Sobre a mudança na gestão da Saúde de Coelho Neto e seus desdobramentos…

Sobre a mudança na gestão da Saúde de Coelho Neto e seus desdobramentos…

EDITORIAL

As mudanças anunciadas pelo prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), ocasionadas após pedido de exoneração da então secretária de Saúde Olímpia Delgado ontem (09), apenas acelerou mudanças que o governo faria a continuará fazendo até que seja concluído a nova proposta de reforma administrativa.

Como o blog antecipou, as alterações fazem parte de uma auto preparação do petista para chegar 2020 com o menor índice de rejeição possível e para isso as mudanças nessa hora sempre são bem vindas, principalmente na saúde, que sempre foi o calcanhar de Áquiles de todos os governos, principalmente do atual.

Sem me reportar a gestão que felizmente se encerra, o blog volta a gerar boa expectativa com o anúncio da chegada de Ravanne Bastos (como gerou quando a ex-secretária que saiu tomou posse). Desde que seu nome fora anunciado, avaliou se pela maioria dos comentários que a escolha foi aprovada perante a opinião pública, principalmente por aqueles que conhecem a escolhida, mas com cautela diante do que se sabe de como as coisas funcionam no jeito petista de governar.

Se conseguir imprimir o mesmo atendimento humanizado que fez quando estava à frente da Secretaria de Assistência Social, a nova titular da saúde já terá dado o primeiro passo. A primeira declaração pública após a ascensão ao cargo mostrou bem que estamos diante de alguém diferente – sem salto alto, sem estrelismo, sem achar que pode tudo e principalmente com os pés bem fincados ao chão.

Sigo certa de encontrar uma equipe altamente preparada na Saúde, vamos estabelecer e manter uma confiança, de forma que o resultado desta interação seja proporcionar à população um sentimento de que tenha a Secretaria de Saúde e a própria Administração ao seu lado. Estou aberta ao diálogo, às sugestões, bem como às críticas”, disse ela em sua rede social.

Os desafios do cargo são enormes, necessários e urgentes. O desafogamento da UPA, a melhoria no prédio da Secretaria de Saúde e das Unidades Básicas, um olhar diferenciado para o Hospital Municipal que agoniza, são alguns dos “pepinos” que a nova secretária terá pela frente para descascar com sua equipe.

A população está muito cansada de tanto descaso. A impressão que se tem é que a gestão de saúde e a população andam em vias opostas quando deveriam andar juntas. Saber ouvir as críticas também são indispensáveis para que a secretaria garanta resultados positivos, além da devida autonomia que precisa ser dada pelo prefeito para que as ações planejadas possam sair de fato do papel.

A mudança de nomes faz bem ao governo.

Mas a mudança nas práticas fará bem ao povo.

E é isso que se espera…

Deixe uma resposta