Ignorados pelo poder público, artistas da terra fazem lives de forma independente em Coelho Neto

Leo e Thyago realizaram live neste domingo (17) sem qualquer apoio da Prefeitura

Em meio aos reflexos negativos da pandemia do Coronavírus, uma das categorias mais afetadas é exatamente a classe artística. Sem poder realizar festas, a categoria dos artistas locais sofrem no próprio bolso com as determinações do isolamento social.

Em Coelho Neto a situação não é diferente. A “prata da casa” segue sendo totalmente ignorada por parte da Prefeitura de Coelho Neto que dá de ombros para a realidade e até agora não conseguiu elaborar absolutamente nada que pudesse minimizar os impactos negativos dessa realidade.

O setor cultural é um dos mais afetados pelo descaso do atual governo, que não conseguiu sequer cumprir com a promessa simples de desmembrar a Cultura da pasta da Educação, modelo duramente criticado pelo então candidato a prefeito Américo de Sousa (PT).

De lá para cá o que o vimos foi um verdadeiro desmonte do setor, além do fechamento da biblioteca mais antiga da cidade e o abandono do Farol da Educação.

Diferentemente da Prefeitura de Pinheiro, por exemplo, que garantiu apoio aos artistas locais e ainda realizou live beneficiente para angariar alimentos para a cidade, em Coelho Neto os artistas não foram vistos pelo governo e precisam recorrer ao comércio local e a terceiros para cobrir uma obrigação que na prática é do governo municipal.

Já que a festa de São João provalmente não será realizada, caberia a Prefeitura pensar algo para reverter esse recurso em ajuda para estes profissionais.

Mas pensar em quem está precisando ao que parece, é exigir muito desse governo…

Prefeitura de Coelho Neto quebra ciclo histórico e investimentos na cultura vai ficando no passado…

Grandes eventos realizados pelo município vai se tornando coisa do passado…

Corte nos investimentos atinge em cheio a economia da cidade, a geração de empregos temporários e a renda dos que lucravam com eventos de promoção cultural para o grande público

 

Editorial

A Prefeitura de Coelho Neto optou por esse ano quebrar um ciclo histórico da cidade nos investimentos das atividades culturais. Os cortes ocorrem justamente no período em que o governo recebeu recursos extras do Fundo de Participação dos Municípios – FPM.

Nos últimos anos, o Festejo Junino da cidade era uma referência. Esse ano transformaram a festividade num arremedo “de quadra” que não trouxe convidados e nem garantiu estrutura alguma para que alguém pudesse lucrar com a festa sem pompa alguma. Para se desculpar, o prefeito Américo de Sousa (PT), foi ao rádio e justificou a “pobreza” do evento alegando que os recurso seriam investidos na reforma no Hospital alugado pelo município.

Mas o pior estava por vir. A Prefeitura optou por sepultar a programação festiva que arrastava cetenas de pessoas para o Corredor da Alegria. O evento que fora inaugurado na gestão do ex-prefeito Soliney Silva com 10 dias de programação já havia sido reduzida pela gestão petista para três dias e esse ano não teve dia algum.

Diferentemente do São João, a Prefeitura desta vez não se manifestou. Não houve qualquer comunicado oficial sobre a não realização da programação festiva e restou para “os festeiros” aproveitar a programação festiva da vizinha cidade de Buriti.

Coelho Neto sempre teve no Carnaval, São João e Festejo de Sant´Ana os pontos altos das atividades culturais nos últimos anos. Se o governo deixa de investir que investimentos no setor essa cidade vai priorizar? O atual governo fechou a biblioteca mais antiga da cidade e agora corta os investimentos que beneficiariam a cidade sem nenhuma cerimônia. Para salvar a a lavoura, o 8º Motofest do MotoClube Os Tarja Preta – MC Coelho Neto movimentou a cidade no último final de semana.

Tradicional evento do Motofest que esse ano realizou sua oitava edição movimentou a cidade e atraiu visitantes

De junho até a presente data, a cidade recebeu de transferências constitucionais (sem Saúde e Assistência Social) a bagatela de quase R$ 10 milhões de reais.

Demonstrativo do Banco do Brasil confirma milhões depositados nas contas da Prefeitura: falta de dinheiro não é

E há quem se preste ao papel de defender os cortes.

Mesmo sem provar absolutamente nada de que algum vintém fora transferido para outros investimentos.

É uma balela que só engana os para-choques. Ou os candidatos a estes…

Jorge Oliveira busca incentivos para investir em ações culturais de Duque Bacelar

Jorge Oliveira busca incentivos para investir em ações culturais de Duque Bacelar

Cumprindo agenda em São Luís, o prefeito Jorge Oliveira (PCdoB), esteve em audiência com o secretário de Cultura do Estado, Diego Galdino, para buscar parcerias de investimento em ações culturais em Duque Bacelar.

Acompanhado do secretário de Cultura Domingos Lopes e integrantes do Grupo Explode Coração, eles falaram do Festejo Junino e do apoio para a agremiação na temporada junina de 2019.

Para quem não sabe, a Junina Explode Coração é a atual tricampeã maranhense obtendo o título por três anos consecutivos (2016, 2017 e 2018), se apresentando em cidades como Brasília, Maceió, Belém, Tocantins e Teresina.

“A temática da cultura em Duque Bacelar é levada a sério e por isso mesmo estamos hoje aqui para buscar apoios nas ações da Prefeitura. Estamos otimistas de que a Explode Coração fará mais uma turnê de sucesso esse ano e por isso mesmo agradecemos ao prefeito Jorge Oliveira pelo apoio”, disse o secretário Domingos Lopes.

Como membros da entidade cultural participaram da comitiva Edmara Miranda – presidente e Tássio Lima – diretor artístico).

Comissão de Duque Bacelar é recebida em audiência pelo Secretário de Cultura do Estado

Parte da diretoria da Explode Coração com o secretário Diego Galdino

Uma comissão integrante da diretoria do Grupo Cultural Explode Coração, de Duque Bacelar, foram recebidos em audiência na última sexta (18), em São Luís, pelo secretário de Cultura do Estado, Diego Galdino.

Na oportunidade foi apresentado o trabalho que a entidade tem desenvolvido ao longo dos últimos quatro anos e sua representatividade de destaque em diversas competiçoes, inclusive a nível nacional.

Na oportunidade o secretário Diego Galdino reforçou o apoio ao grupo cultural e firmou parceria para um trabalho em conjunto para o enriquecimento da cultura junina no Estado.

Galdino conhecendo o projeto apresentado pelo diretor artístico, Tássio Lima

O secretário de Cultura de Duque Bacelar professor Domingos Lopes que esteve presente na audiência destacou a importância da parceria. “O grupo já tem o apoio da Prefeitura de Duque Bacelar que através do prefeito Jorge Oliveira vem contribuindo com a reconstrução dos valores culturais através da cultura. Receber o apoio do Governo do Estado só aumenta a responsabilidade do grupo de continuar representando bem o município e todo o Maranhão”, destacou ele.

Assessor do governo Américo “desce o sarrafo” nos empresários de Coelho Neto

O ex-subsecretário de Cultura e agora assessor da Secretaria de Indústria e Comércio Thyago Bastos resolveu se aproveitar do episódio da Feira do Bras para “descer o sarrafo” nos empresários da cidade.

Extemporâneo, o principal auxiliar da secretária Cristiane Bacelar chegou a tentar jogar a culpa do episódio da oposição, como se a oposição tivesse sido responsável pela divulgação da nota que atribuiu a prefeitura a suspensão do alvará de liberação do Feirão.

Os auaxiliares do governo Américo ao invés de jogar água na fervura fazem questão de fazer justamente o contrário e aproveitam para jogar álcool no incêndio ao invés de água. A seguir o discurso do assessor do governo detonando o empresariado local:

Américo e o retrato de abandono da cultura de Coelho Neto…

Quem acompanhou a mídia governista anunciando uma reunião da secretária de Indústria e Comércio Cristiane Bacelar com representantes culturais de Coelho Neto no mês passado até pensa que o governo liderado pelo prefeito Américo de Sousa (PT) tem algum apreço pela cultura. Tudo balela!

No discurso e nestas reuniões infindáveis que não tem qualquer resultado efetivo pode até ser, mas na prática a cultura da cidade anda longe de ter alguma prioridade do atual governo.

A Secretaria Adjunta de Cultura ou Fundação Municipal de Cultura (ninguém sabe qual dos dois órgãos realmente é quem cuida da cultura atualmente) sequer tem uma sede. O desrespeito é tamanha que o secretário adjunto Adilson Torres está jogado com seus colaboradores em número reduzidíssimo na sede da Biblioteca.

Sede da Biblioteca Municipal abriga o órgão da cultura e um depósito no mesmo espaço: situação total de abandono

Isso mesmo, a biblioteca que deveria ser apenas um lugar de pesquisa passou a ser sede do órgão gestor de cultura e ainda serve de depósito. Diversos instrumentos musicais que deveria está sendo utilizado na formação de crianças, adolescentes e jovens estão abandonados e amontoados num canto.

Instrumentos em total desuso

A última apresentação da banda municipal se deu durante a posse do agora prefeito e de lá para cá não se sabe de qualquer ação deste projeto, que em outras administrações era a menina dos olhos durante as apresentações.

Programas culturais foram totalmente desativados pelo governo petista

Para que reuniões se o órgão gestor de cultura não tem o mínimo sequer para funcionar? É lamentável que após um ano o governo “da economia de boca” ainda esteja tão perdido ao ponto de abandonar setores importantes da administração pública.

Pense num governo desastroso em todos os setores.

E ainda acham ruim quando são chamados de incompetentes…

Fotos: Ronaldo Lopes (Ronaldão)

Duque Bacelar realizará Circuito Cultural da Juventude

A Prefeitura de Duque Bacelar através da Secretaria de Cultura em parceria com a equipe Fúria Jovem realizará o I Circuito Cultural da Juventude.

Na programação de jovens e para os jovens terá apresentações de teatro, música ao vivo, danças (capoeira, hip-hop) e revelação dos talentos juvenis da cidade.

“É mais um evento para valorizar o jovem de nossa cidade cidade. Precisamos garanti o emponderamento e o protagonismo de nossa juventude”, disse o secretário de Cultura Domingos Lopes.

O evento será realizado no próximo dia 09, a partir das 17h:30 na Praça Vicente Vilar.

Vereador Júnior Santos apresenta projeto “Arte na Praça” para fomento da cultura local

O vereador Júnior Santos (PMDB) apresentou na câmara um projeto de lei para fomento, apoio e incentivo a cultura de Coelho Neto.

Vereador Júnior Santos: projeto de apoio a cultura local

A idéia do programa Arte na Praça foi pensado para transformar mensalmente a praça João Santos em palcode apresentações artísticas e culturais.

De acordo com o vereador, o projeto será um importante instrumento de promoção e acesso gratuito a apresentações artísticas e culturais locais e ao empreendedorismo.

“Precisamos valorizar e divulgar as nossas manifestações culturais e nada melhor do que utilizar a praça João Santos – que é nosso cartão postal – para isso. Com a aprovação desse projeto teremos o espaço cultural popular “Arte na Praça” incluso no calendário cultural e turístico do município”, destacou o vereador.

O projeto do vereador vem em boa hora e surge como uma boa oportunidade de apoiar a cultura e o artista local.

A economia “meia boca” das festas pagas pela Prefeitura de Coelho Neto…

Causou no mínino estranheza os valores pagos pela Prefeitura de Coelho Neto nas atrações do Festejo Junino e Festejo de Sant´Ana respectivamente, em tempos de vacas magras e falta de dinheiro como gosta de vender o prefeito Américo de Sousa (PT).

Durante o Festejo Junino foi pago pela contratação das 03 (três atrações) e mais grupos de quadrilhas e bumba meu boi a quantia de R$ 210.000,00 (duzentos e dez mil reais), fora os R$ 78.250,00 gastos com o pagamento da locação de estrutura.

No Festejo de Sant´Ana a disparidade da “economia” vendida pelo governo que reduziu a programação em mais da metade não se viu nos números. Das 09 (nove) atrações que passaram pelo Corredor da Folia nos 03 (três) dias pelo menos 05 (cinco) era local, o que nos permite imaginar que os cachês tem valores razoáveis, se levarmos em conta as apresentações que eles fazem na cidade normalmente. No ano passado o ex-prefeito Soliney Silva realizou um evento de 10 (dez) dias com 20 (vinte) atrações sendo 05 (cinco) locais e todas custeadas com recursos próprios.

Para custeio dos shows a Prefeitura desembolsou a bagatela de R$ 203,500.00 (duzentos e três mil e quinhentos reais) e para pagamento de estrutura de palco, sonorização, camarote, estrutura de fechamento, iluminação, gerador e banheiros químicos foram mais R$ 155.750,00 (cento e cinqüenta e cinco mil, setecentos e cinqüenta reais). Se em três dias de Festejo foram quase R$ 400 mil, imagina o que não seria gasto se o prefeito tivesse mantido os 10 (dez) dias?

Se olharmos os números veremos que o Festejo de Sant´Ana com 09 (nove) atrações conseguiu ser mais caro que as 03 (três) atrações do Festejo Junino e mais os incentivos pagos, que não dar pra se saber a média já que a transparência do site é a “meia boca” e não detalha esses valores.

É bom deixar claro que não somos contra as festas. Estamos questionando a demagogia do governo de vender uma economia que não se confirma quando fazemos um comparativo proporcional e simples dos dois eventos.

E os números não mentem jamais…

Valorização da Cultura: Teatro de Coelho Neto receberá II Concerto Polifônico

A cidade de Coelho Neto será palco da realização do II Concerto Polifônico, atração que integra o repertório artístico do Coral Cantus Mandala.

A iniciativa além de valorizar a “prata da casa”, oportuniza a comunidade apreciar o requinte e bom gosto da música instrumental e clássica em sua essência.

O evento será nesta terça (05), a partir das 19h:30, no Teatro Municipal.

Prestigie!