EX-PREFEITOS DE COELHO NETO INTEGRAM LISTA DOS FICHA-SUJAS DIVULGADAS PELO TCE

EX-PREFEITOS DE COELHO NETO INTEGRAM LISTA DOS FICHA-SUJAS DIVULGADAS PELO TCE
O presidente do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE-MA), Edmar Cutrim, entregou, nesta terça-feira (12), a lista com os nomes de pelo menos 2.800 gestores que tiveram suas contas desaprovadas ou consideradas irregulares nos últimos oito anos. Na prática, eles passam a ser enquadrados na chamada Lei da Ficha Limpa, sendo considerados inelegíveis para as eleições de outubro.

A lista foi apresentada à presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MA), desembargadora Anildes Cruz, no início da tarde, com a presença de vários conselheiros do TCE e da Justiça Eleitoral. Segundo ela, a partir de agora o Ministério Público vai analisar caso a caso da lista, para que possa ser oferecida ou não denúncia quanto à inelegibilidade.


Em 2008, eram cerca de 1.200 gestores que estavam nesta situação. Segundo o presidente do TCE, o órgão gostaria que não tivesse nenhum nome, mas ele acredita que devido à Lei estar mais rigorosa, este quadro vai mudar nos anos seguintes.

O presidente do TCE lamentou o número considerado elevado de gestores com contas irregulares ou consideradas irregulares. “Infelizmente tivemos esse número elevadíssimo de gestores que não cumpriram as exigências da Lei e não aplicaram os recursos da forma devida. Esperamos que daqui para a frente, principalmente aqueles que forem eleitos, possam ter um comportamento diferente, mais transparente”, afirmou.

COELHO NETO

Na lista dos inelegíveis de Coelho Neto consta o nome dos ex-prefeitos Magno Bacelar, Márcia Bacelar, Lúcia Bastos e Antonio Cruz.  

O número de inelegíveis por decisão do TCE é praticamente 100% maior do que nas eleições de 2010 e abrange julgamento realizados pela Corte de Contas nos últimos oito anos.De acordo com a Lei da Ficha Limpa, nenhum desses 2,8 mil pode ser candidato a qualquer cargo eletivo este ano.

“A lista é final e não cabe mais recurso ao TCE. Qualquer questionamento, agora, só poderá ser feito por via judicial”, explicou Edmar Cutrim.

Com conribuição do Imirante e Blog do Gilberto Léda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *