CARLOS FILHO COMEÇOU MAL

CARLOS FILHO COMEÇOU MAL

Desde que foi anunciada as mudanças no comando da Secretaria de Estado da Juventude – SEJUV por parte da governadora Roseana Sarney – PMDB, nos colocamos como entusiastas e crendo sempre que as coisas melhorariam. Estávamos confiantes na experiência de Carlos Filho na Assembléia Legislativa e na sua proximidade com a governadora para tocar os projetos que a juventude há tanto tempo esperava, haja visto que André Campos não teve tempo nem de começar o trabalho que havia planejado executar.

Carlos Filho: começou mal
Com a realização da Reunião do Fórum Estadual de Juventude do Maranhão – FEJMA, no último final de semana na cidade de Governador Nunes Freire, esperávamos que o novo titular da SEJUV teria efetiva participação  no evento e com isso começaria sua gestão com o pé direito. Ledo engano. Carlos Filho não participou do evento e enviou uma carta de apresentação tão simplória que nem de longe parecia algo feito por um Secretário de Estado.
A idéia da carta foi excelente, no entanto a forma como o documento foi feito é que deixou a desejar no estilo e no mau gosto, tanto que nem foto do Secretário tinha (como se todos os jovens que participaram do evento conhecessem Carlos Filho). Uma carta xerocada, quase ilegível e com um discurso amigo, porém sem conteúdo palpável. Se o teor da carta foi idéia do Secretário é bom ele saber que não está tratando com meninos (as) alienados (as), se foi idéia da sua equipe está comprovado que Carlos Filho está muito mal assessorado. 
De concreto mesmo para sua gestão Carlos Filho apresenta de imediato apenas a “conquista” da sede da secretaria, como se isso não fosse obrigação do Governo. A Assessoria direta de Carlos Filho esteve na cidade e sequer participou do evento, ao contrário, preferiu ficar nos “conchavos” e nas articulações paralelas em restaurantes da cidade, de olho apenas na eleição dos membros do CEJOVEM. Ao invés de se aproximar e conhecer as lideranças de juventude, a assessoria do Secretário agiu de forma deselegante e contrária ao que rege o Protocolo.
Chegou aos nossos ouvidos comentários de que Carlos Filho desejava fazer nesses três meses o que não foi feito em três anos. Pelas atitudes iniciais fica claro que o novo Secretário errou feio na tacada, primeiro porque perdeu a oportunidade de se tornar conhecido pela juventude e segundo pela forma errada com que sua Assessoria parece querer conduzir o processo. Se a máxima de que a primeira impressão é a que fica, Carlos Filho começou errado e jogando muito mal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *