“O MARANHÃO ESTÁ COM ESTA CARACTERÍSTICA DE SE AUTOFLAGELAR”, DIZ JOSÉ SARNEY

“O MARANHÃO ESTÁ COM ESTA CARACTERÍSTICA DE SE AUTOFLAGELAR”, DIZ JOSÉ SARNEY


O Oceano Atlântico, antes de ser nominado e descobertos sua extensão e mistérios, era chamado de “mar tenebroso”, “mar oceano”, não se sabia o que existia além da navegação da costa africana, o que deixava aberta a imaginação da existência dos monstros marinhos que habitavam esse mundão de águas cujos limites não se tinha noção nem se tinha limites. Seu nome vem da mitologia grega, mar de Atlas, este deus grego que nós vemos carregando o globo terrestre nas costas.


Agora, vejo há muitos meses – coisa inédita no Brasil – ser São Luís a cidade que tem todas as suas praias interditadas por águas poluídas. As águas delimitadas, cercadas, podem ter aferidas seu grau de poluição. Um oceano é impossível. O Atlântico ocupa 20% da superfície da terra. São Luís está aberta para o Oceano Atlântico, isto é, vamos repetir para estes 22% da superfície da Terra. Pois bem, nas bordas do Atlântico inteiro existem cidades como Nova Iorque, de 10 milhões de habitantes. Pois bem, perde para São Luís, que com o seu primeiro milhão de habitantes é capaz de poluir o Oceano Atlântico, com a diferença de que lá a maré não chega a dois metros e aqui vai a sete. Essa lâmina d´água, que de seis em seis horas vai e vem, é poluída por uma população de 200 mil habitantes que é a que no máximo habita a área das praias. A praia poluída é em terra, sujeira, dejetos e tudo mais que ali se deposita. Mas a água do Oceano Atlântico que vai e vem num volume que se renova, não é a mesma a toda maré, não cabe na cabeça de ninguém que possa poluir uma faixa tão estreita de terra e aí fique presa todo tempo para não deixar ninguém tomar banho. Alguma coisa está errada. Ou a medição do Oceano Atlântico ou a medição dos nossos laboratórios. São Luís tem uma média de tratamento de esgoto de 10%. A cidade inteira. A média das capitais do Nordeste é de 8%. Recife tem três milhões de habitantes e 5% de esgoto tratado. Suas praias estão livres. Pois é aqui que não se pode tomar banho em todo o litoral brasileiro! Isso pode entrar na cabeça de alguém? Alguma coisa, repito, está errada!

O Maranhão está com esta característica de se autoflagelar. Tivemos um tempo em que espalhamos no Brasil, com dinheiro do povo maranhense, um out-door com a frase “Maranhão, o Estado mais Miserável do Brasil”. Agora, são as praias “poluídas, impróprias para banho”. O próximo cartaz – já passou na televisão – dirá: “Não vá ao Maranhão, praias transmitem doenças”.

Não estou a favor de liberar a Prefeitura (praia é área de prefeitura) da obrigação de manter as praias limpas. Do mesmo modo, a Caema de identificar os riachos que deságuam as águas poluídas e tratá-las. Agora, levar ao extremo de dizer que o Oceano Atlântico está poluído e justamente escolher suas águas impróprias para banhar Olho d’Água, Araçagi, Calhau, Ponta d’Areia, Praia do Meio, Caolho, Ribamar, Raposa, Guia, São Marcos, e disso fazer um escândalo nacional contra o Maranhão é demais!

Sou daqueles que compreendem que saneamento é saúde e prioridade. Roseana lançou o programa de saneamento para dentro e um ano e meio termos 30% de esgoto tratado e dentro de cinco anos, 100%, projeto inédito no Brasil.
Agora, esse programa de que estamos poluindo o Oceano Atlântico me faz lembrar aquela história nossa: “Isso é um jabuti trepado no pau. Ou é coisa de gente ou de enchente”.

Da Coluna do Sarney

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *