MAX BARROS DE VOLTA A SINFRA…

MAX BARROS DE VOLTA A SINFRA…

Apontado como um dos mais corretos e produtivos auxiliares do governo Roseana Sarney (PMDB) na gestão passada, o deputado Max Barros (DEM) se prepara para reassumir, até o dia 15 de janeiro, a Secretaria de Infra-estrutura.

Engenheiro, o parlamentar foi responsável pela elaboração do Plano Rodoviário, que já asfaltou, recuperou ou construiu mais de 3 mil quilômetros de rodovias no Maranhão.

Foi em sua gestão, por exemplo, que começou a ser recuperada a Estrada da Maioba, abandonada desde o governo José Reinaldo Tavares (PSB).

Para Max, o retorno à Sinfra é natural, embora demonstre interesse nos embates políticos na Assembléia Legislativa.

Com ligações estreitas tanto com a governadora Roseana Sarney (PMDB) quanto com o chefe da casa Civil, Luís Fernando Silva, Max Barros (DEM) se credencia a ser, novamente, um dos mais importantes secretários do atual governo.

Do Blog Marco D´Éça

NOME DE PESO

NOME DE PESO

Em todos os níveis da administração públicas, mais especificadamente nas funções de confiança das autoridades de cargos eletivos há vários tipos de assessores. Há aqueles que adoram se aparecer, há aqueles que não produzem nada e apenas utilizam a máquina pública como cabide de emprego e há aqueles que além de gozar de extrema confiança, ainda exercem sua função com maestria.

Na administração do prefeito de Coelho Neto Soliney Silva-PSDB também não deixa de ter suas peculiaridades e pessoas dos mais variados estilos. Existe nesse meio assessores que se destacam mais, outros menos, enfim cada um da sua forma. Um, no entanto chama atenção pela forma como se comporta e não é muito difícil perceber e reconhecer o mérito do seu trabalho. Trata-se do jovem Secretário Municipal de Transporte Márcio Almeida Lobo (Na foto com o Vice-Prefeito Sérgio Guanabara).

Márcio é daqueles que não “foge da luta”. Assumiu uma das funções mais estratégicas e dramáticas do governo, onde o titular sempre se depara com problemas que exigem gastos e demandas exacerbadas de todos os lados por parte da população, desde um ônibus para um passeio até um carro para transportar alguém falecido de um lugar para outro. Márcio é perspicaz e não se deixa abater pelas dificuldades. Mesmo que discretamente, Márcio Almeida é um dos secretários de maior confiança e prestígio do prefeito e tem feito por merecer tal confiança.

Além da discrição, uma de suas marcas maiores, Márcio Almeida é daqueles que procura resolver os problemas sem precisar levá-los ao chefe maior. E na luta do dia-a-dia, o trabalho de Márcio não vai passando despercebido. Há inclusive muitos dos que elogiam sua postura firme de zelar pela administração que participa e acima de tudo fazer sua parte nesse contexto. É um jovem de grandes perspectivas, sem dúvida alguma um braço forte do atual governo, mais do que isso um nome de peso.

PEDRO NOVAIS ASSUME PREGANDO FIM DA FARRA NO TURISMO

PEDRO NOVAIS ASSUME PREGANDO FIM DA FARRA NO TURISMO

Brasília – Numa posse concorrida e cercado pela cúpula do PMDB, o novo ministro Turismo, Pedro Novais (PMDB-MA) prometeu acabar a farra das festas bancadas pela pasta. Anunciou também “esforço concentrado” de 120 dias para fazer o ministério deslanchar. “Faremos a identificação e eliminação das áreas críticas, por onde escoam recursos públicos como festas”, disse Novais.

Pedro Novais cochicha com Michel Temer durante transmissão de cargo

Como a Folha mostrou, órgãos de controle suspeitam de fraudes com recursos do Turismo. Ministério Público Federal, Polícia Federal e Controladoria-Geral da União vão auditar, em vários Estados, festas feitas com verba repassada a ONGs por meio de emendas.

Das 50 ONGs que mais receberam verbas da pasta para festas, a Folha apurou que 26 têm relação com políticos ou partidos e foram beneficiadas por emendas de nove deputados. As emendas respondem por 78,5% do orçamento total de R$ 4,2 bilhões do Turismo.

Apoio

Entre os atos prometidos nesta tarde, disse que vai buscar o apoio do Congresso aumentar a participação estrangeira no capital das companhias aéreas, para desafogar a demanda por vôos no país.

A posse de Novais foi acompanhada por toda a cúpula do PMDB. Estiveram presentes o vice-presidente da República, Michel Temer, o presidente do Senado José Sarney (AP), o presidente do partido, senador Valdir Raupp (RO), além de ministros, deputados e senadores.

Orientado pela assessoria do ministério do Turismo, Pedro Novais saiu sem dar entrevista. No discurso, Novais chamou de “calúnia e ataque” da imprensa a divulgação de que ele usou a verba parlamentar de quando era deputado para pagar despesas de motel em São Luís, no Maranhão,

Com a voz embargada e acompanhado da mulher e dos filhos, ele disse que não se envergonha. “A alegria de ter sido escolhido ministro se misturou a uma grande indignação. Os ataques não me atingiram, assumo o ministério com a certeza de não ter cometido nenhum ato de que possa me envergonhar”.

Pedro Novais ainda rebateu as críticas por ter 80 anos. “Criticam-me pelos meus 80 anos, mas só fui hospitalizado duas vezes. Há 10 anos para tratar hérnia e na década de 1950 para tirar as amídalas”, disse.

DILMA QUER HARMONIA COM CONGRESSO, DIZ SARNEY

DILMA QUER HARMONIA COM CONGRESSO, DIZ SARNEY

Da Agência Senado:

Brasília – O presidente do Senado Federal, José Sarney, fez uma visita institucional à presidente da República Dilma Rousseff na tarde desta segunda-feira (3), primeiro dia útil do mandato da presidente. O encontro ocorreu no Palácio do Planalto e, segundo Sarney, Dilma manifestou o seu desejo de prestigiar e de trabalhar sempre em harmonia com o Poder Legislativo.

– A presidente deseja que nosso trabalho seja conjunto e que ao mesmo tempo, possa ser em favor do país – relatou Sarney.

O presidente do Senado disse ter conversado com a presidente da República sobre as matérias que estão pendentes de decisão no Senado e os projetos que devem ser votados este ano

– Nos colocamos à disposição dela para esclarecer sobre matérias que estão tramitando em nossa Casa – afirmou Sarney à TV Senado, na saída da posse do novo ministro do Turismo, Pedro Novais.

Sarney disse ainda que Dilma não fez nenhum pedido específico em relação à pauta de votações do Senado.

– Pelo contrário, a provocação foi minha de expor as matérias que estavam tramitando. Dilma manifestou que queria trabalhar sempre em harmonia com o Poder Legislativo, para prestigiar o Poder Legislativo. A presidente deseja que nosso trabalho seja conjunto e que ao mesmo tempo, possa ser em favor do país – relatou Sarney.

Orçamento

José Sarney deve encaminhar ainda nesta semana à presidente Dilma o texto final da lei orçamentária de 2011, que deverá ser sancionado por ela. É provável que Dilma promova cortes de R$ 30 bilhões no orçamento de 2011, de acordo com notícias que vem sendo publicadas na imprensa. O salário mínimo, fixado em R$ 540, não deve ser afetado pelos cortes. Conforme o ministro da Previdência, Garibaldi Alves, a cifra aprovada pelo Congresso deverá ser mantida.

Aprovado na noite do dia 22 de dezembro, o Orçamento para 2011 contempla um cenário econômico voltado para a austeridade no gasto público. Ali está estabelecido que o limite para remanejamento das verbas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) terá o teto de 30%, mas o governo deverá informar à Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO) quando superar os 25%.

O texto da lei orçamentária seguirá ao Palácio do Planalto com duas mensagens: uma de Sarney para Dilma Rousseff e outra do 1º secretário do Senado, Heráclito Fortes (DEM-PI), enviando o mesmo documento ao chefe da Casa Civil, ministro Antonio Palocci.

FOTO-FOFOCA: BONS COMPANHEIROS

FOTO-FOFOCA: BONS COMPANHEIROS

Mudamos o ano, mas ao que tudo indica só não muda a relação do Prefeito de Coelho Neto Soliney Silva-PSDB e do fiel aliado Mariano Crateús-PTB. No dia-a-dia, os dois tem conseguido dosar a harmonia e a independência entre os poderes. Com a renovação do mandato de Mariano para a Presidência da Câmara, espera-se que o Prefeito continue tendo no aliado, todas as parcerias e o apoio necessário para garantias da governabilidade. Na foto eles aparecem durante as inaugurações de pavimentação asfáltica, ocorrida no final do mês de dezembro do ano que passou.

PEDRO NOVAIS JÁ É MINISTRO

PEDRO NOVAIS JÁ É MINISTRO

Após se despedir do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na rampa do Palácio do Planalto, a nova presidente, Dilma Rousseff, deu posse neste sábado aos 37 ministros de Estado que integrarão o primeiro escalão de seu governo, entre eles o maranhense Pedro Novais (Turismo).

Homens de confiança de Dilma, os primeiros a serem empossados foram os novos chefes da Justiça, José Eduardo Cardozo, e da Casa Civil, Antonio Palocci.

Após a cerimônia, Dilma e os ministros empossados fizeram a foto oficial do novo governo em outro salão do Palácio (foto).

QUEM É O NOVO MINISTRO DO TURISMO?

Pedro Novais Lima nascido em Coelho Neto, no dia 7 de julho de 1930. É filho de Antonio Ferreira Lima e Benedita de Novais Lima.

Formado em Direito pela Universidade Federal do Espírito Santo, foi auditor fiscal da Receita Federal. Ocupou o cargo de Secretário de Fazenda do Estado do Maranhão entre 1975-1978 e 1988-1990.

Na vida política, pertenceu a Arena pela qual se elegeu deputado estadual do Maranhão em 1978. Em 1982, já pelo PMDB, tentou se eleger deputado federal obtendo a suplência, chegando a assumir o mandato entre 22 de setembro de 1983 a 19 de janeiro de 1984.

Em 1990 é eleito deputado federal pelo extinto PDC. Seria o primeiro de seis mandatos consecutivos. Após uma breve passagem pelo PPR, retorna ao PMDB, onde se encontra atualmente. Foi o relator da Lei de Responsabilidade Fiscal, que disciplina os gastos das administrações públicas.

Foi escolhido pela presidente eleita Dilma Rousseff para ocupar o Ministério do Turismo de seu governo, dentro da cota de seu partido, o PMDB.

MULHER DE TEMER ATRAI OLHARES DURANTE A POSSE

MULHER DE TEMER ATRAI OLHARES DURANTE A POSSE

Advogada e ex-miss, Marcela é 43 anos mais nova que o marido

Enquanto a primeira presidente do Brasil discursava e recebia a faixa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, outra mulher atraiu os olhares durante a cerimônia de posse. Marcela Tedeschi Temer, 27 anos, mulher do vice Michel Temer, 70, despertou a curiosidade dos que assistiam o ato em Brasília. O sucesso foi tanto que a nova vice-primeira-dama chegou ao segundo lugar nos trending topics do Twitter (lista dos assuntos mais comentados no microblog) no Brasil e à sétima posição no mundo.

Temer se casou com Marcela em 26 de julho de 2003 em uma cerimônia discreta, para apenas 12 convidados, após menos de um ano de namoro. A jovem, então com 20 anos, prestaria vestibular para Direito e conheceu o novo vice-presidente da República em uma convenção em Paulínia.

Na época, Michel Temer afirmou que o tio e a mãe de Marcela, que a acompanhavam na ocasião, pediram para tirar fotos com ele. Temer solicitou então o telefone da jovem. Após diversos encontros, jantares e viagens, pediu a mão da moça em casamento. Juntos há sete anos, o casal tem um filho, Michelzinho, de 2 anos.

Das passarelas para Brasília

Jovem de classe média do interior paulista, Marcela Tedeschi sempre gostou do mundo do glamour e da moda. Filha de um microempresário e de uma dona de casa, começou a trabalhar em 2002 como recepcionista de um jornal da cidade de Paulínia, a 126 km de São Paulo. Alta, magra e bonita, a jovem tinha o sonho de ser modelo. Convidada pelo dono do jornal, que organizava concursos de beleza, Marcela disputou naquele ano o título de miss Paulínia e terminou com o segundo lugar. Pouco tempo depois, tentou o miss Campinas, do qual saiu vitoriosa, com uma das 32 vagas para disputar o Miss São Paulo. Foi vice-campeã, mais uma vez.

Pouco tempo depois, conheceu Temer, na época com 61 anos, deputado federal e presidente do PMDB. Por causa da relação com o peemedebista, que já dura sete anos, Marcela deixou o sonho de ser modelo de lado. Desde então, sua marca tem sido a discrição. Registros da agora vice-primeira-dama só são feitos em eventos aos quais comparece acompanhando o marido.
Do Portal Terra

EXCLUSIVO: COSTA FERREIRA ESTARÁ EM COELHO NETO

EXCLUSIVO: COSTA FERREIRA ESTARÁ EM COELHO NETO

Pensei que essa notícia fosse ser divulgada pela imprensa “balaia” do solo tupiniquim, como não foi, porque o fato não é mais importante a parte interessada, resolvemos antecipar aqui essa notícia quentinha do forno.

Fontes seguras do blog garantiram que o ex-deputado Costa Ferreira desembarca em Coelho Neto no próximo sábado (08). A missão do ex-secretário de Desenvolvimento Social do Maranhão segundo comentários, é tentar organizar e dar nova cara ao partido que hoje se encontra nas mãos do destemperado blogueiro Pinóquio, que mais se preocupa com o governo tupiniquim do que cumprir com suas obrigações. O PSC não tem qualquer visibilidade no município e fica no ostracismo graças às atitudes imaturas de um Presidente que não sabe se comportar como tal. Desconhece que a função que ocupa perpassa a sua opinião pessoal e os demais filiados do partido acabam sendo prejudicados pois acabam não sendo consultados.

Num ano que antecede as eleições municipais e que os diretórios precisam se organizar para costurar alianças que garantam um quadro com possíveis eleitos, se continuar do jeito que está o PSC descerá ladeira abaixo e não conseguirá eleger nem o sétimo suplente. Até onde nos foi informado, Costa Ferreira chegará em Coelho Neto com dois empresários de peso e fará uma reunião na Câmara de Vereadores. Um grupo de fortes lideranças pretendem se filiar ao partido e garantir um quadro forte com condições de eleger no mínimo dois vereadores e colocaram como empecilho para isso o dito Presidente. Com razão! Quem em sã consciência aceitaria ser liderado por um destemperado? Vale aguardar!

DILMA TOMA POSSE COMO PRIMEIRA PRESIDENTE DO BRASIL

DILMA TOMA POSSE COMO PRIMEIRA PRESIDENTE DO BRASIL

Dilma Rousseff assumiu neste sábado (1º) a Presidência da República. Ela é a primeira mulher a ocupar o cargo. Ao lado de seu vice, Michel Temer (PMDB), Dilma foi recebida no Congresso Nacional pelo presidente do Senado José Sarney.

A presidente eleita e o vice juraram “manter, defender e cumprir a Constituição Federal, observar leis, promover o bem geral do povo brasileiro, sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil” e foram declarados empossados.

A seguir, todos cantaram o Hino Nacional. Dilma e Temer assinaram, sob aplausos, o termo de posse.

Chegada

Para chegar ao Congresso, Dilma teve de desfilar em carro fechado, por causa da chuva que atingiu a capital federal. Ela embarcou na Catedral de Brasília e passou pela Esplanada dos Ministérios.

Escoltada pelo Dragões da Independência, ela acenou aos jornalistas que acompanhavam sua entrada na Câmara dos Deputados.

Entrega da faixa

No Planalto, Dilma e Temer serão recebidos, no alto da rampa, às 16h30, pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pela primeira-dama Marisa Letícia. O vice José Alencar e sua mulher também estariam presentes, mas o vice de Lula, que luta contra um câncer há 13 anos, continua internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

No parlatório, que é voltado para a Praça dos Três Poderes, Lula transmitirá a faixa presidencial para Dilma. Já com a faixa, a presidente entrará no Palácio do Planalto, onde receberá os cumprimentos dos chefes de Estado e autoridades, no salão Leste. Às 17h, voltará ao parlatório, de onde fará o primeiro discurso à população.

Em seguida, de volta ao interior do prédio, Dilma empossará seus 37 ministros. Terminada mais esta etapa, a presidente eleita irá para o Itamaraty, onde, a partir das 18h30, participará de um coquetel para autoridades e missões estrangeiras.

Foram confirmadas as presenças de 24 chefes de Estado e governo, entre eles a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, e o presidente da Venezuela, Hugo Chávez.

DISCURSO

A presidente da República, Dilma Rousseff, afirmou em seu discurso de posse, neste sábado (1º), no Congresso Nacional, que “a luta mais obstinada” do novo governo será “a erradicação da pobreza extrema e a criação de oportunidades para todos”. “Não vou descansar enquanto houver brasileiros sem alimentos à mesa”, declarou.

Antes, no início da fala de cerca de 40 minutos pontuada por alguns momentos de emoção, a presidente disse que terá como “compromisso supremo” durante o mandato “honrar as mulheres, proteger os mais frágeis e governar para todos”.

Ela reafirmou a defesa da liberdade de culto e de imprensa, disse que a corrupção “será combatida permanentemente” e que estende a mão aos partidos de oposição. “A partir deste momento, sou a presidente de todos os brasileiros”, declarou. Ao pronunciar essa frase, com a voz embargada, Dilma se emocionou, sem chegar a chorar, e recebeu aplausos.

Dilma também fez menção aos companheiros de militância de esquerda nos anos de regime militar: “Divido com companheiros de luta que tombaram no caminho essa conquista e rendo a eles minha homenagem.”

Mulheres, Lula e Alencar

Dilma abriu o discurso saudando as autoridades presentes e em seguida destacando a condição de mulher. “Pela primeira vez, a faixa presidencial cingirá o ombro de uma mulher”, afirmou, interrompida por aplausos.

A presidente disse que a eleição dela significou “abrir portas para que muitas outras mulheres, no futuro, possam ser presidentas”.

Em seguida, agradeceu ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a quem sucede, e prestou uma homenagem “ao nosso querido vice-presidente José Alencar”, que, internado em um hospital de São Paulo, não compareceu à posse.

Sobre Lula, disse que é o “presidente que mudou a forma de governar e levou o povo brasileiro a confiar no futuro”. Sobre Alencar, afirmou que é um “exemplo de coragem e amor à vida”.

Economia

Dilma abordou o momento econômico pelo qual passa o país, afirmando que “vivemos um dos melhores períodos da vida nacional”, destacando o fim de “um longo período de dependência do FMI [Fundo Monetário Internacional]”.

“Reduzimos a nossa dívida social, resgatando milhares de brasileiros da tragédia da miséria e ajudando outros a alcançar a classe média, mas sempre é preciso buscar mais”, declarou. “Só assim poderemos provar aos que lutam para sair da miséria, que, com a ajuda do governo, eles podem deixar a miséria.”

A presidente destacou a necessidade de reformas “para fazer avançar nossa jovem democracia, fortalecer o sentido programático dos partidos e fortalecer as instituições”.

Segundo ela, “para dar longevidade” ao crescimento, será necessário manter a estabilidade de preços. Para a presidente, é “inadiável” um conjunto de medidas que modernize o sistema tributário, orientado pelo princípio da simplificação e da racionalidade. “O uso intensivo da tecnologia da informação deve estar a serviço de um sistema de progressiva eficiência e elevado respeito ao contribuinte”, disse.

Ela defendeu a valorização do parque industrial brasileiro e o estímulo à exportação. “O apoio aos grandes exportadores não é incompatível com a agricultura familiar e as pequena empresas”, afirmou.

Ela também destacou que pretende acelerar a criação de “milhares” de vagas e estender a experiência do ProUni para o ensino médio e profissionalizante.

“Nas últimas décadas o Brasil universalizou o ensino fundamental, mas é preciso melhorar a qualidade”, afirmou.

Saúde

Dilma afirmou que acompanhará “pessoalmente” as ações do governo na área de saúde.

“Vou usar a força do governo federal para acompanhar a qualidade do serviço prestado”, declarou a presidente, que anunciou que fará parcerias com o setor privado.

Segurança

Dilma destacou no discurso o exemplo das ações nas favelas do Rio de Janeiro ao falar sobre segurança. “O Estado do Rio mostrou o quanto é importante a ação coordenada das forças de segurança”, afirmou.

Sobre as disputas comerciais com outros países, afirmou que o governo dela não tolerará o protecionismo. “Não faremos a menor concessão ao protecionismo dos países ricos”, declarou.

Copa e Olimpíada

De acordo com a presidente eleita, os investimentos previstos para a Copa do Mundo de 2014 e para as Olimpíadas de 2016 serão feitos com o objetivo de gerar “ganhos permanentes”. “É preciso melhorar o transporte aéreo para a Copa e os Jogos Olímpicos”, exemplificou.

Educação

Ao falar de educação, Dilma procurou valorizar a figura do professor. Disse que só existirá ensino de qualidade “se professores forem tratados como as verdadeiras autoridades da educação, com formação continuada, remuneração adequada e sólidos compromissos com a educação dos jovens”.

Ela afirmou que buscará maior capacitação em inteligência e controle das fronteiras e reiterou o compromisso de campanha do combate às drogas, principalmente o crack, “que aflige muitas famílias brasileiras”.

Pré-sal

Sobre as descobertas das jazidas de petróleo na camada pré-sal, afirmou que terá “a responsabilidade de transformar a riqueza de pré-sal em poupança de longo prazo”.

“Estamos vivendo apenas o início de uma nova era. Pela primeira vez o Brasil vê a chance de se tornar uma nação desenvolvida”, disse.

Cultura

“Vamos investir em cultura, ampliando a produção e o consumo em todas as regiões, expandindo a exportação de nossa música e literatura.”

Meio ambiente

“Considero uma missão sagrada do Brasil mostrar ao mundo que é possível crescer aceleradamente sem destruir o meio ambiente. Seremos os campeões mundiais de energia limpa, o etanol e as energias alternativas terão grande estímulo.”

Política externa

“Nossa política externa estará baseada nos valores clássicos da diplomacia brasileira, entre eles a defesa dos direitos humanos e do multilateralismo.”

Guimarães Rosa

A presidente encerrou o discurso fazendo referência a trecho de um poema do – como ela – mineiro Guimarães Rosa:

“O correr da vida embrulha tudo.

A vida é assim: esquenta e esfria,

aperta e daí afrouxa,

sossega e depois desinquieta.

O que ela quer da gente é coragem.”