TODO-PODEROSO RAFAEL OLIVEIRA COMEÇA A AMARGAR OS DISSABORES DO CARGO

Em menos de três meses investido no cargo de “Secretário Geral” do FEJMA, o todo-poderoso RAFAEL OLIVEIRA começa a amargar os dissabores do cargo. Achando que ia ter vida fácil e que só colheria os bônus de tão “ótima função” RAFAEL está numa maré baixa de dá dó.

Envaidecido com o “poder” legítimo da plenária, fez de conta que não sabia como as coisas dentro de um ambiente da sociedade civil funcionava e ignorou os problemas vistos no passado, demonstrando que os colegas que antes estavam na função não fizeram porque não quiseram. Achou que de fato seria unânime como foi na reunião de Morros, que seria aclamado toda vida e que não teria problemas. Entrou tentando ser o salvador da pátria e deu com os burros n’água.

Já no início criou um famoso cargo de SECRETÁRIO GERAL, cargo esse que o colocaria em vantagem na frente dos colegas. Não há no Regimento Interno previsão desse cargo e sequer há publicada uma resolução, um decreto, uma portaria ou uma instrução normativa que regulamente a tal função. Em sua defesa o líder-mor RAIMUNDO PENHA fazendo valer aquele ditado “para meus amigos tudo e para meus inimigos a lei” resolveu justificar a façanha, me colocando como bode expiatório de exemplo. No afã de defender seu pupilo, PENHA esqueceu que de fato era eu que assinava os documentos do FEJMA, mas sempre como SECRETÁRIO EXECUTIVO e nunca me auto-intitulei como Secretário Geral dos demais Secretários.

O Presidente do CEJOVEM esqueceu ainda de lembrar que além de escolhido pelo Colegiado fui referendado também pela plenária da reunião de São Luís, quando um “grupinho” tentou pedir minha cabeça e armou a maior patacoada e na ocasião deram com os burros n´água outra vez! Como estudante de Direito RAIMUNDO PENHA esquece da institucionalidade, do referendar de uma deliberação. Nunca ninguém disse que a plenária de Morros não referendou o nome de RAFAEL OLIVEIRA para esse cargo, mas tudo que não consta e que altera o Regimento deve ser regulamentado e não há nada, nenhum documento que materialize essa decisão da plenária, a não ser que RAFAEL tenha usado de ATOS SECRETOS para deliberar sobre esse assunto. Muito criterioso e exemplo de bom moço, resolveu passar um pente fino nas entidades que assinaram ficha de adesão ao FEJMA, mostrando ser a transparência e a vitrina dos bons modos.

Se não bastasse isso, em sua primeira reunião convocada com sua Executiva, o Secretário e mais outro colega, justamente o CHAGUINHA de PIO XII, foi o único a comparecer. RESULTADO: Não houve reunião.

E agora pela primeira vez na história, o FEJMA é acionado na justiça com dois processos, com duas representações no Ministério Público Estadual, uma na 1ª Promotoria da Infância e Juventude (PIJ) e a outra na 10ª Promotoria de Justiça Especializada dos Direitos dos Cidadãos com a acusação de se omitir na convocação da plenária para a realização de uma reunião preparatória para a eleição dos membros do CEJOVEM.

Enfim parece que o jovem rapaz aos poucos está percebendo os percalços de ser um legítimo, unânime. Mesmo sendo todo poderoso e considerando que a função de Secretário Geral ainda não foi regulamentada, esse blog se disponibiliza a conversar com o Procurador Geral do Estado MARCOS LOBO e o Ministro EROS GRAU para dirimir os meios de resolver a situação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *