Sem votos e grupo em frangalhos, ex-prefeito de Coelho Neto dá abraço dos afogados em Rafael ex-Leitoa

Sem votos e grupo em frangalhos, ex-prefeito de Coelho Neto dá abraço dos afogados em Rafael ex-Leitoa

O ex-prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), resolveu jogar uma pá de cal na expectativa dos poucos aliados mais afoitos que lhe restaram após a derrota de 2020.

Confiado numa meia dúzia de apaniguados mais próximos que lhe vendiam a ilusão de que era uma referência de prefeito e que teria reeleição garantida, o petista viu seu mundo desmoronar ao perder a eleição de forma humilhante para o “menino” Bruno Silva (PP).

Como não poderia ser diferente, após a derrota histórica  Américo viu seu grupo definhar. Derrotado, mas sem querer perder a pose, ventilava para aliados a possibilidade de ser candidato a deputado em 2022. Sem votos para se eleger nem para inspetor de quarteirão, o ex-prefeito foi obrigado a rever seus conceitos para não passar um vexame maior do que a derrota da reeleição.

Além da falta de votos, outro problema que Américo viu bater na sua porta foi a rejeição de quem até então era aliado de primeira hora. Com o grupo dividido, o ex-prefeito sabia que o resultado da eleição poderia ser ainda pior, por isso decidiu recuar da candidatura para dar um “abraço dos afogados” no deputado estadual Rafael ex-Leitoa (PDT).

Mas Américo nunca foi bom de voto. Sentado na cadeira de prefeito e gozando de todo prestígio do Governo do Estado que seus aliados na época gostavam de arrotar, o prefeito não conseguiu dar 5 mil votos para Leitoa, imagine agora, fora da cadeira e lider absoluto de rejeição. Será que contaram essa parte ao vice-governador Carlos Brandão?

Já imaginou Américo e Rafael de mãos dadas em Coelho Neto pedindo voto? Coitados!

Só não vai ser trágico, porque será cômico!