O Abandono do ginásio de Afonso Cunha e o pedaço da história que o vereador não contou…

O Abandono do ginásio de Afonso Cunha e o pedaço da história que o vereador não contou…

Quem vê o vereador Zezinho da Padaria (Avante), cobrando sobre o abandono do Ginásio Poliesportivo de Afonso Cunha e não conhece a história chega a achar que o parlamentar tem razão… mas isso só acontece para quem não conhece a história.

O vereador perde a razão já na primeira análise: a do tempo. Quem não fez em oito anos não pode colocar a culpa em quem tem dois ano e meio de governo.

Segundo o vereador e toda a comunidade sabe que o ex-prefeito José Leane nunca fez uma reforma no ginásio, senão uma mera pintura. As fotos mostradas por ele revelam isso: as arquibancadas são a mesma da construção do governo do ex-prefeito Mário Bacelar, as duas salas e os banheiros onde deveria ser a sede da secretaria de esporte nunca funcionaram, o piso não passou por melhoria e o tão famoso alambrado ficou no sonho. Era essa a obra marca do ex-governo?

Na verdade o abandono do único ginásio de Afonso Cunha é fruto de uma ação “meia boca” feita pelo governo que o vereador Zezinho da Padaria fazia parte. Porque o vereador não mostrou fotos da entrega da reforma do ginásio? Porque ele não mostrou fotos da obra sendo executada? Por que ele não mostrou os banheiros e as duas salas recuperadas, com o secretário despachando e os atletas fazendo uso? A caixa de água interna que existia para manter os banheiros foi destruída e até o portão foi colocado pelo atual governo porque o antigo virou sucata.

Na verdade o vereador não mostrou essas fotos porque esses registros não existem. Nem a frente do ginásio entrou em reforma na época, prova de que essa conta não é do atual governo. Mas o ginásio de fato já poderia ter sido reformado, se o prefeito não tivesse que ter usado esse recurso para executar a obra do Ginásio Poliesportivo do Povoado Olho d´Agua que fora herdada inacabada e sem dinheiro em caixa para garantir sua conclusão.

Foram três repasses feitos: um no valor de RS 102.000,00 (cento e dois mil reais) no dia 02 de outubro de 2013, outro no valor de R$ 102.000,00 (cento e dois mil reais) no dia 09 e abril de 2014 e o último no valor de R$ 306.000,00 (trezentos e seis mil reais) no dia 19 de agosto de 2014. Sobre essa obra inacabada por exemplo, não há um registro de cobrança do nobre vereador de onde foi parar esse dinheiro. Por que será?

O atual governo vai recuperar o Ginásio Poliesportivo quando os recursos forem suficientes para executar uma obra completa.

E não um arremedo de pintura para servir de enganação e fazer politicagem…

Deixe uma resposta