VIVA MULHER SERÁ APRESENTADO EM COELHO NETO

VIVA MULHER SERÁ APRESENTADO EM COELHO NETO

Será apresentado nesta segunda-feira (15), no Teatro Municipal, pela secretária de Estado da Mulher, Catharina Bacelar (foto), o Viva Mulher: o novo modelo de atenção à mulher que reúne ações voltadas para as suas necessidades enquanto pessoa e nos contextos social e familiar. O evento contará ainda com a presença da Coordenadora Municipal de Políticas para as Mulheres Ivonete Pereira Lima, da Presidente do Conselho Municipal da Mulher Marilde Gedeon e da 1ª. Dama Suely Silva.

A visita da secretária faz parte de uma maratona que começa a partir desta segunda-feira (15), a vinte e um municípios maranhenses, com o objetivo de conhecer as demandas das mulheres no interior e assegurar políticas públicas voltadas a elas, visando ainda o enfrentamento das desigualdades e a defesa dos seus direitos.Os municípios a serem visitados são: Timon, Coelho Neto, Duque Bacelar, Caxias, Aldeias Altas, São João do Soter, Codó, Timbiras, Coroatá, Peritoró, Alto Alegre do Maranhão, São Mateus, Matões do Norte, Cantanhede, Miranda do Norte, Pirapemas, Itapecuru-Mirim, Anajatuba, Santa Rita, Rosário e Bacabeira.

Metodologia do VIVA MULHER será apresentada

A metodologia de atendimento contempla quatro etapas: Acolher, Formar, Incluir e Advogar.

No Acolher, a mulher é ouvida e recebe apoio jurídico e psicossocial para que possa ter seu problema resolvido ou encaminhado a quem possa dar uma solução. Nesta etapa a secretaria busca ainda outras demandas que a mulher possa ter enquanto mãe e família e o produto dessa primeira etapa está sendo chamado de Plano de Promoção Familiar.

No Formar, serão serviços de formação em cidadania, em direitos e deveres. São vistas todas as questões de documentação, sub-registro, programas sócias que a mulher pode ter acesso e que não está sendo beneficiada, políticas publicas, saúde, diversidade, violência, entre outras questões. O produto dessa segunda etapa é a Mulher Cidadã.

A terceira etapa de atendimento é a etapa Incluir. Neste momento as mulheres participam de oficinas profissionalizantes e de cursos no sentido de promover e ampliar a participação nos espaços econômicos, de poder, de decisão e a formação profissional.

Para as mulheres apenadas, importante foco das ações da secretaria, a etapa de inclusão avança pela garantia dos direitos, prestação de serviços de qualidade, pela humanização do sistema prisional feminino e pela reinserção de regressões na sociedade.

A partir daí a Secretaria da Mulher vai para a última fase do atendimento que é a de advogar. O papel dessa etapa é influenciar políticas públicas em defesa dos direitos das mulheres, bem como mobilizar a sociedade para a questão de gênero e sensibilizar parlamentares para a necessidade de votar leis que ampliem os direitos das mulheres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *