Bruno Silva lidera com 58,3% intenções de voto e deve ser o próximo prefeito em Coelho Neto, aponta pesquisa

Bruno Silva lidera com 58,3% intenções de voto e deve ser o próximo prefeito em Coelho Neto, aponta pesquisa

O empresário Bruno Silva (PP) lidera as intenções de votos para prefeito em Coelho Neto em todos os cenários. É o que aponta pesquisa realizada pelo Instituto Data M, no período de 6 a 8 de outubro, registrada na Justiça Eleitoral sob o número MA-02824/2020.

Na estimulada, Bruno Silva disparou e aparece com 58,3%, seguido do prefeito Américo de Sousa 25,4%, Ilson Baiano 2,0%, Doralice Santana 1,4%, Antônio Pires 1,4% e Val Cara Legal 0,6%.

Na espontânea, ao responder à pergunta “Se as eleições fossem hoje, em quem o sr (a) votaria para prefeito de Coelho Neto?”, o resultado foi este: Bruno Silva 48,2%, Américo 24,5%, Ilson Baiano 1,1%, Doralice Santana 0,8%, Antônio Pires 0,6%, Val Cara Legal 0,3%, em nenhum candidato 3,7%, Não sabe/Não respondeu 20,8%.

Na estimulada, para a pergunta “Os candidatos a prefeito (a) de Coelho Neto são: Américo, Antônio Pires, Bruno Silva, Doralice Santana, Ilson Baiano e Val Cara Legal. Se a eleição fosse hoje, em qual deles o sr (a) votaria?”, os eleitores responderam assim: Bruno Silva 58,3%, Américo 25,4%, Ilson Baiano 2,0%, Doralice Santana 1,4%, Antônio Pires 1,4%, Val Cara Legal 0,6%, em nenhum candidato 3,1%, Não sabe/Não respondeu 7,9%.

ELEITOR ESTÁ DECIDIDO

Entre os eleitores que já têm candidato a prefeito em Coelho Neto, poucos pensam em mudar o voto. Para a pergunta “O sr (a) está decidido do seu voto ou poderia mudar?”, o resultado foi este: Estou decidido 86,7%, Posso mudar 11,7%, Não sabe/Não respondeu 1,6%.

O favoritismo de Bruno Silva se mantém até na percepção do eleitorado. Ao responder à pergunta “Na sua opinião, qual candidato vai ganhar a eleição em Coelho Neto?”, o eleitor respondeu: Bruno Silva 60,3%, Américo 21,7%, Antônio Pires 0,3%, o restante dos candidatos não pontuou, Não sabe/Não respondeu 17,7%.

O levantamento foi contratado pela Rádio e TV Difusora do Maranhão Ltda., ouviu 355 pessoas e tem margem de erro de 4% para mais ou para menos, com nível de confiabilidade de 95%.

Do Portal MA 10

Eleições 2020: Bruno participa de novas reuniões políticas em Coelho Neto

Eleições 2020: Bruno participa de novas reuniões políticas em Coelho Neto

Durante o final de semana, o pré-candidato a prefeito Bruno Silva (PP), participou de nova rodada de reuniões em Coelho Neto.

Na noite do último sábado (01), ele esteve com o pre´-candidato a vereador Dr. Denilson na casa de Dona Luiza, no bairro Subestação, onde conversou com os presentes.

Na sequeência, acompanhado da pré-candidata a vereadora Flaynie Rego, ele esteve na casa da ativista cultural Kinha Santos.

Nos dois momentos, Bruno Silva aproveitou para ouvir demandas da população e falar dos seus planos como pré-candidato para governar a cidade.

Timon: pré-candidatura do Comandante Schnneyder recebe apoio de 6 vereadores

Timon: pré-candidatura do Comandante Schnneyder recebe apoio de 6 vereadores

Em reunião realizada na noite desta sexta-feira, 10, na residência do suplente de deputado federal Leandro Bello, os vereadores Anderson Pêgo (PSDB), Antunes Macedo (PSDB), Adão da Ceasa (Republicanos), Heber Guimarães (Republicanos), Kaká do Frigossá (PROS) e Ramon Jr (Progressistas) oficializaram o apoio a pré-candidatura a prefeito de Timon do Comandante Schnneyder.

O presidente do Partido Republicano da Ordem Social (PROS), Leandro Bello anfitrião do encontro ocorrido na noite desta sexta-feira usou suas redes sociais na manhã deste sábado, 11, para informar que na reunião foi decidido por unanimidade o apoio dos 6 vereadores ao pré-candidato a prefeito de Timon, Comandante Schnneyder.

“Ontem tivemos uma excelente reunião, onde a maioria dos vereadores da oposição estiveram presente e de pronto todos por unanimidade declaramos apoio à candidatura do comandante Shcnneyder a prefeitura de Timon”, disse Leandro Bello.

Mais adesões

Segundo informações colhidas pelo Blog do Eduardo Rego através de fontes fidedignas, há conversas adiantadas com mais 2 vereadores que podem chegar nas próximas semanas para somar a pré-candidatura de Schnneyder. Ainda segundo essas fontes do blog, há várias lideranças da cidade ligadas a outros grupos políticos que tem procurado pessoas próximas ao militar demonstrando o desejo de seguir com o Comandante Schnneyder nas eleições deste ano.

Do Blog do Eduardo Rego

E os problemas do Maranhão? Dino viajará o país por mais verde e amarelo no PCdoB

E os problemas do Maranhão? Dino viajará o país por mais verde e amarelo no PCdoB

Metrópoles

Nome do PCdoB para a disputa da Presidência da República em 2022, o governador do Maranhão, Flávio Dino, dará início a uma série de viagens por estados do Brasil com o objetivo de lançar o Movimento 65, marca do PCdoB que tem por objetivo atrair apoio de pessoas e lideranças do chamado centro político.

O lançamento do “nome fantasia” – que aposta no verde e amarelo como cores predominantes, em detrimento do vermelho, cor oficial do PCdoB – está previsto para a próxima semana e, de acordo com fontes do partido, trata-se da primeira ação da legenda com o objetivo de buscar a formação da tão falada “frente ampla” para derrotar Jair Bolsonaro nas próximas eleições presidenciais.

Enquanto se busca a composição com partidos de centro, o PCdoB tenta não perder sua interação com o PT, depois de ter sido aliado nos quatro governos petistas e de ter sido o mais fiel apoiador quando a ex-presidente Dilma Rousseff enfrentou o processo de impeachment que tirou seu mandato. As rusgas com o PT têm ocorrido, embora haja tanto de Flávio Dino quanto de Lula um esforço para manter o diálogo. As divergências, no entanto, têm sido encaradas por integrantes do PCdoB como um desencontro de objetivos.

A ordem no PCdoB para os diálogos é “todos contra Bolsonaro”. Quem está contra o atual governo terá condições de participar do Movimento 65 e lançar sua candidatura pelo partido. Dino e Lula mantêm encontros na tentativa de formar uma frente ampla de partidos e lideranças empresariais contra o grupo hoje no poder.

Antes mesmo do lançamento da marca, Dino deu início à busca de diálogos antes inimagináveis em seu leque de articulações. O governador do Maranhão, por exemplo, encontrou-se com o patriarca do clã Sarney, o ex-presidente José Sarney (MDB-AP), superando divergência antiga, tanto no campo pessoal quanto da disputa política no Maranhão.

Dino abriu diálogo com as forças políticas neoliberais. Na busca da formação da frente ampla, abriu conversa com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e com o global Luciano Huck, que cogita entrar para a política, além de ter participado da costura para a reeleição do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), no início de 2019.

A vitória de Maia é inclusive apontada pelos integrantes do partido como uma ação bem-sucedida do diálogo com o centro e que garantiu ao partido a liderança da Minoria na Câmara durante 2019, articulação que contou diretamente com o empenho de Dino – o governador do Maranhão esteve em Brasília pedindo apoio ao integrante do DEM – e com o do então líder do partido na Câmara, Orlando Silva (SP), um dos deputados mais próximos de Maia.

Em dezembro de 2019, o Metrópoles informou a decisão do partido de adotar a nova marca em 2020, encobrindo as palavras “partido” e “comunista” de sua sigla e enfatizando o número do partido. Em recente entrevista, Flávio Dino, por sua vez, apontou a polêmica que se formou em torno do nome da legenda como “um passo que pode ser dado”. “O PCdoB de hoje já não é o do ano passado. Hoje, já não é o mesmo de 20 anos atrás, o que mostra que a mudança é uma lei da vida. Este processo está em andamento e acho que é um caminho necessário de reorganização da esquerda brasileira”, disse em entrevista ao Estadão.

A ideia inicial era mudar o nome do partido, suprimindo os dois termos. No entanto, essa discussão, que chegou a ser defendida internamente por alguns dos integrantes da cúpula do PCdoB, entre eles Orlando Silva e a vice-presidente da legenda, Jô Moares, não encontrou eco na base do partido. A adoção do “nome fantasia” representa um recuo na intenção de alguns membros da sigla de se livrar das palavras para formar um movimento mais amplo contra Bolsonaro, informa Luciana Lima no Metrópoles.

Eleição da Famem: Tema desiste e Erlânio será o presidente

Eleição da Famem: Tema desiste e Erlânio será o presidente

Os candidatos à presidência da Federação dos Municípios do Maranhão (Famem), Cleomar Tema, prefeito de Tuntum, e Erlanio Xavier, de Igarapé Grande, chegaram a um consenso após diálogo com o governador Flávio Dino, nesta terça-feira, 29.

Ficou decidido que Erlanio será o presidente para o biênio 2019/2020. Atual comandante da Federação, Tema será presidente de honra.

Candidatos na eleição que ocorrerá amanhã, ambos os prefeitos atenderam a um pedido de unidade na Famem feito pelo governador Flávio Dino. Os secretários Márcio Jerry e Marcelo Tavares também reforçaram o espírito de unidade em prol do municipalismo maranhense.

Do Blog Marrapá

O dia em que Marcos Tourinho foi “pra cima”…

Novo presidente da Câmara Marcos Tourinho: “pra cima”

O termo “Pra Cima” virou a marca da campanha do então candidato a vereador Marcos Tourinho (PDT) desde que este decidiu disputar uma vaga para a Câmara de Coelho Neto em 2016 e com a vitória foi transformado posteriormente no slogan do seu mandato.

Piauiense, Tourinho veio para Coelho Neto a trabalho e por aqui ficou. Nas suas andanças fez amigos e passou a receber guarida em meio a Família Crateús, uma das mais tradicionais do município. Foi em meio a “Catracada” que escolheu a enfermeira Bianca para casar e constituir família. Tourinho aliás, herdou do sogro e ex-presidente da Câmara, Mariano Crateús o espólio político-eleitoral do Clã de dona Bidoca – a matriarca da família numerosa.

No exercício da Câmara o advogado sempre mostrou que tinha um viés independente e por várias vezes –  mesmo sendo da base do governo –  contrariou interesses e decisões impostas de cima para baixo por meio do Executivo.

A necessidade de renovação do quadro da Mesa Diretora fez com que os vereadores Rafael Cruz (MDB), Mohabe Branco (PSD) e João Paulo (MDB) recuassem mão do sonho pessoal de sentar na cadeira principal do Poder Legislativo em prol da unidade. De forma humilde abriram mão da vaidade e procuraram aquele que representasse o consenso e garantisse a independência da Casa: Marcos Tourinho.

Nova Mesa Diretora: Altivez e Coragem

Mas a vitória não foi apenas destes. Não podemos deixar de incluir nesse pacote de corajosos, os vereadores Liza Pires (PCdoB), Ricardo Chaves (PCdoB) e mais dois anônimos que ninguém sabe quem foi porque o voto é secreto, mas que tiveram coragem de arriscar e arriscaram alto.

Todo mundo sabe o perfil perseguidor do prefeito Américo de Sousa(PT) e se essa “aventura corajosa” tivesse dado errado, a máquina partiria com toda sua força em retaliação a Tourinho. Agora a coisa mudou. São 07 (sete) insatisfeitos liderados por 01 (um) presidente que não se deixa intimidar. A relação com a Câmara agora terá que ser de igual para igual, harmônica como manda a Lei, mas independente.

A vitória de hoje é carregada de simbologia, representa um grande feito, mostra que uma parte da Câmara é altiva e optou por atender a expectativa popular de mudança e alternância de poder.

O prefeito de Coelho Neto sofreu mais uma derrota acachapante. Perdeu pela tirania, perdeu pela inabilidade política, perdeu pela falta de diálogo, perdeu pela imposição, perdeu pela prepotência, perdeu pela arrogância e perdeu por tentar vencer no grito.

A Câmara deu o recado.

E hoje Marcos Tourinho foi “pra cima”… literalmente!!

8 x 5: Vereadores impõe derrota a prefeito e Marcos Tourinho é o novo presidente da Câmara de Coelho Neto

Às 17h: 55

Por um placar de 8 x 5, a ampla maioria dos vereadores acabaram de impor uma derrota histórica ao prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), ao eleger o vereador Marcos Tourinho (PDT), como o novo presidente da Câmara.

A articulação envolveu a bancada dos vereadores oposicionistas formada por Rafael Cruz (vice-presidente), Liza Pires (2ª vice-presidente), Ricardo Chaves (1º secretário) e Mohabe Branco (2º secretário). A participação decisiva ficou a cargo do vereador João Paulo (MDB) e mais dois votos anônimo, já que a votação é secreta.

A eleição representa um divisor de águas para o quadro eleitoral de Coelho Neto com repercussão imediata no cenário de 2020.

Mas essa é uma outra história….

Vereadores de oposição se lançam na disputa para a presidência da Câmara de Coelho Neto

Rafael Cruz e João Paulo: no páreo

Bastou o blog anunciar calmaria na disputa para a Mesa Diretora da Câmara de Coelho Neto para na sequencia as movimentações nos bastidores do Poder Legislativo se intensificarem.

O vereador Osmar Aguiar – antes candidato único e absoluto, ao que parece terá que ir para a disputa para assegurar o novo mandato.

Na última segunda (26), os vereadores Rafael Cruz e João Paulo, ambos do MDB, mostraram interesse pela primeira vez ao posto e se lançaram para a disputa. Nesse interim no entanto, é necessário saber quem dos nomes teria maior capacidade de aglutinação dos demais nomes da oposição.

Em conversa om o blog, João Paulo assegurou a candidatura, mas se mostrou flexível na análise da conjuntura. “Não tenho projeto pessoal, não sou individualista e nem tenho vaidades. Me lançei porque entendo que posso contribuir com o engradecimento da Casa e para isso vou conversar com meus pares e buscar apoios. Se houver outro direcionamento terei maturidade para atender o desejo da maioria”, disse ele.

A eleição para a Mesa Diretora da Câmara ainda não foi marcada, mas deve ocorrer na primeira quinzena de dezembro.

Vereador Luis Barbeiro se defende, justifica recuo e diz que não se intimidará com ataques…

Vereador Luis Barbeiro: resposta a ataques

 

 

O vereador Luis Barbeiro, resolveu se posicionar nesta segunda (02), sobre os bastidores da eleição da Mesa Diretora da Câmara de Chapadinha realizada no último sábado (30) e que tem lhe rendido inúmeros ataques nas redes sociais. Barbeiro atribuiu as articulações errôneas no período que antecedeu eleição a um erro do governo e disse que seu recuo foi estratégico e coerente.

“Para quem está de fora como mero expectador fica fácil julgar o que aconteceu nos bastidores. Todos os vereadores mantiveram conversas e cheguei a ir para a chapa que pregava independência em protesto contra a falta de habilidade do governo em unir a base. Minha decisão foi pessoal e no calor do jogo político, sem levar em consideração a opinião do grupo que faço parte. Posteriormente vi que a articulação não tinha nada de patriótico, ao contrário, o que estava em jogo era uma manobra para fortalecer a ex-prefeita. Para completar decidi consultar integrantes do meu grupo e a decisão da maioria que ouvi foi a de que nós continuassemos na base aliada”, disse ele.

Barbeiro disse que a oção pela saída da “chapa da oposição” foi um sacrifício pessoal, mas defendeu que o gesto foi para não ser incoerente com sua própria história.

“Sou filho de trabalhador rural, nunca tive padrinho político, não sou de família tradicional e não esqueci de onde eu vim. Fiz um sacríficio pessoal ao retirar meu nome da “chapa da oposição”, pois até então as chances de vencermos era uma realidade. Preferi recuar para não ser incoerente com minha própria história. No entanto, após minha saída foi que as máscaras cairam: vimos os aproveitadores mostrarem a cara e muitos dos paladinos da justiça revelarem a sua incoerência, pois era mais fácil seguir com a maioria que toca o bumbo do que defender o lado que diziam fazer parte”, explicou.

Barbeiro disse ainda que não se intimidará com ataques, que o governo precisa reavaliar sua base política e que a história julgará a atitude de cada parlamentar.

“Não vamos nos intimidar com ataques de quaisquer naturezas e não vamos tolerar o desrespeito. Aqueles que me acusarem de ter recebido dividendos e não provarem, terão que responder na justiça. O episódio serve para que o governo reavalie a sua composição política na Câmara e tenho plena convicção de que a história julgará o posicionamento de cada parlamentar”, finalizou ele.

Lobão deve disputar vaga na Câmara Federal…

O senador Edison Lobão (PMDB-MA) não deve mesmo tentar renovar o seu mandato no Senado Federal. Entretanto, engana-se quem imagina que o ex-governador do Maranhão vá abandonar a disputa eleitoral.

A tendência é que Edison Lobão concorra a uma vaga na Câmara Federal. A decisão ainda não foi oficialmente tomada, mas esse deve ser o caminho do experiente político para as eleições de 2018.

Só que a família Lobão não ficará sem nenhum pretendente na disputa pelo Senado Federal. O filho de Edison Lobão, o ex-candidato ao Governo do Maranhão e suplente de senador, Lobão Filho (PMDB), deverá sim disputar uma das duas cadeiras para o Senado.

Além de Lobão Filho, também são candidatos ao Senado Federal, pelo menos até o momento, os deputados federais Sarney Filho (PV), Weverton Rocha (PDT), Eliziane Gama (PPS) e Waldir Maranhão (PP), isso sem falar no senador João Alberto (PMDB) que deverá tentar renovar o mandato.

A disputa para o Senado Federal realmente promete ser intensa e a eventual chegada do senador Edison Lobão para a Câmara Federal também promete esquentar a disputa, afinal dependendo do rendimento do ex-governador a bancada maranhense pode sofrer grandes alterações.

É aguardar e conferir.

Do Blog do Jorge Aragão