Eliziane pede adiamento das eleições municipais de outubro; Weverton relatará proposta

Eliziane pede adiamento das eleições municipais de outubro; Weverton relatará proposta

A senadora Eliziane Gama defendeu nesta quarta-feira (17) o adiamento das eleições para prefeitos e vereadores, marcadas para outubro próximo, tendo em vista a exiguidade de tempo e a indefinição de quando a pandemia do coronavírus chegará ao fim.

Em sessão remota de debate sobre o tema, Eliziane Gama lembrou ainda que as redes sociais não são uma realidade para 46 milhões de brasileiros sem acesso à internet, sobretudo na região Nordeste, conforme apontam estimativas oficiais.

— É muito grave partir para fazer um processo eleitoral neste momento em que não poderemos alcançar todos os eleitores. É fundamental, nesse momento o adiamento do processo eleitoral, e exaurir o debate mesmo por processo remoto — afirmou.

Suspensão      

Também presente ao debate, o senador Alvaro Dias (Podemos-PR) disse que ainda não há consenso em seu partido quanto ao adiamento das eleições municipais de outubro. O senador, no entanto, reconheceu a gravidade do momento e disse ser preciso colocar em primeiro lugar a salvação de vidas. Ele afirmou ainda que a decisão do adiamento deve ser do Congresso Nacional, e não do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Álvaro Dias destacou ainda que a Confederação Nacional dos Municípios (CNM) defende a suspensão das eleições, a exemplo do que ocorreu com o Paraguai, Colômbia, Uruguai, México, Argentina e Peru. Os prefeitos alegam que, em razão da pandemia, aqueles integrantes dos grupos de risco estarão prejudicados e precisarão ficar isolados, sem contato com os eleitores.

— Há muitos candidatos que não possuem acesso à internet e não podem se valer de redes sociais para se comunicar com os eleitores. O acesso à internet também é comprometido no meio rural. Não há outra alternativa que o adiamento de 40 dias. Além disso, seria prorrogação de mandato, o que não deve ser o objetivo de ninguém — afirmou.

Precipitação

Já o senador Wellington Fagundes (PL-MT) considera precipitado o adiamento das eleições sem um indicativo mais forte quanto à evolução da pandemia. O senador disse que a imprevisibilidade também afeta a democracia, “fazendo com que nenhum de nós e a ciência tenhamos certeza do dia de amanhã”, e que a definição do adiamento das eleições, neste momento, poderia criar expectativa na população.

— Se tivermos que protelar por mais 30 dias, temos que considerar outros aspectos, como as convenções partidárias. Há candidatos idosos e portadores de doenças físicas que não terão as mesmas condições de disputar. É preciso aguardar até agosto para que possamos tomar uma decisão. É antidemocrático promover eleição sem previsibilidade — concluiu.

Weverton relatará proposta

O senador Weverton (PDT-MA) deverá ser o relator da proposta de emenda à Constituição (PEC) que adiará as eleições municipais de outubro deste ano para novembro ou dezembro. O senador comunicou que recebeu a incumbência do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, para estudar as PECs que já foram apresentadas sobre o adiamento das eleições devido à pandemia da Covid-19 e apresentar um texto para o Senado deliberar.

— Nunca na nossa história havia acontecido de ter de adiar as eleições. Vamos tratar de [alterar] o calendário. Depois de uma reunião nesta terça-feira (16) com vários líderes da Câmara, do Senado, de ministros do Tribunal Superior Eleitoral e de infectologistas e outros especialista na saúde pública, foi acertado se apresentar uma proposta de adiamento das eleições em um mês e meio (45 dias) a dois meses (60 dias) — explicou Weverton.

O senador disse que ouvirá todos os senadores, assim como os magistrados dos tribunais eleitorais estaduais e do Tribunal Superior Eleitoral para definir sobre o texto a ser colocado em votação. Ele partirá da PEC 18/2020, do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), à qual serão apensadas as PECs 16/2020, do senador Marcelo Castro (MDB-PI), e 22/2020, do senador José Maranhão (MDB-PB). Os senadores Soraya Thronicke (PSL-MS), Rose de Freitas (Podemos-ES) e Jaques Wagner (PT-BA) também devem apresentar propostas, que estão em fase de coleta de assinaturas e também deverão ser apensadas.

— Temos a PEC do senador Randolfe Rodrigues, que propôs a alteração da data das eleições já por conta da pandemia, assim como as PECs dos senadores Marcelo Castro e José Maranhão. Deveremos apensá-las [para fazer um texto final] — disse Weverton.

A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) reconhece a impossibilidade de realização das eleições municipais em 2020 e sugeriu a suspensão do pleito em 2020 havendo a coincidência de mandatos em 2022. Os infectologistas também pedem o adiamento para melhor combater a covid-19 neste meio tempo. Por sua vez, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luis Roberto Barroso, lembrou nesta terça-feira (16) que cada dia de eleições custa aproximadamente R$ 180 milhões, devido ao transporte, alimentação e demais despesas necessárias.

Alguns partidos, como o PT e o MDB, propuseram as datas de 15 de novembro para primeiro turno e 29 de novembro para o segundo turno. Outros partidos propuseram o segundo turno já em dezembro. Segundo Weverton, uma solução será elaborada ouvindo a todos.

O texto da PEC que for aprovado pelo Senado será enviado para a Câmara dos Deputados. Após sua aprovação pela Câmara, a PEC será promulgada, já entrando em vigência para as eleições. Não cabe sanção do presidente da República, pois as PECs são de competência única e exclusiva do Congresso Nacional.

Do Blog do John Cutrim

Eliziane sugere estudos sobre liberdade de imprensa

Eliziane sugere estudos sobre liberdade de imprensa

A senadora Eliziane Gama, do Cidadania do Maranhão, enviou hoje um ofício a Davi Alcolumbre sugerindo que o Conselho de Comunicação Social realize estudos sobre a liberdade de imprensa no Brasil e faça recomendações relativas ao tema.

A parlamentar argumenta que “apesar de a Constituição Federal ter consignado em seu texto amplo direito à liberdade de imprensa, muitos dos elementos da antiga Lei de Imprensa de 1967, instituída pelo regime militar, continuam em nossos arcabouços jurídicos”.

Eliziane, que é jornalista, diz também que “a emergência de novas tecnologias e a abrangência das redes sociais atiçam ainda mais a discussão sobre o assunto”.

“Nos últimos dias, a questão liberdade de imprensa ganhou grandes espaços na mídia, sobretudo em virtude de ações do STF que foram caracterizadas e entendidas como censura e repudiadas nacionalmente.”

O Conselho de Comunicação Social é um órgão auxiliar do Congresso, formado por representantes da sociedade civil e empresas. (O Antagonista)

Eliziane Gama já trabalha no fortalecimento do PPS…

Partido está em processo de fusão com a Rede Sustentabilidade, o que deve fortalecê-lo no Congresso Nacional; no Maranhão, nova legenda – que deve se chamar “Movimento 23” – também passará por reformulações

Eliziane trata diretamente com o futuro colega Randolfe Rodrigues sobre a incorporação da Rede pelo PPS

Uma série de reformulações no Maranhão e em Brasília, deverá garantir uma mudança de paradigma no PPS, partido que tem a senadora eleita Eliziane Gama como presidente no Maranhão.

A parlamentar está à frente das discussões para uma espécie de incorporação da Rede Sustentabilidade, o que garantirá aumento no número de senadores do PPS.

Com o nome sugerido de “Movimento 23”, o novo partido deverá se enquadrar como uma legenda de centro no espectro político, com doutrina liberal na economia e progressista nos costumes.

Diante destas perspectivas, o PPS deverá passar por reformulações também no Maranhão – e principalmente em São Luís, já com vistas às eleições de 2020.

Tendo a própria Eliziane Gama como opção para o debate na capital maranhense…

Do blog Marco d´Eça

PTB sonha com Pedro Fernandes senador no lugar de Eliziane Gama

Batalha..
Começou uma discreta batalha entre eleitos para o Senado para medição de forças nas conversas da transição junto ao presidente Bolsonaro. O PTB, que tem três senadores eleitos, espalha na praça que pode chegar a quatro, com Pedro Fernandes (MA), suplente da eleita Eliziane Lins (PPS). A turma da senadora não quer papo sobre isso.

..senatorial
Já Eliziane, cuja equipe garante que fica no Senado, articula para ser a líder de um bloco de oposição a Bolsonaro, com dois senadores do PPS e cinco da REDE. Ela pretende ser líder do grupo no Senado. Haverá reunião dos eleitos semana que vem.

Aliados no Trabalho
O ‘Dono’ do PTB, Roberto Jefferson, quer chegar com argumentos para a Bolsonaro a fim de propor algo para o partido na Esplanada. Jefferson e Bolsonaro conversaram muito à época em que o presidenciável ficou sem partido para disputar a eleição.

Da Coluna Esplanada

Prefeito Arquimedes agradece Eliziane Gama por emenda destinada a Afonso Cunha

O prefeito Arquimedes Bacelar (PTB), agradeceu a deputada federal e senadora eleita Eliziane Gama (PPS), por mais uma emenda destinada para Afonso Cunha.

A emenda individual no valor de R$ 250.000,00 (duzentos e cinquenta mil reais) que será aplicada em investimentos na área de segurança pública através de monitoramento eletrônico.

O valor destinado entra na cota de emendas de Eliziane ainda como deputada federal, já que ela só assume o mandato de senadora no próximo ano.

“Estamos muito felizes com essa parceria da senadora Eliziane, que mais uma vez demonstra seu carinho com a população de Afonso Cunha. Vejo isso como um gesto dela em benefício do nosso município em reconhecimento a expressiva votação que ganhou dos afonsocunhenses”, disse o prefeito.

Vereador Dr. Ricardo Chaves participa de Congresso do PPS

 

O vereador Dr Ricardo Chaves foi um dos destaques do Congresso Estadual do Partido Popular Socialista – PPS, realizado nesta sexta (16), no predio da Assembleia Legislativa, em São Luís.

O parlamentar compôs a mesa e participou da mesa de debates que contou com a presença de diversos nomes, dentre os quais a deputada federal Eliziane Gama, pré-candidata ao Senado Federal.

“Estivemos marcando presença como forma de fortalecer nosso partido e essa luta pela representação popular como bem pontua o tema desse encontro. Estamos aqui para somar”, disse o vereador.

Pré-candidata ao Senado, Eliziane diz que ser política com vida limpa é uma obrigação

Única pré-candidata ao Senado que não está envolvida em casos de corrupção e não é investigada no Supremo Tribunal Federal (STF), a deputada federal Eliziane Gama (PPS) afirma, em entrevista ao blog, que isto não é uma qualidade, mas um requisito obrigatório para quem exerce a vida pública.

“Sempre em 8 anos como deputada estadual e 3 como deputada federal me mantive sob rígido código de ética, este código está pra além de minhas palavras está em uma vida limpa sob a qual não pesa nenhuma acusação de absolutamente nada. (…) não podemos abrir mão de eleger pessoas que não têm manchas na sua vida pública”, defende.

Caso eleita senadora, Eliziane diz que atuará em conjunto com o governador no intuito de assegurar projetos que beneficiem o Maranhão. “Uma senadora tem que ser mediadora de projetos estruturantes pro nosso estado”, entende.

Abaixo, a íntegra da breve entrevista concedida por Eliziane Gama ao blog.

1- Por que você entende que é o melhor nome entre os candidatos ao senado?

Fui deputada estadual por 8 anos e por 3 anos estou deputada federal, nesse período de tempo servi ao meu estado de maneira honrada e com muito trabalho de forma que o povo do meu estado sempre me reconduziu aos meus mandatos com votações expressivas, isso é um atestado de que prestamos um serviço real ao nosso povo, digo presto um serviço pois o trabalho parlamentar é a prestação de um serviço público e tento fazer isso da melhor maneira possível, sempre em 8 anos como deputada estadual e 3 como deputada federal me mantive sob rígido código de ética, este código está pra além de minhas palavras está em uma vida limpa sob a qual não pesa nenhuma acusação de absolutamente nada e não vejo isso como uma qualidade, isso é uma obrigação ou deveria ser de qualquer um que entra na vida pública, eu acho que este tempo de 8 anos como deputada estadual e 4 de deputada federal me deram a experiência necessária para ajudar meu estado de maneira a honrar minha família, minhas filhas e o povo do Maranhão.

2 – Eleita senadora, como autuará a favor do Maranhão? O que fará de diferente?

O governador não pode ser uma figura isolada no desenvolvimento do Maranhão é preciso que os senadores sejam protagonistas também.

Um dos problemas históricos do Maranhão em relação ao senado é a Falta de unidade com as forças políticas pra promover o desenvolvimento do estado. O Maranhão é um estado muito rico, mas ao mesmo tempo muito pouco vem pra cá. Os grandes projetos estruturantes não chegam pela falta dessa articulação entre essas forças e a postura do senador representa muito nesse resultado. E falo isso como mãe. Uma mãe não mede esforços pra cuidar e zelar do seu filho, busca todas as alternativas necessárias pra que seu filho cresça com saúde e todas as condições de conforto. Vejo que falta garra e amor pra cuidar mais do Maranhão. Uma senadora tem que ser mediadora de projetos estruturantes pro nosso estado.

Acho que o Brasil esta em um momento muito delicado nos não podemos abrir mão de eleger pessoas que não tenho manchas na sua vida pública, estamos vendo todo o mau causado pela corrupção ao Brasil, vejam o exemplo do Rio de Janeiro um dos estados mais ricos e mais lindos do Brasil que foi devastado pela corrupção, nesse sentido, não acho que possamos abrir mão do combate à corrupção essa tem sido minha bandeira de vida e continuará sendo.

Do Blog do John Cutrim

SNJ recebe vista dos Deputados Vitor Mendes e Eliziane Gama

Na última quinta (02), Assis Filho, secretário nacional de Juventude, recebeu a visita dos deputados Victor Mendes (PSD/MA) e da Eliziane Gama (PPS/MA), na sede da secretaria, em Brasília (DF), onde puderam estreitar os laços a favor da juventude brasileira.

Victor é advogado, maranhense, esta em exercício na Câmara dos Deputados onde participa de pautas ligadas aos direitos humanos e em sua visita a SNJ dispôs seu mandato a fortalecer as ações voltadas aos jovens, dentro e fora do Congresso.

Também maranhense, a deputada Eliziane, apresentou o projeto “Maranhão contra as Drogas” e argumentou sobre a idealização de uma plataforma nacional de escuta dos jovens brasileiros sobre a política de Drogas.

Membra da Comissão Externa Sobre Uso de Drogas, Eliziane também busca parcerias para iniciar o debate sobre o enfrentamento contra a violência que assola os jovens aliado ao debate sobre a descriminalização do uso das drogas no país.

Texto: Ascom/SNJ

Eliziane Gama realiza reunião preparatória do Maranhão sem Drogas em Coelho Neto

A deputada federal Eliziane Gama (PPS), esteve nesta quarta (18), em Coelho Neto para realizar uma reunião preparatória como parte das ações do programa Maranhão Sem Drogas.

A parlamentar é Coordenadora da Comissão Externa da Câmara dos Deputados sobre consumo de drogas entre jovens e tem percorrido o Estado com a proposta de promover o uma força tarefa envolvendo poder público e sociedade civil nas ações de combate às drogas em todas as regiões do Maranhão.

Durante a reunião foi acertado duas ações que serão desenvolvidas na cidade no próximo mês: uma com atividades culturais com os jovens e a outra com o poder público, integrantes do judiciário e toda rede de parceiros.

Estiveram presentes diversas autoridades, dentre as quais o empresário Luis Serra, o advogado Jardel Seles, o presidente do PPS Wando Galvão e o representante da Polícia Civil Albino Klauberth.

Rosângela não quer comparação…

11836812_856050381145136_7081929886859945565_n
Rosângela Curado durante evento que contou com a presença da Presidente Dilma Rousseff em São Luís

A subsecretária de Saúde e favorita à sucessão do prefeito Sebastião Madeira em Imperatriz, Rosângela Curado (PDT), não gostou nada de uma comparação com a deputada federal Eliziane Gama (PPS).

Durante a inauguração do Tegram, no Porto do Itaqui, Rosângela cumprimentou jornalistas e ao se afastar, um comentou: “ela até parece com Eliziane Gama”.

A subsecretária logo voltou ao grupo e disse: “Eu professo a mesma fé que a deputada, mas não sou igual a ela”. O que será que ela quis dizer?

Do Blog do Clodoaldo Correa