A VERDADEIRA FACE: TÃO BOM QUE TEM QUE SER DIVULGADO

A VERDADEIRA FACE: TÃO BOM QUE TEM QUE SER DIVULGADO
Américo no fundo da rede e do conforto de receber dinheiro sem nem pisar na sala-de-aula: palavras ao vento e nada mais…

Por José Carlos Moraes Machado
É comôdo viver na oposição! Não precisa fazer muita coisa, só abrir a boca para desqualificar quem trabalha. Apontar falhas, sem ao menos se dignar a apresentar soluções para as questões levantadas tem sido a tônica das atitudes do Sr. Américo Sousa nos últimos 15 anos. A ex-prefeita Márcia (oito anos), o ex-prefeito Magno (quatro anos) e agora, Soliney (três anos).
 O caráter distorcido do referido vereador vem à tona quando se fala de suas ações. Sempre preocupado com o próprio ego e o bolso fica estérico quando questionado sobre a prestação de contas do Sindicato nos três anos e meio de gestão. Não prestou contas! Não explica como aumentou tanto o patrimônio. Não explica de onde saiu os cem mil reais para a compra do terreno. Não explica como perdeu uma matrícula no Município. Não explica os concursos públicos como deficiente físico.
Agora, aliado dos ex-prefeitos esqueceu das falcatruas e desmandos denunciados por Ele. Agora, vota a favor das contas irregulares dos ex-gestores. Nunca explicou a questão das diárias, no mínimo, suspeitas na Câmara Municipal. Não se pronuncia sobre o fechamento do Hospital Ivan Rui, da Escola Justino Bastos e de que a Secretaria de Educação no início da gestão Soliney foi comandada por Ele e asseclas, que transformaram a pasta num balaio de gatos.
Quem faz oposição irresponsável distorce os fatos usando a estratégia do “se colar, colou”. A forma do vereador fazer política é perigosa porque a mentira impera. A falta de respeito e flagrante. Cínico e debochado tira o corpo fora quando é solicitado. Queremos que o vereador se posicione sobre o fechamento do Hospital Ivan Rui e sobre a reforma da Escola Justino, só isso! Para quem não faz coisa nenhuma pelo povo de Coelho Neto já seria um bom começo. Infelizmente, ainda, existem pessoas que se deixam levar por um discursinho demagógico, de um indivíduo, reconhecidamente, pilantra.
E, para finalizar: vereador deixe de chamar gun-ver-no, pois gunverno foi o que você fez quando dirigiu o Sindicato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *