A FORÇA DE UMA DAMA

A FORÇA DE UMA DAMA

Em primeira mão às 11h:55

É cada vez mais notória, a participação das mulheres nas mais variadas instâncias de poder. No que se refere às administrações do Poder Executivo, observa-se um significativo número de mulheres nos cargos majoritários que teve seu apogeu recentemente, com a chegada da primeira mulher à Presidência da República.

No atual contexto, as primeiras damas ocupam papel de destaque nos municípios, mesmo quando estas não ocupam qualquer cargo na administração. Antes figura meramente ilustrativa, a Primeira Dama hoje tem papel fundamental de contribuir efetivamente na tomada de decisões e na implementação de políticas públicas municipais. Em alguns casos como gestoras e em outros como articuladoras.

O Portal Gaditas realizou com exclusividade uma entrevista com a Primeira Dama de Coelho Neto Suely Silva (foto). Abaixo a opinião dela sobre diversos temas abordados durante uma conversa bem descontraída.

FAMÍLIA

Sem sombra de dúvidas é o esteio de todo ser humano. Sou a primogênita entre três filhas e conseqüentemente a que foi mais cobrada diante das minhas irmãs. Casei muito jovem, mas consciente de minhas responsabilidades como esposa e futuramente como mãe. Acompanhei meu marido (o Prefeito de Coelho Neto Soliney Silva-PSD) em todos os seus empreendimentos/projetos e após sua entrada na política minha vida se tornou mais corrida. Como mãe de três filhos (Soliney Filho, Bruno e Marcelo), sempre estive dividida entre as várias funções que a mulher moderna hoje desempenha, o que não difere da realidade vivida por grande parte da maioria das mulheres desse país.

A FUNÇÃO DE PRIMEIRA DAMA

É bom frisar que não sou apegada a cargos e que a honra de está Primeira Dama se deve ao fato do povo de Coelho Neto ter confiado nas propostas do Prefeito Soliney em melhorar a vida dos coelhonetenses. Como bem disse, estou Primeira Dama, não sou Primeira Dama, porque não somos donas dessa função. Não tenha dúvida que trata-se de uma função difícil principalmente nos dias atuais, onde a justiça nos proibiu de ocupar cargos nas administrações e as demandas que nos chegam diariamente exigem de nós na grande maioria das vezes, uma disponibilidade financeira que não temos e que nos impede de resolver todos os problemas.

Em um levantamento feito pelo Governo do Estado do Maranhão no ano de 2007, apontou as limitações financeiras como um dos impedimentos para a boa atuação das Primeiras Damas. A realidade mostrou que, além disso, há uma carência na estrutura física e humana disponibilizadas para a mulher do Prefeito e necessárias para realização de ações e projetos nas mais diversas áreas do município. A função da Primeira Dama hoje está muito mais abrangente e não pode ser confundida com as ações da Secretaria de Assistência Social, que antes resumia-se apenas a uma ação social. Enfim, como articuladora do governo, procuramos acompanhar o resultado das Secretarias e encaminhar ao Prefeito os problemas mais complexos e as demandas mais urgentes.

AVALIAÇÃO DO GOVERNO

É bem verdade que grande parte dos Prefeitos hoje amargam índices de rejeição muito grande por não estarem conseguindo atender a contento as expectativas da população. A escassez de recursos aliada à burocracia tem sido o entrave para que muitos sonhos não saiam do papel. O descompromisso das administrações anteriores em sanar seus débitos e deixar o “pepino” para os outros descascarem, gera enormes transtornos, entre eles, a inviabilidade de conveniar com o Governo Federal ocasionado por pendências em prestação de contas, dificultando a aquisição de novos projetos ao município.

Em Coelho Neto diferente de outros municípios circunvizinhos, temos uma avaliação muito positiva do governo e graças a Deus e ao controle das finanças, o Prefeito tem cumprido com a obrigação de honrar o pagamento do funcionalismo em dia. Essa boa avaliação não nos acomoda, ao contrário, nos impulsiona a continuar buscando o que há de melhor para os coelhonetenses.

A ajuda que temos tido dos vereadores (as) Lú, Antonio Pires, Mariano Crateús, Val, Luis Ramos e Raimundão tem sido decisivos para garantir a aprovação dos projetos que vão de encontro ao interesse coletivo. Aliada a essa ajuda da base de sustentação do governo na Câmara Municipal, está o trabalho árduo dos Deputados Max Barros e do Ministro Gastão Vieira em buscar as parcerias necessárias para que novos projetos e programas cheguem a nossa cidade. Destacamos ainda a disponibilidade da Governadora Roseana Sarney em também se colocar sensível as questões e demandas de nosso município.

OPOSIÇÃO

Defendemos o legítimo papel da oposição porque já fomos oposição, o que não aceitamos é se utilizar dessa condição para criar embaraços para o governo. Muitos dos que hoje atacam o Prefeito tiveram oportunidade de ajudar o município e não o fizeram. Alguns na última eleição, por exemplo, fizeram questão de importar candidatos para levarem os votos daqui, se vendendo como pseudo-lideranças. Ai uma pergunta fica no ar: onde está a dezena de candidatos que foram apresentados aqui pela oposição, foram votados e que nunca trouxeram nada para a cidade? Outros arrotam influência com A e amizades com B, sem apresentar qualquer fruto de tanta amizade e tanta influência em benefício da cidade. Criticar fica fácil quando a única preocupação é retomar o comando da Prefeitura a qualquer custo, contrariando a alternância de poder tão bem assegurado pela democracia. É vexatório ver quem antes se esculhambava, se desrespeitava e se odiava em praça pública repentinamente trocar afagos e encenar uma aliança sabe lá a que custo. Enfim, desde que estejam imbuídos a contribuir, a oposição será bem vinda ao debate.

PARTICIPAÇÃO POPULAR

Diferentemente de outros tempos em que o povo não participava, a Constituição de 88 assegurou o acesso por parte dos cidadãos a diversas instâncias de participação popular. Os Conselhos Municipais e as Conferências fazem parte desse importante contexto. Só esse ano foram realizadas as Conferências de Segurança Alimentar, da Saúde, do Idoso, da Assistência Social, da Mulher e ainda realizaremos a Conferência dos Direitos da Criança e do Adolescente. Nesses espaços avaliamos as políticas públicas segmentadas e temos a oportunidade de construir propostas que poderão ser executadas pelos governos nas três esferas a curto, médio e longo prazo. E numa proposta inovadora a Saúde como deliberação de sua última Conferência estimulou a criação do Conselho Gestor Local de Saúde – CGLS, outro importante instrumento de aproximar o cidadão do governo, tornando-o participativo.

A PARTICIPAÇÃO DA MULHER NOS ESPAÇOS DE PODER

É cada vez mais animador o número de mulheres ocupantes nos mais diversos espaços dentro e fora do cenário político. O Maranhão foi o primeiro a eleger uma mulher como governadora e recentemente elegemos a primeira mulher para presidir os destinos do país. Em Coelho Neto as mulheres estão sensíveis a essa realidade e aos poucos vão se tornando cada vez mais presentes em todos os espaços. No governo temos três mulheres ocupando Secretarias de peso na esfera pública: Rosário Leal (Educação), Rosângela Curado (Saúde) e Albertina Tavares (Assistência Social). Além disso, temos uma Vereadora (Lú) e uma juíza (Dra. Karla Jeanne) além de mulheres que se espalham ocupando funções como médicas, professoras, empresárias, enfermeiras, pastoras de igreja e até moto-táxi. Enfim é um momento importante que a mulher vive e a nossa expectativa é que esse cenário seja cada vez mais promissor, finalizou ela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *