabalhadores foram orientados a pedir a penhora da Usina e do canavial para que após a concessão da penhora, os trabalhadores tenham segurança de garantias judiciais de receber seus proventos. De acordo com informações obtidas pelo blog junto ao presidente do STTA Eduardo Penha, a dívida toda chegaria a cerca de R$ 40 milhões levando em consideração horas trabalhadas e rescisões.

Essa decisão se confirmada, provocaria um colapso na cidade, tão grave quanto o que aconteceu após a paralisação da empresa Itapagé em 2005. A população naquela época foi vítima de mais um engodo do grupo João Santos, que na ânsia por conquistar mais décadas de isenção fiscal nunca colocou um parafuso na modernização vendida por eles, mas que nunca aconteceu.

Está na hora da classe política se mexer e buscar os meios legais para minimizar um estrago dessa magnitude.

É um sinal vermelho que se acende sobre a situação econômica do município…

7 thoughts on “Coelho Neto e o risco de um colapso: Grupo João Santos “ameaça” demitir funcionários e fechar usina.

  1. O grupo sugou por anos os trabalhadores de coelho neto, nunca investiu em melhorias nem para o seu crescimento e nem na mão de obra trabalhadora, ajustica do trabalho deveria ser mais agressiva contra o grupo João jantos !!

  2. Essa prática criminosa dos herdeiros do grupo João Santos, que nem de longe chegam aos pés do patriarca da família, que era um homem honrado.

    Acredito muito na lei do retorno e o que essas pessoas estão fazendo com todos os trabalhadores do grupo, inclusive os do cimento eles vão pagar muito caro.

  3. As autoridades diviam fazer algo para ajudar a classe trabalhadora ruralista,mas infelizmente nada fazem.sao bandos de políticos corruptos.

  4. Os trabalhadores merecem seus direitos resguardados pela lei e protegidos.A empresa tem a obrigação de cumprir com seus deveres e pagar todos os direitos aos trabalhadores garantidos por lei

  5. Esse coma da João Santos ja dura mais de uma década.
    Uma ação de eutanásea a esta altura ja deveria ser esperada por todos!
    Ja é morte assistida.

  6. É de lascar nenhum político de coelho neto faz alguma coisa pra melhorar o município até o prefeito de merda ñ faz nada acorda prefeito desgraçado respeita minha cidade

Deixe uma resposta para Anderson Silva Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *