Selvageria! Cachorro é amarrado e arrastado vivo pelo asfalto em São Mateus

ANIMAL (1)

Um pastor evangélico da Igreja LGBT Aleluia e o filho adolescente estão sendo apontados como os protagonistas de uma cena bárbara registrada na noite do último domingo (22) na cidade de São Mateus do Maranhão.

No vídeo feito através de um aparelho celular é possível ver, sem muita nitidez, que duas pessoas utilizando uma motocicleta arrastam pelo asfalto um pequeno cachorrinho amarrado por uma corda. Veja o vídeo AQUI

Os gemidos do animal são comoventes.

Até hoje a população não se conforma com tamanha selvageria e faz um apelo para que as autoridades daquele município tomem alguma providencia no sentido de punir os responsáveis.

De acordo com o que foi relatado ao Blog do Sérgio Matias, pai e filho alegaram que o cachorrinho havia sido atropelado na frente da residência que moram e em função disso estariam o levando para um terreno baldio localizado próximo a avenida da rodoviária, justamente onde os dois foram flagrados passando arrastando o animal.

A população não entende também é o porquê dos mesmos não terem tentado salvar o animal, ao invés de prologarem ainda mais seu sofrimento.

O mais curioso é que, ainda de acordo com o que foi repassado ao blog por moradores de São Mateus do Maranhão, os dois algozes não disseram onde enterraram o corpo do animal que ajudaram a matar.

Vale lembrar que a Lei nº 9.605 de 12 de Fevereiro de 1998, que dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, em seu artigo 32, diz que praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos, resulta em pena de detenção, de três meses a um ano, e multa.

E mais, no inciso 2º da mesma lei está escrito: A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.

A notícia tem gerado revolta no Estado e foi destaque no Jornal do Maranhão da TV Mirante. Clique AQUI e veja a reportagem completa.

Do Blog do Sérgio Matias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *