SAÚDE É PRINCIPAL PROBLEMA DOS PREFEITOS NO MARANHÃO

SAÚDE É PRINCIPAL PROBLEMA DOS PREFEITOS NO MARANHÃO


A exemplo do que ocorre com a administração pública de São Luís, as demais prefeituras que integram a Região Metropolitana da Ilha e aquelas de maior contingente populacional no estado buscam reequilibrar suas finanças neste início de gestão. Sobre o assunto, O Estado ouviu os prefeitos Gil Cutrim (PMDB), de São José de Ribamar; Léo Coutinho (PSB), de Caxias; Zito Rolim – foto (PV), de Codó, e Zé Alberto (PMDB) de Bacabal.
Discurso unânime entre os chefes do Executivo Municipal, a saúde pública deve ser encarada nos próximos quatro anos como o principal desafio dos municípios maranhenses. Os gestores também mostraram preocupação com a redução de repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e anunciaram medidas emergenciais, como o recadastramento dos servidores, seguido de demissões de contratados e até a redução de salários. Estas são as saídas encontradas para enxugar e equilibrar as contas dos municípios.
Para o prefeito reeleito de São José de Ribamar, Gil Cutrim, a prioridade é manter fórmulas de equilíbrio financeiro do município, que tem receita anual orçada em R$ 160 milhões e mensal de R$ 13,3 milhões. Ele disse que já prepara a administração pública para a redução de repasses do FPM, que acontece desde o ano passado.
“Só para se ter uma ideia da dificuldade que enfrentamos, em 2012 nós tivemos uma perda de R$ 10 milhões no orçamento, justamente pela redução de repasses do FPM, provocada por sua vez, pela isenção nacional do IPI”, disse.
Ele afirmou que tomou como medidas a redução do próprio salário, do vice-prefeito e servidores de cargos comissionados, além da reorganização da jornada de trabalho dos funcionários do Município.
Gil Cutrim afirmou que continuará em busca de novas parcerias com os governos federal e estadual que tenham por objetivo, a melhoria na qualidade de vida da população.
Zito Rolim, prefeito reeleito de Codó, também promove ações de reorganização administrativa, para conseguir manter o equilíbrio das finanças do Município. Ele revelou que haverá demissões na Prefeitura.
“A Prefeitura está organizada, mas há sempre a necessidade de se buscar maior equilíbrio. Já estamos concluindo o recadastramento e faremos o afastamento de todos os contratados, o que é completamente natural”, afirmou.
Rolim disse que manterá como principal foco a atenção à saúde básica. “Temos uma parceria boa com o governo do estado e esperamos que ela seja maior ainda a partir deste ano”, concluiu.
Redução – Léo Coutinho, que assumiu o posto até então ocupado por seu tio, Humberto Coutinho (PDT), elogiou, claro, a administração anterior e disse que dará continuidade ao trabalho de seu antecessor. Coutinho, no entanto, também previu dificuldades futuras com a diminuição de repasses do FPM, e a exemplo de Zito Rolim, assegurou a redução do quadro de funcionários do município.
“Já estamos fazendo o redimensionamento do quadro, como todo gestor faz ao assumir. E provavelmente teremos uma redução no número de servidores. Esse é um momento de mais austeridade e o redimensionamento é uma tendência administrativa nacional”, enfatizou.
Coutinho disse que, a exemplo da postura de Edivaldo Júnior (PTC), prefeito de São Luís, buscará parceria institucional com o governo do estado, principalmente para a área da saúde.
“Em nossa Macrorregião somos responsáveis pelo atendimento de 1,5 milhão de pessoas e no momento não temos nada em relação a transferências do Estado”, disse

Do Blog do Jorge Aragão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *