Caso Ludmila: “Continuamos diligenciando”, afirma delegada

Em entrevista a repórter Alessandra Rodrigues, da Rádio Mirante AM, a delegada Wanda Moura, titular da Delegacia Especial da Mulher, assegurou que estão sendo feitas diligências para prender Lúcio André Genésio.

A delegada confirmou que as investigações já foram concluídas e o que resta agora é o cumprimento dos dois mandados de prisões preventivas contra o agressor da advogada Ludmila Ribeiro.

“Continuamos diligenciando, não só aqui na capital, mas também em cidades próximas, no sentido de dar cumprimento a esses dois mandados de prisão existentes contra o Lúcio André”, afirmou a delegada em entrevista à Rádio Mirante AM.

O detalhe é que já são mais de 40 dias que Lúcio André se encontra foragido e sem que a polícia do Maranhão dê uma resposta mais concreta para a vítima e principalmente para a sociedade maranhense.

Brutalidade – A agressão contra Ludmila Ribeiro, praticada por Lúcio André, foi tão brutal que a própria delegada Wanda Moura, dois dias após a agressão, relatou que a advogada não conseguia nem andar direito.

“Essa é a nossa cultura machista, onde muitos homens se veem dono da mulher. Ele queria ver o celular dela e ela não deixou. Após eles terem saído restaurante onde tinham se encontrado, ele a levou para o carro dele. Dentro do veículo ele travou a porta, tomou o celular e passou a agredi-la fisicamente com socos e cotoveladas. Após as agressões ele a levou até próximo do condomínio onde ela morava. Chegando lá, ela se jogou na hora em que ele abriu a porta do carro. Foi quando vizinhos olharam e a socorreram. Ela não conseguia nem ir andando”, narrou a delegada no dia 13 de novembro.

A vítima tem clamado insistentemente por Justiça e já insinuou que pelo fato do seu agressor ter poder e dinheiro, segue sem ser localizado e preso, mas sempre, através dos seus advogados, tentando Habeas Corpus. Pelo menos quatro HC já foram impetrados no Tribunal de Justiça do Maranhão.

Lúcio André Genésio, que segue foragido, é irmão do prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio.

Do Blog do Jorge Aragão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *