Um governo de improviso e vale-tudo…

Os quase 100 dias do governo liderado pelo prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT) foi de resultados tão pífios, que talvez nem o maior pessimista pudesse imaginar.

É difícil crer que alguém que passou 20 anos fazendo oposição ferrenha e com sede de sentar na principal cadeira do Poder Executivo fosse apresentar um desempenho tão abaixo da média, como tem sido nesse início de governo.

Porém nem tudo está perdido. A imprensa através dos blogs tem feito um papel de cobrança impecável e por incrível que pareça é quem tem dado o tom e  pautado as poucas movimentações do governo.

Nesses mais de 03 meses “vale –tudo” se a ordem é tirar o da gestão da reta,  não importando quais os meios que serão utilizados para isso. Para ilustrar esse episódio falaremos da postagem sob os casos de violência na Escola Moacyr Bacelar.

Deixamos bem claro que nem Prefeitura e nem a Secretaria de Educação fizeram qualquer menção aos dois casos ocorridos na referida escola na mesma semana até então. Incrivelmente, após matéria veiculada por esse blog, a Polícia Civil prendeu na noite de ontem (08) o indíviduo envolvido no caso e que negou em depoimento que o fato tenha ocorrido dentro da escola.

Pronto, foi o bastante para que blogs do governo até então mudos, usassem a declaração do indíviduo para criticar a postagem e tentar minimizar o fato, como se isso resolvesse a questão.

Embora tenhamos nos baseado em depoimento de dois professores, o que se constata é que o assunto só veio a tona após a postagem. Para o atual governo, melhor do que encarar a problemática da violência nas escolas que é o caso, o que importa mesmo é se eximir de qualquer culpa mesmo que o assunto em pauta seja a segurança das pessoas.

O governo do improviso que ai está não tem noção de suas responsabilidades. Sem dar importância a fala de um indivíduo que não merece qualquer respaldo, qual a diferença do fato ter ocorrido dentro ou fora? A segurança das pessoas não valem? Fora da escola vale tudo? Quer dizer que professores e alunos devem ficar expostos a insegurança pois o governo não tem obrigação com isso?

Lamentavelmente essa postura confirma a incapacidade da gestão. Quando se poderia convocar uma força tarefa e mobilizar comunidade, polícia e reforçar a segurança na escola, o governo prefere “dar de ombros” ao caso como se o fato da fala do indivíduo tivesse dado tranquilidade ao governo de que o problema não existe

Aos alunos e professores o cuidado então precisa ser redobrado, pois o governo que ai está não responde pela falta de segurança… pelo menos não fora da escola.

Decepcionante tamanho despreparo em quase 100 dias…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *