A HISTÓRIA DE FELIPE SANTOLIA: O CANDIDATO A PREFEITO DO PIAUÍ QUE SE CRUCIFICOU

A HISTÓRIA DE FELIPE SANTOLIA: O CANDIDATO A PREFEITO DO PIAUÍ QUE SE CRUCIFICOU

Conhecido internacionalmente por ter sido crucificado quando dizia estar investigando denúncias contra políticos corruptos, o jornalista Felipe Santolia tomou posse em 2005, como novo prefeito da cidade de Esperantina, localizada a 183 quilômetros da capital, Teresina, e uma das dez maiores municípios do Estado.
Santolia ganhou fama internacional quando, na antevéspera das eleições de 2002, ter sido encontrado crucificado em uma das estradas de acesso a Esperantina. Na época, o jornalista disse que foi crucificado após sofrer uma emboscada, inclusive sofrendo dois tiros. Ele disse que investigava um caso contra um dos administradores de uma das cidades da região.
Inquérito da Polícia Civil apontou que tudo não passou de uma farsa, fato até hoje contestado pelo jornalista que está processando toda a cúpula da segurança pública piauiense da época.
Após a polêmica crucificação, Santolia entrou para a História da Justiça do Piauí como o primeiro cidadão do Estado em regime democrático a ir para a uma penitenciária por crime de calúnia.
”Acho que fui o único no Brasil”, afirmou.
A prisão do jornalista foi motivada por uma série de denúncias que vinha fazendo em sua emissora de rádio (Chibata FM) contra políticos da região, em especial contra um deputado federal, dois deputados estaduais, um secretário de Estado, o prefeito da cidade e dois prefeitos da região de Esperantina. Os atos do jornalista incluindo a crucificação o levaram a ganhar fama e entrar na política, onde disputou pela primeira vez um mandato eletivo, conseguindo no pleito de outubro uma das maiores votações proporcionais do Piauí.
A administração de Felipe Santolia frente à prefeitura de Esperantina foi muito criticada pelos esperantinenses e a imprensa. A cidade vivia de festas, shows e mais shows em praças públicas com bandas de forró e swingueira e o grande destaque da sua administração foi ter chamado debochativamente a atenção da mídia nacional e internacional para sua cidade quando a Câmara Municipal criou uma lei fazendo os esperantinenses comemorarem nas ruas com passeatas e música“O Dia da Gozada”, ou “Dia do Orgasmo”, como queiram. O então prefeito sancionou a Lei, claro, e ainda é vigente.
Fora isso Felipe Santolia que tanto criticava seus opositores ao chegar ao poder foi considerado o “Rei do Cheque Sem Fundo”. Durante os quase quatro anos em que esteve a frente dos destinos da cidade emitiu inacreditáveis 121 cheques sem fundos num total de R$ 745.701,30 (setecentos e quarenta e cinco mil, setecentos e um reais e trinta centavos).
No ano de 2006 foi constatado pelo Tribunal de Contas do Estado a devolução de 11 cheques no valor de R$ 151.022,63 (cento e cinqüenta e um mil e vinte e dois reais e sessenta e três centavos). Já em 2007 foram devolvidos 59 cheques no valor total de R$ 250.502,30 (duzentos e cinquenta mil, quinhentos e dois reais e trinta centavos ).
Em 2008, último ano de administração Felipe Santolia o número de cheques devolvidos sem fundos foi de 51 no valor de R$ 344.176,37 (trezentos e quarenta e quatro mil, cento e setenta e seis reais e trinta e sete centavos) um “recorde” que dificilmente será alcançado por qualquer outro gestor.
Com contribuição do Jornal Pequeno, Jornalesp.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *