O EXEMPLO QUE VEM DE GASTÃO VIEIRA

O EXEMPLO QUE VEM DE GASTÃO VIEIRA


Durante todo o período das últimas eleições em São Luís, o debate da propaganda eleitoral se dava em qual candidato a prefeito teria condições de estabelecer uma parceria institucional entre a Prefeitura e o Governo do Estado. É isso mesmo, o que acontece de forma natural em quase todo o país, na capital do Maranhão é tratado como algo extremamente difícil, para não dizer quase impossível.

Ministro Gastão Vieira: bom exemplo na política

Não se sabe ao certo quem implantou esse jeito ultrapassado de fazer política, no entanto, é por conta de práticas como essa que perduram em nossos dias, que não temos conseguido avançar. É por administrar dessa forma, que boa parte da classe política impediu ao longo dos anos, que o Maranhão melhorasse seus indicadores e conseqüentemente as condições de vida do seu povo, em especial os menos favorecidos.
  
Mas como para toda regra há exceções, o Ministro do Turismo Gastão Vieira numa atitude republicana e dos grandes estadistas deu o bom exemplo ao elogiar o perfil dos secretários escolhidos pelo prefeito eleito de São Luís Edivaldo Holanda Júnior-PTC. Gastão foi além e propôs logo uma parceria institucional e uma agenda de trabalho propositiva com o novo governo e o novo prefeito. Esse é um fato que deveria ser olhado com naturalidade, no entanto como no Estado é um hábito difícil de ser praticado, quem dá o exemplo deve sim ser enaltecido. 
Confira a íntegra da nota emitida pelo Ministro Gastão Vieira através da rede social facebook:
Alguns aspectos do anúncio do secretariado do futuro prefeito Edivaldo Holanda são altamente positivos, no meu ponto de vista: quase todos os futuros secretários estão na mesma faixa etária do chefe, possuem formação acadêmica acima da média brasileira e, alguns que conheço pessoalmente, são críticos com o que ocorre na atual administração municipal. A tarefa de administrar São Luis é, porém, muito complexa.

A queda na receita dos municípios brasileiros dificulta ações concretas e rápidas. Assim, só a boa formação acadêmica e espírito público podem não ser suficientes para encontrar a solução dos problemas. É necessário definir metas e diretrizes. Sei que o futuro prefeito pensa e cuida em definir as prioridades. Agora, não pode demorar, senão cada secretário começa a definir “as suas”, cada um por si e Deus por todos. Aí, fica tudo igual ao que já observamos tantas outras vezes.

Da minha parte, ajudarei a cidade no que for possível! Aguardo o futuro secretário municipal de Turismo, de preferência na companhia do atual (Liviomar), a superintendente do IPHAN (Kátia Bogéa) e do secretário estadual de Turismo para traçarmos, com a participação da Embratur, um plano emergencial para aproveitarmos o fluxo que será trazido pelos jogos da Copa das Confederações.

Torço por você Edivaldo e farei todo o possível para ajudá-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *