PERSEGUIÇÃO: SAMUEL BASTOS PEDIRÁ INTERVENÇÃO DA COMISSÃO NACIONAL PARA GARANTIR DIREITO DE PARTICIPAR DAS REUNIÕES DA COE

PERSEGUIÇÃO: SAMUEL BASTOS PEDIRÁ INTERVENÇÃO DA COMISSÃO NACIONAL PARA GARANTIR DIREITO DE PARTICIPAR DAS REUNIÕES DA COE

Todo mundo tem acompanhado a repercussão negativa que foi a denúncia do descaso das Conferências de Juventude do Maranhão. É bem verdade que depois que o problema chegou ao conhecimento de meio mundo de gente, “neguin” começou a se rebolar e tentar mostrar serviço. Mas também não era sem tempo. O fato chegou ao conhecimento da Comissão Organizadora Nacional – CON que inclusive aguarda apenas o desenrolar dos fatos para aterrisar em solo maranhense e constatar “in loco” tanto descaso.

Na noite da última quarta (03) um email oficial trazia o Edital de Convocação para a segunda reunião da Comissão Organizadora Estadual do Maranhão. Convocada pelo Presidente André Campos (e Secretário Estadual de Juventude até ulterior deliberação, segundo Decreto da Governadora), a reunião trás uma pauta pra lá de interessante, muitas delas questionadas no teor do artigo em que descrevemos os problemas da Conferência no Estado, senão vejamos:

· A Sede da COE ficará no prédio mal assombrado da Lagoa, que há um ano atrás Ruy Pires conseguiu abrigar a sede do CEJOVEM depois de muita pressão da sociedade civil. Resultado: O prédio só foi aberto e usado uma única vez, assim como o carro que seria usado pelo Conselho e também só foi visto uma vez;

· Avaliação das Conferências Municipais e Livres já realizadas. Essa é a mais engraçada de todas e mostra que o Presidente André Campos não conhece nada sobre avaliação. Aconselho ler Jussara Hoffmam pra entender um pouco sobre o assunto. Como a COE vai avaliar Conferências realizadas se não deu condições e nem participou de nenhuma. Por favor, é brincar com a cara das lideranças. É como se os municípios tivessem ralado e agora a COE se apresentasse como co-autora, sendo que a verdade é que os municípios realizaram tudo com força de vontade. Se dependessem da COE do Maranhão nada tinha saído até agora.

· Como realizar mapeamento dos municípios que realizarão Conferências Municipais se as discussões estão acontecendo de forma isolada porque as lideranças não foram informadas a quem entrar em contato, a não ser um email e três gatos pingados que não sabiam dá uma informação sequer a respeito do processo? Na Conferência das outras políticas os conselheiros se desdobram para visitar os municípios e validar as Conferências. O CEJOVEM continua dormindo o sono dos justos…

· O novo calendário já deveria até ter sido adequado, acompanhando a decisão da Comissão Organizadora Nacional. Por incrível que pareça, acredito ser o único Estado que realizará Conferências no domingo.

Na pauta ainda está definido a discussão a respeito do Lançamento da Conferência Estadual, data da Conferência Estadual, regulamentação das Conferências Territoriais além de outros assuntos. Pois bem, o que imaginei aconteceu e já estamos sendo alvo de perseguição por ter ousado questionar aquilo que alguns acham que não deveria ser questionado, no velho estilo “tratorzão”.

Ao convocar a reunião, o Presidente da COE sr. André Campos (aquele que pensei se portar diferente, caso assumisse a Secretaria no lugar de Ruy Pires) esqueceu que o Decreto assinado pela Governadora que institui a COE do Maranhão, responsabiliza ao Estado a tarefa de dar condições para que os trabalhos da Comissão aconteçam a contento. Como somos o único Conselheiro com assento na COE que não mora em São Luís, é lógico que nossas despesas de locomoção e estadia na capital deveriam e devem ser custeadas pelo Estado. Pois é, nesse caso ficamos só no deveria…

Estranhamente ou a propósito, em conversa por telefone com o sr. Assis Filho (que também é membro da COE), nada de concreto nos foi informado a respeito das garantias de estrutura que seria viabilizada pela Secretaria Estadual de Juventude. Assim sendo ficaria inviável meu deslocamento para São Luís para participar da reunião. O que fica claro é que apesar de se colocar como Presidente o sr. André Campos “esqueceu” de sua obrigação de garantir que os membros da COE participassem da reunião. Pois bem, como a intenção do comando da SEJUV é inviabilizar nossa participação nas reuniões, haveremos de buscar os meios legais para garantir nosso assento, nossa voz e nosso voto. Como fui informado que alguns já tinham até sugerido me retirar da Comissão, fico tranqüilo com respeito a isso e vou aguardar a reunião do CEJOVEM que votará pela retirada do meu nome. Aproveitando a deixa, faremos um esforço para solicitar da Comissão Organizadora Nacional que intervenha e garanta nossa voz e nosso voto tanto na COE quanto à frente do Comitê Executivo, afinal as duas funções seguem apenas a deliberação Nacional.

Perseguição Não! A juventude não se cala!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *