O tiro do no pé no “projeto de blogueiro” que foi para o brejo…

 

 

Inconformado com a derrota eleitoral que confirmou sua incapacidade de avaliar o cenário político local, o “projeto de blogueiro” de Afonso Cunha que literalmente foi para o brejo, não cansa de tentar aparecer, mesmo que para isso tenha que escrever qualquer coisa.

Despeitado com esse blogueiro (sem qualquer razão de ser), ele tem se esforçado para chamar atenção, coisa típica do complexo de inferioridade que ele deve sentir e dos traumas não curados de infância. Na ânsia de atacar este blogueiro e sem ter o que falar, foi feito por ele uma publicação nesta quinta (22) fazendo referência a uma postagem desse blog de abril de 2016 para forçar a tese que o prefeito de Afonso Cunha Arquimedes Bacelar é perseguidor. Segundo ele, o registro de um Boletim de Ocorrência – B.O do então candidato a prefeito contra este blogueiro, representaria uma mordaça.

Pois bem, logo que se vê que estamos tratando com uma pessoa que sequer sabe o que escreve e o quanto o desejo por ataques gratuitos o deixam “fora da caixinha”. Desde quando um B.O amordaça alguém? O B.O é um dispositivo legal que qualquer um faz uso quando achar conveniente. O blogueiro insinua que deveria ter retirado a matéria, talvez porque ele tenha esse hábito, não sabendo ele que as matérias publicadas por este blog não são retiradas porque assumimos a responsabilidade sobre o que falamos.

A matéria na verdade foi um tiro no pé, pois usar este blogueiro como prova de perseguição do hoje prefeito Arquimedes Bacelar não condiz com os fatos.

Se em abril Arquimedes registrou um B.O contra este blogueiro, em outubro estávamos juntos festejando a maior taca eleitoral dada por ele na candidata do próprio blogueiro e em seguida nos indicando para compor a Comissão de Transição do novo governo. Isso é perseguição?

Frustrado, o projeto de blogueiro vai continuar tentando ser visto de alguma forma e chamando para si uma importância que ele não tem e nunca terá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *