Os desafios que aguardam a Secretária de Juventude do governo Flávio Dino

10410108_734411816636484_6008551640880824893_n
Flávio Dino e Tatiana Pereira: grandes desafios na Secretaria de Juventude

Em se tratando do governo Flávio Dino, poucos secretários encontrarão quadro tão desolador como Tatiana Pereira, escolhida para comandar a Secretaria Estadual de Juventude. Formada em Engenharia da Pesca e mestranda em Sustentabilidade Ambiental, a nova titular da SEJUV é  legítima militante dos movimentos sociais e de juventude onde integra a União da Juventude Socialista-UJS.

Quando for investida no cargo em 1º de janeiro de 2015, Tatiana assumirá uma pasta que só existe no nome e cuja estrutura foi desmontada paulatinamente desde que Roseana Sarney (PMDB) voltou ao governo em 2008. A SEJUV desapareceu das prioridades do governo, a estrutura foi loteada por apadrinhados do governo, os programas que deveriam ser executados simplesmente desapareceram e o Conselho Estadual de Juventude – CEJOVEM foi desaparelhado e desmontado literalmente.

Na verdade as discussões das Políticas Públicas de Juventude no Maranhão não apenas estagnaram como também regrediram, já que deixamos de crescer em vários temas com discussões bastante avançadas. A temática sumiu da Assembléia Legislativa e a discussão do Plano Estadual de Juventude que caminhava para sua efetivação deve estar morfando em alguma dessas gavetas por ai.

Os programas de juventude viabilizados através da Secretaria Nacional de Juventude como o Projovem por exemplo, foram retirados da tutela da SEJUV graças as constantes denúncias de má gestão do programa. Os desafios da pasta serão imensos e todo o trabalho deverá ser iniciado do zero, já que o Maranhão que antes era referência na discussão das Políticas Públicas de Juventude simplesmente saiu do debate no cenário nacional.

Uma agenda de diversas ações positivas cedeu espaço para a burocracia, a falta de autonomia e a inoperância de um governo que a juventude só foi lembrada na propaganda. Com uma boa dose de planejamento se organiza a casa que está pra lá de bagunçada, se traça metas a curto, médio e longo prazo para que as ações em prol da juventude saiam do papel e possam de fato chegar a quem delas precisa.

Muito trabalho… é o que a juventude quer e o Maranhão precisa. Boa sorte companheira!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *