JACKSON LAGO E A JUVENTUDE

JACKSON LAGO E A JUVENTUDE

Talvez poucos jovens tenham tanta propriedade para falar do governo Jackson Lago quanto eu, que acompanhei de perto as ações de sua gestão, sempre tendo o cuidado de analisá-las fora da óptica das querelas partidárias e da paixão pessoal. Embora com lados e posicionamentos partidários distintos, sempre procurei me comportar dentro do campo da institucionalidade e a tratar com o governo pedetista no viés desse critério, fato que nunca tive qualquer dificuldade.

Como Secretário Executivo do Fórum Estadual de Juventude em meados de 2007, conseguimos garantir do governador Jackson Lago todas as condições para a sanção da Lei que criava o Conselho Estadual de Juventude – CEJOVEM. Na oportunidade, recebemos do então governador o convite para a solenidade de assinatura daquele “pedaço de papel” que representava tantos sonhos, tantas discussões e tantas esperanças.

Empolgado com a força da juventude, Dr. Jackson no alto de sua humildade e longe do “estrelismo” de alguns governantes, fez questão de abrir as portas do Palácio dos Leões para receber a juventude. Mas do que isso esteve presente na posse e repetiu com entusiasmo a expressão dita por mim e que refletiu de forma bastante simbólica aquele momento: “O Palácio dos Leões hoje é o Palácio da Juventude”. Dr. Jackson era assim sempre tinha um tempinho para a juventude. Numa reunião importante marcada com operários em Imperatriz, mais uma vez não nos deixou na mão e antes de honrar os compromissos previamente agendados, fez questão de marcar presença na IV Reunião Ordinária do FEJMA realizada naquela cidade. Não se fez de rogado e chegou a arriscar uns movimentos de rap ao som do companheiro Alex Pensador de Balsas.

Sempre observava aquelas atitudes e procurava mesmo em silêncio fazer minhas reflexões. Jackson a todo momento procurava se ver na gente. Mesmo não tendo o vigor da nossa juventude, tentava nos encorajar e mostrar que seu governo era nosso parceiro. Sempre via em mim, no Assis, no Raimundo Penha, no Ailton, no Uilma, no Alisson, no Saney, no Weverton, no Thiago Brás, no Olímpio, na Priscilla, no Rafael, no Neto e em tantos outros, a força de companheiros seus como Neiva Moreira, Darcy Ribeiro e Brizola que fizeram tanto em seu tempo. Não estava em jogo o campo partidário o que se discutia era a participação da juventude.

Jackson era da “nossa turma” e não se assustava com os manifestos sempre que estava presente em nossos eventos. Fazia questão de dispensar as formalidades e o protocolo deixando todo mundo bastante a vontade. Com a mesma tranqüilidade que assistiu o desabafo de Ailton Barros no encerramento da Semana da Juventude esteve atento ao manifesto na abertura da Conferência Estadual de Juventude “puxado” por Assis Filho e para mostrar todo esse respeito ao fôlego juvenil disse: “Agora que o evento da juventude começou”, para a surpresa de tantos que ali estavam.

Enfim a perda de Dr. Jackson Lago me permitiu fazer inúmeras reflexões e a sentir falta dessa proximidade com a figura do Estado. Senti falta do paletó, de ouvir o Governador falar mais perto da gente, de pegar na nossa mão e dizer: somos parceiros. Não poderia deixar esse momento passar despercebido e ao “velho” Jackson rendo as minhas homenagens. Aproveito para parafrasear o cerimonialista do seu governo dizendo: Até breve GOVERNADOR DE TODOS OS MARANHENSES.

Samuel Bastos

Conselheiro Estadual de Juventude do Maranhão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *